Headhunter: qual seu papel nas empresas?

O headhunter é um especialista na busca por talentos. Apoiado em seu networking e em suas habilidades, tem recursos para uma busca mais bem-sucedida para encontrar o candidato ideal para uma vaga.

Você sabe o que é um headhunter e por que sua empresa se beneficiaria ao contar com esse profissional?

Na tradução literal para o português, headhunter significa “caçador de cabeças”, mas a expressão mais apropriada para compreender o termo é “caçador de talentos”.

Sabendo disso, pode ser que você esteja pensando que o RH de sua empresa já dá conta dessa missão de atrair bons profissionais, mas neste post você vai entender melhor porque ter um headhunter pode fazer a diferença. Acompanhe!

Afinal, o que é um headhunter

headhunter

Já tratamos sobre o significado do termo em sua tradução literal e na versão mais adequada a um entendimento correto, mas ainda convém esclarecer melhor o que é headhunter.

É provável que você não tenha dificuldade em entender que um headhunter é um profissional especializado em “caçar” talentos e que seu objetivo é ajudar uma empresa a encontrar os melhores profissionais do mercado.

Sendo assim, podemos dizer que o headhunter atua como um intermediador entre os profissionais do mercado de trabalho e a sua empresa. Uma proposta cumprida de uma maneira potencialmente mais assertiva do que um processo seletivo convencional realizado pelo setor de Recursos Humanos (RH) da empresa.

A importância de contar com um headhunter

Um estudo da Wyser, divisão especializada da consultoria Gi Group abordou “alto preço” de uma contratação errada. Estima-se que “o tempo médio que um profissional inadequado permanece em sua função é de um ano […] O salário pago a ele durante esse tempo também é considerado um gasto desnecessário”.

Ainda, entende-se que tempo pode ser assim tão longo porque é comum que uma empresa demora tanto a identificar o erro quanto a admitir que fez uma contratação equivocada.

Por diversas vezes, destacamos aqui no blog do Tangerino que uma empresa investe tempo e recursos financeiros no anúncio de vagas e em todo o processo seletivo. O mesmo vale para o treinamento dos novos contratados.

Enquanto os recém-chegados são integrados às suas equipes com auxílio do RH, o “peso” da transição é dividido entre os demais funcionários e isso pode impactar sua produtividade e rendimento em comparação a um período normal.

Com tudo isso, é compreensível que empresa nenhuma queira passar pelo trabalho de fazer uma nova contratação em razão de um erro na escolha do profissional a preencher determinada vaga, certo?

É para evitar essa situação que as empresas podem recorrer aos headhunters: caça-talentos especializados em avaliar criteriosamente o perfil de cada profissional para selecionar apenas os melhores para cada vaga.

O perfil de um headhunter

Para que você entenda com mais clareza o que é um headhunter, vamos a algumas características fundamentais. Elas englobam elementos que precisam fazer parte da postura do profissional ou que são essenciais para o exercício dessa função precisa ter:

1. Bom networking

É bem provável que você saiba o valor que uma boa indicação. Possivelmente, sempre que uma vaga se abre, sua empresa se faz valer do próprio networking para tentar que algum profissional qualificado seja indicado por alguém de confiança.

Essa estratégia é buscada para tentar aumentar as chances de que a empresa faça uma contratação acertada. Como vimos, essa é justamente a missão de um headhunter, então é de se esperar que este profissional tenha uma boa rede de networking.

Quanto a isso, uma dica importante: ter uma boa rede de networking não é, necessariamente, o mesmo do que ter um perfil lotado de contatos no LinkedIn. Quantidade nem sempre é sinal de qualidade e o que sua empresa precisa é de um headhunter bem relacionado e que tenha contato com profissionais que sejam referências em diferentes áreas;

2. Capacidade de análise

Um headhunter precisa ser observador e ter boa capacidade para analisar os profissionais com os quais se depara. Isso porque o resultado de suas indicações depende dessa capacidade que é uma das chaves a evitar que sua empresa acabe levando “gato por lebre”.

Em outras palavras, o headhunter precisa ser capaz de entender o perfil de cada profissional que contatar para preencher uma vaga e ser capaz de fazer uma análise crítica sobre o que cada pessoa tem a oferecer e o que suas experiências anteriores dizem.

