Afinal, o que é endomarketing?

O endomarketing se caracteriza pela união entre o marketing e o RH visando atender as necessidades do público interno da empresa, os funcionários, e aumentar sua motivação, reduzir o turnover e mais.

Você já ouviu falar em endomarketing? Nos últimos anos, a conversa em torno do marketing, de uma forma geral, se intensificou e, com isso, muitos termos surgiram ou foram destacados na pauta.

Se você chegou até este post ainda em dúvida sobre a relevância de aprender mais este conceito, siga em frente com a leitura.

Neste conteúdo, vamos contar a você por que o endomarketing é uma importante estratégia para o setor de Recursos Humanos (RH) de uma empresa e quais são seus benefícios. Acompanhe!

Conceito de endomarketing: do que estamos falando?

Endomarketing

O prefixo “endo” vem do grego “endus” e significa “para dentro”. Com essa simples explicação, podemos avançar para o entendimento daquilo o que é endomarketing: trata-se do marketing realizado tendo em mente as ações dentro da empresa.

Também conhecido como marketing interno, o endomarketing pode ser compreendido como uma junção do marketing ao Recursos Humanos da empresa. Sendo assim uma estratégia voltada para o cliente interno.

Esse cliente nada mais é do que o público interno, ou seja, os funcionários da empresa. São aqueles que a empresa emprega, portanto, que são vistos como o target ou como o público alvo das estratégias de endomarketing.

Assim, o endomarketing estuda as necessidades dos funcionários da empresa para entender como criar condições, por meio de ações estratégicas, para que os profissionais tenham uma boa visão da empresa.

Seu principal objetivo é integrar a empresa aos seus funcionários por meio de uma comunicação interna uniforme e de outras estratégias que contribuam para que todos compartilhem da mesma cultura organizacional.

Endomarketing x employer branding

Se você já acompanha o blog do Tangerino, pode ser que já tenha lido nosso conteúdo sobre o que é employer branding e, a essa altura, esteja questionando a diferença entre este conceito e o conceito de endomarketing.

Por isso, vamos a um breve esclarecimento. Employer branding é o conjunto de estratégias que são adotadas para melhorar a imagem ou a reputação da empresa (ou do empregador) na visão de seus funcionários.

Com isso, nos resta dizer que o employer branding, assim como a comunicação interna e o marketing de incentivo, é uma das áreas do endomarketing. Ao longo da leitura, sua compreensão sobre o assunto vai se ampliar, tornando mais fácil entender o endomarketing como algo mais abrangente.

A importância e os benefícios do endomarketing para sua empresa

Agora que você já conhece o conceito de endomarketing, podemos falar sobre a sua importância e, consequentemente, de seus benefícios ― que abrem o caminho para que a relevância do marketing interno seja mais facilmente compreendida.

Por que o endomarketing é importante

Quando mencionamos o employer branding, ficou claro que há no endomarketing um papel de fazer com que os profissionais gostem da empresa. Isso é importante porque a reputação que a organização ou o empregador tem impacta a atração e a retenção de talentos.

O RH sabe, assim como todo gestor, que o turnover elevado é ruim para a empresa em vários sentidos. Além de passar a ideia de que a organização não é um bom lugar para se trabalhar, provoca perdas financeiras ao forçar novos processos seletivos e de treinamento, além de impactar a produtividade das equipes desfalcadas até a integração dos novos contratados.

Outro ponto que revela a importância do endomarketing também está relacionado aos efeitos que a retenção de talentos tem. O marketing interno está para o público profissional assim como o marketing “externo” está para os consumidores.

Quando o assunto é a venda de produtos ou serviços, o marketing ou propaganda boca a boca segue tendo seu poder. Se um consumidor gosta do que sua empresa oferece e se torna um cliente fiel, tem boas chances de ser um propagador voluntário de seus serviços ou produtos.

Da mesma forma, se um funcionário gosta de trabalhar na empresa, pode fazer propaganda positiva gratuita da organização, ajudando a atrair talentos e a criar em seus colegas o entendimento de que aquele é um bom lugar para se trabalhar.

Até mesmo funcionários que são desligados de forma amigável (demissão sem justa causa) ou que decidem deixar a empresa em busca de novos desafios podem ser propagadores entusiasmados de uma imagem positiva.

Assim, ainda que deixem de compor os quadros, podem seguir contribuindo para a boa reputação da sua empresa perante o mercado de trabalho e ao público em geral.

