As principais escalas de trabalho de acordo com a CLT

Existem várias formas de definir uma escala de trabalho e de folga. Empresas diferentes podem adotar várias maneiras de organizar as atividades de seus colaboradores e ter bons resultados.

Se a sua empresa trabalha com escala de folga, você tem que estar atento à forma como cada escala de trabalho é desenvolvida. Afinal, a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) tem diretrizes específicas que regulam a execução dessas escalas.

Se você deseja entender melhor sobre como funcionam as principais escalas de trabalho, continue lendo nosso guia completo! Aqui, você encontra as principais diferenças entre as cada escala de folga e como elas são aplicadas de acordo com a CLT.

Neste conteúdo você vai aprender sobre::

  1. A importância de escalas bem organizadas
  2. Os principais tipos de escala de trabalho
    1. Escala 5×1
    2. Escala 5×2
    3. Escala 6×1
    4. Escala 12×36
    5. Escala 18×36
  3. As escalas de trabalho segundo a CLT
  4. Controle de horas na escala de trabalho
  5. O papel do ponto digital

A importância de escalas bem organizadas

Como você já sabe, os processos trabalhistas acabam sendo parte da realidade de empresas que não seguem as normas regulamentadas pela CLT.

Quando o assunto é escala de folga, tudo deve ser seguir conforme o planejado. Afinal, se as regras adotadas pela empresa com o colaborador não forem seguidas, é possível que a organização tenha grandes prejuízos judiciais e financeiros.

Portanto, é extremamente importante que os responsáveis pela gestão de pessoas entendam de forma assertiva a escala de trabalho adotada. Além disso, a o controle correto das horas trabalhadas pelo funcionário garante um bom relacionamento entre os colaboradores e a empresa.

Os principais tipos de escala de trabalho

Antes de começarmos a explicar como fazer escala de folga, vamos falar de algumas das mais conhecidas. Sendo assim, as escalas citadas abaixo são comuns dentro dos contratos que adotam a CLT, além de algumas convenções coletivas.

Lembre-se que é importante que cada escala de trabalho existente dentro do quadro de funcionário seja claramente explicada para os funcionários, além de ser registrada em seus contratos de trabalho.

Escala 5×1

Bastante aplicada em empresas de telemarketing, a escala 5×1 consiste em um formato onde o colaborador tem 1 dia de folga a cada 5 dias trabalhados. Nessa escala de trabalho, a rotatividade de folga acontece de forma contínua.

Com o modelo 5×1, o trabalhador também trabalha em domingos e feriados, já que a rotatividade dos dias de folga é fundamental para que a empresa continue sua produção.

Isso também significa que os colaboradores têm uma jornada diária de 7 horas e 20 minutos por dia.

Vale ressaltar que o artigo 386 da CLT prevê que homens em regime de escala 5X1 tenham um domingo de folga por mês e mulheres dois domingos de folga por mês, levando em consideração a dupla jornada.

Escala 5×2

Esse é o modelo comum de empresas que não funcionam aos finais de semana, sendo que a escala de trabalho consiste em cinco dias de trabalho seguidos de 2 dias de descanso.

Uma jornada distribuída em 5 dias de trabalho segue o modelo de 44h semanais. Sendo assim, o colaborador trabalha 8h48min por dia.

Dessa forma, na escala 5×2, o trabalhador é recompensado com o pagamento de horas extras ou banco de horas caso seja necessário trabalhar no sábado ou no domingo.

Escala 6×1

Outro formato de escala de trabalho bastante utilizado é o 6×1. Neste formato de escala de folga, a cada 6 dias seguidos de trabalho, o colaborador descansa 1.

A escala 6×1 permite flexibilizar a jornada do trabalhador de forma que ele cumpra uma carga horária diferenciada a cada dia.

Algumas empresas que adotam jornadas de trabalho diversas. Em um dos casos, o funcionário tem jornada laboral de 8 horas por dia de segunda a sexta e 4 horas no sábado, por exemplo.

Algumas empresas dividem as 44h semanais igualmente pelos 6 dias, com o trabalhador realizando 7h e 20min de serviço todos os dias, de segunda a sábado. É necessário ficar atento ao horário de trabalho diário e garantir que os funcionários realizem suas escalas de forma correta.

Escala 12×36

A escala 12×36 é bastante utilizada em instituições da área de saúde, como hospitais, e também em empresas de segurança. Essa escala também é comum para porteiros.

Neste modelo de escala de trabalho, o profissional trabalha 12 horas seguidas e descansa pelas próximas 36 horas.

Este formato de controle de jornada não está previsto na CLT, mas é negociado entre sindicatos e empresas. Esse modelo de trabalho pode ter incidência recorrente de adicional noturno e deve contar com uma convenção coletiva para que a remuneração contemple todos os direitos do funcionários que a praticam.