Somente assim o headhunter pode ter confiança de que não estará indicando à sua empresa um profissional que parece ter um bom currículo, que se vende bem, mas que na prática, vai se mostrar uma escolha inadequada;

3. Escuta ativa

Para que qualquer indicação seja bem-feita, o headhunter precisa ter escuta ativa e isso começa ainda em seu contato com a empresa ao se informar sobre a vaga ou as vagas a serem preenchidas.

Caso você ainda não saiba, escuta ativa é “uma técnica que traz eficiência para o diálogo, baseada na compreensão e no cuidado ao ouvir o outro. Consiste não apenas em ouvir, mas compreender e interpretar com atenção as informações recebidas, sejam elas verbais ou não-verbais”.

Assim, em um primeiro momento, um bom headhunter precisa ser capaz de ouvir e compreender o que sua empresa busca em um profissional para que saiba melhor quem encaminhar para a vaga em aberto.

Para que esse objetivo seja cumprido, em um segundo momento, o headhunter precisa praticar a escuta ativa também com os profissionais com os quais conversa. Essa atenção tão focada é fundamental inclusive para a capacidade de análise que destacamos há pouco como tão essencial para o sucesso;

4. Boa argumentação e negociação

Algo que gestores precisam ter de forma clara em suas mentes é que contratações são vias de mão dupla: a empresa tem interesse no profissional e o profissional tem interesse no emprego/na empresa.

Quando falamos de talentos, que são profissionais alvo dos headhunters, esse entendimento é ainda mais necessário. É importante ter em mente que um caça-talentos não foca apenas em profissionais em busca de recolocação.

Aqueles que se destacam em suas funções chamam a atenção de bons recrutadores ainda que não tenham manifestado qualquer desejo de deixar seus cargos atuais.

Nesse cenário, uma boa argumentação e capacidade de negociação podem convencer um profissional referência a trocar de emprego. Por isso, um bom headhunter precisa dessas características que, por sua vez, dependem da escuta ativa na fase de conversas com a empresa para que a vaga seja devidamente apresentada;

5. Ética profissional

Ainda com o uso da argumentação para convencer um profissional a trocar de emprego em mente, entenda que a ética é fundamental a um headhunter.

Você certamente acharia desrespeitoso se um concorrente direito seu começasse a abordar os principais talentos de sua empresa, oferecendo-lhes salários maiores e benefícios mais interessantes.

É preciso saber que não há leis que impeçam esse tipo de estratégia, mas a depender das circunstâncias, a situação pode ser entendida como um assédio de profissionais por empresas concorrentes e pode ter consequências jurídicas.

Com isso, o headhunter precisa saber agir de forma ética, sobretudo porque pode lidar com empresas que atuam em um mesmo ramo e precisa evitar conflitos desnecessários;

6. Comunicação clara

O trabalho do headhunter não termina com um e-mail encaminhado ao RH da empresa dizendo “encontrei a pessoa ideal para a vaga e seguem suas informações de contato”.

Na verdade, o headhunter precisa ir além e dizer aos interessados por que contratar o profissional indicado. Entenda bem que este ainda é um serviço prestado à empresa e não ao candidato.

A ideia de uma comunicação clara é fazer com que o headhunter seja capaz de explicar quais são as características e fatores o levaram a estar seguro no seu entendimento de que determinado profissional vai atender perfeitamente às expectativas do contratante.

Dessa forma, a empresa pode compreender o que o caça-talentos enxergou de valor e, inclusive, explorar tudo isso para que possa aproveitar ao máximo as habilidades e potencialidades do profissional contratado.

A relação entre headhunter e Recursos Humanos

O recrutamento e a seleção de novos profissionais é uma das mais conhecidas rotinas do setor de RH de uma empresa. Sabendo disso, pode ser que você esteja se perguntando se há uma relação entre o setor e o headhunter e falaremos sobre isso agora.

Todo headhunter é um profissional de RH?

Acreditamos que você já tivesse ouvido falar em headhunter antes de chegar a este post e que até tivesse uma boa noção da essência do trabalho desse profissional.

Mesmo nessa situação, há uma dúvida bastante comum sobre o headhunter ser ou não um profissional de Recursos Humanos. A verdade é que não existe uma formação acadêmica específica para que alguém possa atuar como headhunter. Sendo assim, o caça-talentos não precisa ter formação em RH, nem em áreas afins.

Apenas por curiosidade, vale dizer que um profissional de RH, caso tenha interesse em atuar de forma mais direta no recrutamento de talentos, pode se preparar para ser um headhunter. Para tanto, é preciso empenho para desenvolver as características apresentadas.

Qual a diferença entre headhunter e recrutador?