Quanto a isso, vale lembrar que existem até mesmo sites em que os trabalhadores podem publicar suas opiniões e informar outros a respeito, como o Glassdoor.

Os benefícios relacionados ao endomarketing

Com a importância do endomarketing em mente, vamos a alguns benefícios que esse processo gerencial pode trazer para a sua empresa:

  • Aumento do engajamento

Quando uma empresa consegue ter funcionários alinhados à sua cultura organizacional e felizes de estarem ali, consegue também profissionais mais engajados e motivados.

O endomarketing propicia isso porque seu foco no público interno ressalta a importância de uma comunicação clara e da transparência na relação entre a empresa e os trabalhadores.

Isso aumenta os níveis de confiança e até de pertencimento, algo que tende a instigar os trabalhadores a responderem demonstrando engajamento e agindo com motivação no cumprimento de suas tarefas;

  • Melhora da produtividade

A melhoria nos níveis de produtividade é basicamente uma consequência do aumento do engajamento e da motivação que o endomarketing proporciona.

Parte das estratégias do endomarketing busca não só a valorização como o bem-estar dos funcionários de uma empresa. Com isso, contribuem para que o clima organizacional seja melhor e isso também tem impacto na produtividade dos trabalhadores.

Como você bem sabe, o aumento da produtividade favorece a conquista de metas, o desenvolvimento dos talentos da empresa e o crescimento da organização;

  • Redução do turnover

Se há algo que mudou bastante nos últimos anos e tornou-se uma diferença sentida entre as gerações é a cultura do “tempo de casa”.

Anos atrás, em um passado não muito distante, um dos fatores atrelados ao sucesso e a qualidade de um profissional era o tempo em que este permanecia na mesma empresa. Ter longos anos de casa era sinal de qualidade e motivo para admiração.

Ainda, um profissional com um currículo repleto de experiências em empresas diferentes era questionado nos processos seletivos sobre o porquê de ter trocado de emprego tantas vezes. É certo que até hoje essa pergunta tem sua relevância, mas houve um tempo em que a desconfiança em relação ao pouco tempo em cada casa era uma realidade mais frequente.

Gradativamente, sobretudo com as mudanças no mercado trazidas pelas startups, uma nova cultura foi criada dando espaço ao entendimento de que a dinâmica da troca de empregos relativamente frequente pode ser positiva.

O entendimento é de que um profissional que vivencia diferentes realidades tem uma bagagem mais rica a apresentar em cada novo emprego, em cada nova empresa.

Sem nos prolongarmos mais nessas duas realidades que coexistem, toda essa reflexão foi feita para destacar que o turnover é uma realidade com a qual empresas precisam lidar diante de um mercado altamente rotativo.

Se, por um lado, é preciso saber acolher essa mudança, por outro, convém contar com estratégias que reduzam ou minimizem o turnover.

A ideia é fazer com que os talentos fiquem o máximo possível ― ainda que não seja uma vida inteira como acontecia antigamente ― para que tenham tempo o suficiente de agregar valor de forma significativa para a empresa.

  • Aumento do controle sobre a reputação

Uma empresa não pode, de fato, controlar seus funcionários ou ex-funcionários. Para os que ainda estão nos quadros, existem regras de conduta e normas internas que podem fazer com que uma propaganda negativa da empresa resulte em punição.

Em todo caso, porém, quando falamos em controle aqui, nos referimos a algo que acontece de forma natural e não por qualquer tipo de imposição.

Com isso, considere que, para falar com propriedade a respeito de algo ― inclusive de uma organização ― a pessoa precisa conhecê-la bem. Um profissional pode e provavelmente vai basear-se em suas experiências para recomendar ou não a sua empresa para o mercado ou para o público.

Com a adoção de estratégias de endomarketing o que sua empresa faz é criar condições para que essa recomendação seja positiva e fiel à realidade que cada funcionário vive em seu dia a dia de trabalho. Em outras palavras, a empresa consegue ter um controle maior de sua reputação;

  • Incentivo à lealdade dos profissionais

Se você juntar os dois benefícios anteriores ― redução do turnover e maior controle sobre a reputação ― encontra os argumentos que defendem a ideia de que o endomarketing favorece a lealdade dos profissionais.