As empresas que trabalham com a escala de trabalho 12×36 também devem estar atentos aos impactos que a remuneração possui quanto a feriados, e a forma como a escala deve ser adaptada para os trabalhadores que possuem carga de trabalho semanal reduzida.

Sendo assim, para aplicar esse tipo de escala de trabalho, é preciso entender todas as suas particularidades.

Escala 18×36

Igualmente ao modelo de escala de trabalho anterior, o 18×36 não está previsto em legislação, mas é negociado entre empresas e sindicatos. O trabalhador realiza suas atividades por 18 horas consecutivas e descansa 36 horas sequenciais.

Deve-se ter as mesmas preocupações com essa escala de trabalho, para que todos os direitos do trabalhador sejam garantidos. Para isso, a convenção coletiva adotada pela empresa e a negociação feita com o sindicato devem ser claros, para que não haja discrepâncias que possam gerar processos trabalhistas.

Escala 24×48

Na escala 24×48, bastante utilizada por órgãos do Exército e Polícia, o profissional trabalha 24 horas ininterruptas e descansa por 48 horas consecutivas.

Ela possui regimes únicos para intervalos intrajornada, pausas, escalas de folga e muito mais. A remuneração oferecida para essa escala de trabalho contempla sua extensão e todos os principais direitos. É incomum que negócios do setor comercial ou industrial adotem esse tipo de jornada, que não é prevista na CLT para nenhum desses casos.

Como fazer uma escala de trabalho segundo a CLT

Primeiramente, confira o Artigo 67 da CLT, que versa sobre os vários tipos de escala de revezamento e seus critérios. Verifique também a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e os Acordos Coletivos de Trabalho (ACT) a que sua empresa aderiu, a fim de identificar qualquer orientação específica do sindicato da categoria.

Feito isso, lembre-se que o intervalo intrajornada nunca deve ser inferior a 11 horas e que o total de horas trabalhadas na semana não deve ultrapassar 44 horas. Atente-se também para as folgas de domingo, lembrando que homens têm direito a um domingo por mês e mulheres dois.

De posse dessas informações, você pode usar uma planilha eletrônica para montar um modelo de escala de trabalho, inserindo na coluna A o nome de cada colaborador e na coluna B os dias do mês.

Começar pelas colaboradoras, que têm direito a folgas de domingo a cada 15 dias, torna mais fácil a criação da escala de folga. Preenchidos os dias de folga de cada profissional, o restante de dias se torna dia de trabalho.

Já fez o teste e achou difícil fazer escala de folga no Excel? Existem formas mais práticas, é claro!

Controle de horas na escala de trabalho

Como você já percebeu, as escalas de folga são utilizadas para organizar a produtividade da empresa, criando uma rotatividade de funcionários que otimiza os resultados dentro do período útil adotado.

Para garantir que tudo ocorra como combinado, é preciso adotar um sistema de controle de ponto eficiente, que registre e acompanhe os principais dados. Além disso, ele vai ser a principal ferramenta de fechamento de folha de pagamento, identificando as horas trabalhadas, horas extras, adicional noturno e outros benefícios que tem ligação direta com a execução das atividades.

O papel do ponto digital

Existem diversas formas de realizar o controle de ponto de funcionários dentro de suas escalas. Em vez de perder um tempo precioso todo mês preenchendo planilhas e modelos de escala de folga, você pode adotar um sistema de controle de ponto digital com a função escala de trabalho.

Assim, é preciso planejar as escalas uma única vez, preenchendo os parâmetros necessários para que sua escala funcione perfeitamente: quantidade de dias ou horas de trabalho e quantidade de dias ou horas de descanso, assim como a escala de folgas.

A partir daí, é manter o controle sobre o que foi planejado, atuando pontualmente quando haja alguma falha, como a falta de um colaborador. É importante ressaltar também que pode ser que você precise de folguistas, isso é, pessoas para compor a equipe quando houver colaboradores demais de folga ou então em férias.

Uma das vantagens de ter um sistema de controle de ponto para criar a escala de folga é que os softwares homologados, como o Tangerino, já vêm parametrizados de acordo com o que a legislação vigente exige.

Dessa forma, você não precisa se preocupar se está fazendo a escala da forma correta ou não, pois o próprio sistema já organiza os dias de trabalho e folga segundo os parâmetros que você precisa.Viu como é fácil fazer escala de trabalho de acordo com a CLT? Que tal criar a sua em um aplicativo desenvolvido para facilitar essa organização? Teste o Tangerino grátis por 14 dias!

teste grátis 14 dias