Há quem use os termos headhunter e recrutador como sinônimos e não vamos avaliar se isso é certo ou errado. Para que falemos das relações com o RH, porém, consideremos aqui que o recrutador é o profissional que atua na rotina de recrutamento e seleção do setor.

Com esse esclarecimento, vamos a algumas diferenças que vão ajudar você a entender por que contar com um headhunter pode gerar resultados novos para a sua empresa.

Em geral, o recrutador atua dentro da empresa e de forma mais passiva. Isso significa que, em muitas das vezes, suas buscas se restringem aos currículos enviados ao banco de talentos ou àqueles enviados pelo processo seletivo em aberto.

Por sua vez, é mais comum que o headhunter seja um profissional autônomo ou tenha um contrato temporário ― ainda que também possa ser um funcionário fixo da empresa.

Além disso, o headhunter é mais ativo e realmente vai ao mercado em busca de profissionais que sejam qualificados para as vagas em aberto na empresa contratante. É especialmente por essa razão que o networking do caça-talentos é tão importante para o seu sucesso.

Inclusive, vale dizer, acompanhar o mercado para conhecer novos profissionais que se destacam em suas funções e ampliar sua rede de conexões é algo que faz parte do trabalho do headhunter.

Em contrapartida, quem cumpre o papel de recrutador no RH da empresa tende a, no dia a dia, ter de se envolver com outras obrigações do setor que não lhe permitam dedicação exclusiva à busca de talentos.

Quais etapas do recrutamento o headhunter cobre?

O headhunter não atua apenas indo ao mercado em busca de um profissional ideal para a vaga em aberto. Antes disso, com base nas conversas com a empresa, o profissional pode participar do processo de definição do perfil buscado para a vaga em questão.

É a partir daí que o headhunter começa a sua busca e parte para a avaliação de referências e experiências, assim como para as entrevistas que são conduzidas com o objetivo de melhor analisar cada candidato.

Então, o headhunter faz uma seleção prévia dos profissionais que gostaria de apresentar à empresa e, mais uma vez, usa a escuta ativa para ouvir os feedbacks a respeito dos perfis apresentados.

Com base nessas respostas, escolhe os candidatos que, de fato, são enviados à parte final do processo seletivo da empresa.

Ainda, o headhunter pode ter a incubência de negociar ou mediar questões como o salário, a data para o início do contrato e outras que estejam relacionadas.

O que faz RH quando a empresa tem um headhunter?

Com tudo isso, sabemos que pode haver uma suspeita de que a contratação de um headhunter diminui a importância do RH ou afeta esse setor de alguma forma. Isso não é bem verdade.

O que o headhunter faz é tirar do RH a responsabilidade pelo recrutamento, enquanto leva essa tarefa a um nível mais elevado em razão de sua dedicação contínua e exclusiva a esse objetivo.

Uma vez que o headhunter encontra profissionais que considera ideias para a vaga em aberto, o RH da empresa precisa entrar em ação porque o processo de seleção continua.

Por mais que o headhunter pratique a escuta ativa para compreender as demandas da empresa, é o RH quem conhece bem a cultura da organização e tem melhores chances de avaliar a adequação dos profissionais indicados.

Assim sendo, há ao menos uma parte final do processo de seleção que ainda cabe ao RH da empresa. Em suma, os trabalhos se complementam.

O que sua empresa pode ganhar com um headhunter

Chegando a este ponto da leitura, você já deve estar entendendo melhor os benefícios que sua empresa pode ter se contratar um headhunter. Apesar disso, queremos abordar essa questão de forma ainda mais direta. Acompanhe!

Identificação do perfil ideal

O headhunter é um profissional especializado no processo de recrutamento de talentos e comprometido em gerar resultado. Por essa razão, usa suas habilidades e ferramentas para ajudar a empresa a definir o ponto de partida que pode garantir ou minar o sucesso da escolha: a definição do perfil buscado.

Toda a busca realizada pelo headhunter no mercado de trabalho vai ser pautada por esse perfil de profissional ideal. É por isso que, junto com a empresa, o caça-talentos vai se dedicar a ajudar a definir quais são as características e atributos que um candidato precisa ter para atender às demandas da vaga.

Busca direcionada a profissionais qualificados

Traga à mente a comparação que fizemos entre um recrutador e um headhunter. Não há dúvidas de que o profissional que exerce o papel do recrutador também tem o compromisso em encontrar os melhores candidatos que o mercado tem a oferecer para a empresa.