Um sonho comum entre os gestores é que os profissionais “vistam a camisa” da empresa e isso é algo que pode se tornar realidade enquanto estes são funcionários e também quando deixam de ser.

A verdade é que há empresas que falham em dizer que apostam no endomarketing e em apresentar essa ideia aos funcionários, mas não colocá-las em prática.

Você provavelmente já ouviu ao menos uma história de um lugar que parecia ser legal para se trabalhar, mas que não era bem assim na opinião de quem passou por lá, não é mesmo?

Quando a empresa realmente mostra, na prática, que se preocupa e que adota estratégias de marketing voltadas para seu público interno, a situação pode dar um salto. Mais do que comprar um discurso de que essa preocupação existe, o trabalhador passa a ser uma testemunha disso.

Como consequência, tende a se tornar mais leal. Assim, coloca a realidade da empresa na balança mesmo que uma proposta financeiramente mais interessante apareça, fazendo do endomarketing bem feito um diferencial competitivo.

Além do mais, vale lembrar que não é sempre que um profissional escolhe deixar a empresa que ele vai para um concorrente direito.

Se sua empresa está no setor alimentício, por exemplo, um profissional do departamento financeiro que migra para uma empresa do ramo automobilístico não saiu para a concorrência. Por isso, nada o impede de seguir leal no sentido de recomendar e sempre propagar uma visão positiva do seu antigo local de trabalho.

As principais áreas e estratégias de endomarketing

Com tudo o que você sabe sobre o endomarketing até aqui, estamos prontos para seguir para as suas principais áreas e suas principais estratégias. Assim, você vai começar a ter uma visão ainda mais clara do que estamos falando.

As áreas do endomarketing

As principais áreas já foram citadas neste post, mas serão vistas com mais detalhes a seguir:

  • Comunicação interna

A comunicação interna tem por objetivo não apenas informar, mas também envolver e engajar os funcionários de uma empresa.

Quando pensamos no marketing tradicional, voltado para o público externo, precisamos tentar descobrir quais as melhores formas de estabelecer essa comunicação. Isso vale para os canais a serem utilizados, para a linguagem e até para a frequência dos informes ou interações.

A comunicação interna, como área do endomarketing, faz algo bem parecido, mas considerando as características, preferências e necessidades do público interno.

Em suma, a ideia não é somente que a empresa crie canais de comunicação interno, mas estude o perfil de seus funcionários e sua realidade para entender quais canais serão mais bem aceitos e mais eficientes.

Ao fazer isso, a empresa cria melhores condições para que seus recados sejam transmitidos, sua cultura seja conhecida e absorvida e para que os funcionários se sintam à vontade para manifestar suas ideias.

Um funcionário que trabalha em um ambiente em que sua opinião é claramente bem-vinda ou que há liberdade para comunicar suas dores e dificuldades tende a se sentir mais confortável. Algo que culmina em engajamento, motivação, lealdade e mais;

  • Employer branding

O employer branding está associado ao employer brand, ou seja, à “marca empregadora”. Suas ações têm por objetivo fazer com que os funcionários construam uma imagem positiva da marca da empresa e propaguem essa imagem, em especial para o mercado.

Para que estratégias de employer branding sejam adotadas, mais uma vez a empresa precisa voltar seus olhos para dentro para conhecer a realidade dos funcionários e de seu contexto de trabalho.

É com base nisso que a empresa vai entender como é que os profissionais enxergam a empresa atualmente, o que eles valorizam e o que gostariam de vivenciar na organização. Informações que tendem a contribuir para que estratégias sejam traçadas e implementadas.

Você pode saber mais sobre como o RH pode colocar o employer branding em prática conferindo o post publicado no blog do Tangerino;

  • Marketing de incentivo

Por fim, outra área do endomarketing que merece destaque é a do marketing de incentivo: um conjunto de ações que utiliza de premiações e bonificações para manter os funcionários motivados a conquistar metas e outros objetivos.

A verdade é que as demais áreas mencionadas são de suma importância para o endomarketing, mas não se deve ignorar o poder mais imediato de prêmios e bônus concedidos aos funcionários.

Nessa área, definem-se as recompensas que podem ser apresentadas pela empresa a um funcionário ou a um grupo de funcionários com base nos objetivos que precisam ser alcançados.

O processo, como haveria de ser, se inicia com análise de desempenho, planejamento ― inclusive orçamentário ― implementação e análise de resultados.

Em todo caso, queremos destacar algo importante: o marketing de incentivo, por si só, não é eficiente para gerar resultados profundos para a empresa.

Pode ser que ao ler que o marketing de incentivo se traduz em uma área de resultados mais imediatos, você tenha pensado ser uma boa ideia focar somente ou mais nele do que nas outras áreas do endomarketing. Não se engane.

É provável que você tenha percebido que as áreas apresentadas conversam entre si, sobretudo a comunicação interna e o employer branding. Isso significa que focar em cada uma isoladamente pode sim trazer resultados, mas não tão satisfatórios quanto os que a empresa pode alcançar se equilibrar as áreas.

Um funcionário que é bonificado a cada conquista de meta pode se sentir mais motivado e até gostar mais da sua empresa. Entretanto, se a comunicação é falha e se o clima não é bom porque a bonificação não mascara a má imagem da empresa, os efeitos não serão duradouros.

Estratégias de endomarketing para a sua empresa

Como processo gerencial, o endomarketing não tem uma receita de bolo. Dizer isso é o mesmo que dizer que existem diferentes estratégias de endomarketing que podem ser adotadas, mas que isso varia de empresa para empresa e até em função dos objetivos buscados.

Por isso, tenha em mente que sua empresa não precisa abraçar todas as estratégias que apresentaremos a seguir, tampouco se limitar a elas. Lembre-se do conceito de “endo” como “para dentro” e busque aquilo o que melhor se aplica à sua realidade.

  • Realização de pesquisas de satisfação

Depois de efetuar uma compra online ou tratar de alguma questão com um atendente de telemarketing, você já recebeu uma solicitação para avaliar o produto ou o atendimento?

A ideia de ouvir os clientes é estratégica para que empresas consigam melhorar cada vez mais seu catálogo de produtos ou a qualidade de seus serviços, incluindo o atendimento e sua capacidade de solucionar problemas.

Isso nos leva ao entendimento de que a empresa não precisa adivinhar ou ser capaz de deduzir tudo o que seus funcionários precisam.

As pesquisas de satisfação ― ou as pesquisas de clima organizacional ― são um bom norte para que a empresa tenha mais clareza quanto a visão que seus funcionários têm do ambiente de trabalho como um todo.

Por meio, a empresa se permite olhar para dentro, como sugere o endomarketing, e entender quais são pontos cruciais a serem trabalhados estrategicamente;

  • Definição de novos canais de comunicação

Como mencionado, ao observar o público interno e analisar suas características e necessidades, uma das propostas de endomarketing é que canais de comunicação mais apropriados à empresa e seus profissionais sejam definidos.

Para isso, vale colher as opiniões dos funcionários para saber por quais meios eles preferem se informar e se comunicar e também fazer testes.

Entre as opções, sua empresa pode apostar em um mural de recado, em caixas de sugestões, em aplicativos mobile ou soluções de intranet e outros. Além disso, convém estabelecer uma cultura em que a interação face a face, ou seja, o diálogo direto também seja bem-vindo.

O objetivo é aumentar a sensação de que todos têm voz na empresa e direito de expressar suas opiniões, preocupações e dificuldades. Ainda, tornar a relação entre as partes mais transparente e agradável;

  • Definição de campanhas de integração

O processo de integração de novos funcionários já faz ou deveria fazer parte da rotina do RH da empresa. Quando pensamos em estratégias de endomarketing, o crucial é entender que as campanhas de integração não precisam se limitar aos novatos.

Por vezes, pessoas que trabalham juntas há mais tempo se comunicam pouco e se conhecem pouco. Mudar isso, respeitando os limites individuais e a privacidade de cada um, tende a contribuir para a melhoria do clima organizacional e para o sucesso dos trabalhos em equipe.

Apresentações institucionais, um fim de semana juntos ou até um simples happy hour podem ser planejados como medidas de integração dos funcionários da empresa;

  • Realização de eventos para o público interno

Assim como programas de integração sugerem a interação entre os funcionários, alguns eventos internos podem cumprir a mesma premissa. É o caso, por exemplo, de um café da manhã especial ou da criação de alguma tradição para a celebração de aniversários. 

Como complemento ou alternativa, a empresa pode programar também realização de eventos que agreguem valor para os profissionais.

Palestras motivacionais, workshops e programas de treinamentos são bem vindos e mostram que há uma preocupação com o bem-estar e o aperfeiçoamento constante dos funcionários.