Acontece, porém, que o recrutador do RH não tem dedicação exclusiva a acompanhar o mercado para mapear talentos e ampliar seu networking para levar esse compromisso a um outro nível.

Ainda, o recrutador pode acabar refém dos currículos do banco de talentos ou do processo seletivo, não tendo a mesma flexibilidade que o headhunter tem para vasculhar o mercado e fazer uma busca mais direcionada por profissionais qualificados.

Uso de ferramentas apropriadas para atração de talentos

Quando mencionamos o uso de ferramentas apropriadas não falamos, necessariamente, em softwares de recrutamento e seleção, ainda que estes possam ser úteis.

A rede de contatos de um headhunter, uma vez que bem trabalhada, é uma ferramenta poderosa para que o profissional certo seja encontrado para preencher uma vaga em sua empresa.

Essa rede, inclusive, pode ser entendida como uma ferramenta capaz de apresentar à empresa profissionais que acabariam nem entrando na radar em um processo comum.

Economia de tempo e de recursos

Ainda no início deste post, quando falamos da importância do headhunter, destacamos o alto custo que uma contratação errada pode ter. Com isso, você já sabe o que queremos dizer quando falamos em economia de recursos financeiros. Isso não é tudo, porém.

Quando parte do RH da empresa precisa se concentrar em processos de recrutamento e seleção, a outra parte pode ficar sobrecarregada. Uma realidade que pode afetar a importante tarefa de gestão de pessoas.

Com um headhunter, o RH pode manter-se focado em outras funções também determinantes para o sucesso da empresa, enquanto o headhunter se responsabiliza por encontrar e selecionar talentos.

Fortalecimento do employer branding

Por fim, temos uma vantagem que nem sempre é claramente percebida quando o assunto é a contratação de um headhunter: o fortalecimento da marca da empresa e da perceção que seus funcionários e o mercado têm dela.

Em nosso blog, temos um artigo específico sobre employer branding que você pode conferir depois caso sinta que precise entender melhor sua importância. Por ora, tenha em mente que a forma como uma empresa é vista pelos profissionais faz diferença para que talentos queiram ou não trabalhar ali.

Com isso, considere que ao fazer suas buscas pelo mercado, o headhunter acaba fazendo uma boa “propaganda” da empresa que o contrata. Um dos motivos para isso é que faz parte do seu trabalho argumentar com os profissionais sobre o porquê de valer a pena aceitar o cargo.

Outro motivo é a própria reputação que o headhunter constrói e que indica que se ele está em busca de profissionais para tal empresa, deve ser porque a empresa tem capacidade para receber e reter grandes talentos.

Como saber se sua empresa precisa de um headhunter

Você está gostando do que está aprendendo sobre headhunter, mas tem dúvidas se sua empresa realmente precisa de um? É compreensível porque, ainda que você possa ganhar com a economia de recursos, vai precisar investir na contratação desse profissional e dedicar tempo ao seu processo.

Além disso, um headhunter pode ser investimento demais para uma contratação simples para a empresa. Por isso, é importante saber em quais circunstâncias contar com esse profissional realmente pode ser vantajoso para você. Veja só:

Vaga anunciada como confidencial

Se sua empresa nunca adotou essa prática, saiba que não é incomum que vagas sejam anunciadas sem que o nome da contratante seja relevado, ou seja, mantido em caráter confidencial.

Em geral, essa estratégia é usada quando a empresa tem um projeto relacionado à vaga que precisa ser mantido em segredo ou como forma de manter a competitividade ao anunciar a oportunidade.

Em uma situação normal, o anúncio de uma vaga confidencial para gerar desconfiança entre os candidatos. Por isso, contar com um headhunter pode ser a melhor forma de encontrar os talentos desejados pela empresa.

Urgência no preenchimento da vaga

Um bom processo seletivo feito pelo RH da empresa pode ser demorado. Se a empresa tem urgência em fazer a contratação, precisa saber que a dedicação exclusiva do headhunter ao recrutamento e seleção o habilita a dar celeridade ao processo para que a vaga seja preenchida com rapidez e qualidade.

Busca por profissionais de alta hierarquia

Pessoas aptas a ocupar cargos de alta hierarquia como a vice-presidência ou a diretoria de uma empresa, por exemplo, não são facilmente encontradas por meio de processos seletivos tradicionais.

Em verdade, é comum que esses profissionais sequer estejam desempregados e apenas aguardando por uma nova oportunidade.