Profissionais querem ser bem-sucedidos e crescer em suas carreiras. Esses eventos mostram que a empresa apoia e contribui para esses objetivos, o que os fazem se sentir valorizados e contribui para torná-los leais;

  • Criação de novos benefícios para os funcionários

Para finalizar nossos exemplos de estratégias de endomarketing, citamos a criação de novos benefícios ou a definição de benefícios mais apropriados aos perfis e necessidades dos funcionários.

No blog, temos um post sobre gestão de benefícios e seus impactos na relação com os funcionários em que apresentamos esses benefícios como estratégia e damos dicas do que oferecer aos profissionais da sua empresa.

O papel do RH na implementação do endomarketing

Anteriormente, quando explicamos o que é endomarketing, apontamos a junção entre o marketing e o RH. É possível que, ao longo da leitura, você já tenha entendido como essa relação se dá e qual é a sua importância.

Para evitar dúvidas, vale esclarecer que o setor de RH tem papel crucial porque o público interno ao qual se dedica diariamente é também o target do endomarketing.

É possível que os profissionais responsáveis por elaborar as estratégias de endomarketing tentassem fazê-las sem a ajuda do RH, mas seria contraprodutivo, além de ter chances de não produzir os melhores resultados possíveis.

Ao falarmos sobre as principais estratégias, mostramos que parte delas está relacionada a ações e rotinas que já são conhecidas do RH. É o caso, por exemplo, das pesquisas de integração e da realização de campanhas e eventos de integração, treinamento e desenvolvimento.

Assim, o RH vai compartilhar seus conhecimentos e sua expertise com quem vai atuar junto na análise do cenário interno da empresa para identificar necessidades e preferências dos funcionários.

No dia a dia, inclusive, já é parte da missão do setor de Recursos Humanos estar atento às demandas dos funcionários da empresa, visando solucionar seus problemas em prol de um clima organizacional melhor.

Assim sendo, o endomarketing leva isso a um novo nível permitindo que o RH contribua para que o marketing esteja devidamente embasado para avaliar as possíveis medidas de endomarketing e escolher aquelas que mais se adequam à realidade da empresa.

A relação entre o endomarketing e o controle de ponto

Para encerrar este post, vamos a uma questão prática que deve ajudar você a compreender ainda melhor o quão abrangentes podem ser os efeitos das estratégias de endomarketing.

Desde a Lei de Liberdade Econômica ― lei n° 13.874, de setembro de 2019 ―, apenas empresas com mais de 20 funcionários são obrigadas a contar com um sistema de marcação de ponto.

Apesar disso, existem diferentes motivos para investir em um software de controle de horas como o Tangerino, inclusive para empresas que não são legalmente obrigadas a fazê-lo. Entre esses motivos estão o controle da produtividade dos funcionários e a integração com a folha de pagamentos, evitando erros de cálculo e suas consequências.

Empresas que têm obrigação de contar com registros das jornadas de seus funcionários podem enfrentar dificuldades para fazer com que os funcionários não se esqueçam ou se comprometam com as marcações. Aquelas que não têm essa obrigatoriedade podem encarar um desafio ainda maior.

Para as primeiras, pode haver consequências graves, inclusive jurídicas, em decorrência da não marcação de ponto. Para as segundas, os benefícios do uso de um sistema de controle de jornada acabam se perdendo.

Para evitar essas situações, gestores e RH precisam encontrar formas de criar um senso de urgência e relevância em relação a marcação de ponto, mas fazendo com que isso se torne um hábito positivo. Em outras palavras, evitando que os funcionários se sintam pressionados demais ou cobrados demais a fazer essa marcação.

O endomarketing pode ajudar a empresa a descobrir por quais motivos os funcionários não são regulares nas marcações e definir estratégias. A comunicação interna, por exemplo, pode ter como um de seus focos a explicação da importância da marcação de ponto para ambas as partes, empregador e profissionais.

Se sua empresa ainda conta com sistemas mais antigos, o olhar para dentro do endomarketing pode contribuir para o entendimento de que talvez seus funcionários careçam de um sistema mais moderno, prático e rápido de usar ― como o aplicativo Tangerino.

Gostou do post? Leia sobre a importância do capital humano de sua empresa e prepara-se melhor para implementar o endomarketing!

teste grátis 14 dias