Por essas razões, a rede de contatos e a capacidade de argumentação do headhunter são essenciais para encontrar o profissional certo para um cargo tão elevado e, claro, para atraí-lo para a empresa.

Vaga para profissionais com especificidades raras

A mesma dificuldade se aplica à profissionais que têm competências raras e que são muito valorizados pelo mercado.

Se sua empresa faz negócios internacionais e precisa de alguém que seja fluente tanto em alemão quanto em mandarim, por exemplo, a contratação de um headhunter é a melhor saída para conseguir preencher a vaga.

Seleção feita em local diferente ao da empresa

Se uma empresa vai abrir uma filial em uma nova localidade ― cidade, estado ou até país ―, convém contar com um headhunter para ajudar na formação de um novo quadro de funcionários.

O profissional especialmente contratado para o recrutamento e seleção de talentos vai ter mais recursos do que a empresa para encontrar bons profissionais que já estejam aptos a atuar no novo mercado.

Como contratar um headhunter para a sua empresa

Com tudo o que você agora sabe sobre o assunto, falta falarmos sobre como contratar um headhunter para ajudar a sua empresa a encontrar talentos no mercado de trabalho.

Aposte nas indicações

Já mencionamos o valor das indicações neste post e você não deve desconsiderá-lo quando estiver em busca de um headhunter. Gestores se relacionam com outros gestores e podem ter abertura para perguntar sobre a experiência de um conhecido com headhunters.

Use seu próprio networking e explore as aberturas que você tem para avaliar reputações e encontrar um bom headhunter para a sua empresa.

Procure em sites especializados

O LinkedIn é uma rede social profissional na qual vários headhunters marcam presença. Por lá, você consegue fazer buscas por profissionais, analisar seus currículos e até conferir eventuais depoimentos deixados por gestores que tenham contratado os serviços de cada headhunter.

Outra opção é buscar por empresas de gestão de capital humano para encontrar um profissional para atender a sua empresa.

Observe o networking do profissional

Já mencionamos que ter um perfil lotado de contatos no LinkedIn não é, por si só, um indicativo de que o headhunter tem um bom networking. Os contatos da rede, porém, não devem ser ignorados.

Uma vez que você estiver no perfil do profissional, explore suas conexões, suas interações e veja quem respalda o headhunter em questão. Essa observação pode ser útil para que você avalie para quem o profissional já trabalhou e o que isso pode indicar a seu respeito.

Avalie o conhecimento de mercado

Lembra-se de que falamos que o headhunter precisa praticar a escuta ativa na conversa com sua empresa? Pois bem, é interessante que você faça o mesmo ao contatar o profissional.

Ao explicar para ele o que é sua empresa, o que ela busca e qual o seu mercado, avalie as colocações que o headhunter fizer a respeito. Essa avaliação pode ajudar você a entender se o profissional conhece o mercado da sua empresa o suficiente para encontrar os talentos buscados ou não.

Dica importante: é provável e até desejável que o headhunter faça perguntas para melhor entender sua empresa e suas demandas. Os questionamentos não são, necessariamente, sinal de desconhecimento, podendo ser entendidos como interesse em entender ao máximo o perfil a ser buscado para a vaga.

Atente-se às suas características

E já que falamos de networking e escuta ativa, não se esqueça de observar se o headhunter demonstra ter também as outras características que relacionamos neste post: capacidade de análise, boa argumentação e comunicação clara.

Avalie as inferências do profissional, sua clareza ao responder às suas dúvidas e até sua apresentação ou argumentação sobre como vai ser capaz de atender às suas expectativas.

Informe-se sobre o tempo médio de contratação

Por último, sugerimos que você pergunte sobre o tempo médio do processo de recrutamento desenvolvido pelo headhunter. Algo rápido demais pode ser sinal de desleixo ou pouca dedicação, enquanto um processo longo demais pode ser sinal de networking e argumentação fracos.

A saber, quando a demanda é muito específica, a média é de três meses para a contratação. Em geral, porém, a duração dos processos feitos por um headhunter pode variar entre um mês e um ano.

Em resumo, um headhunter é um profissional capaz de levar a captação de talentos a outro nível, agregando valor para a sua empresa. O serviço, porém, deve ser bem avaliado e contratado em situações em que realmente seja necessário para que o investimento valha a pena e garanta todas as vantagens esperadas.

Gostou do post? Leia também sobre todas as documentações necessárias na contratação de funcionários!

Tangerino Totem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.