Teste Comportamental: Como Avaliar o Perfil de Seus Funcionários

Teste comportamental é uma estratégia que visa a identificar tendências de comportamento dos colaboradores a fim de agir de acordo com o perfil de cada um. Esse é um recurso aliado de todos os processos de RH.

Não vamos começar este texto reforçando uma informação um tanto óbvia, principalmente para quem lida com pessoas, que é o quanto os indivíduos são diferentes uns dos outros, pois disso você já sabe, certo? 

No entanto, queremos chamar a sua atenção para as ações que o seu RH coloca em prática a partir desse entendimento e a utilização do teste comportamental na sua empresa.

A análise comportamental é levada em consideração desde o processo seletivo até o desligamento dos colaboradores? Pode parecer estranho, mas inclusive no momento da demissão esse tipo de avaliação deve ser observado, já parou para pensar nisso?

Se não, é bom conhecer uma ferramenta aliada de todo profissional de RH, que é o teste de perfil comportamental, bem como entender seu funcionamento e tirar o melhor proveito dele. 

Caso já o conheça, talvez pontos importantes como entender o impacto desse processo e por que adotá-lo de uma vez por todas possam ser relevantes para a sua gestão de pessoas. Então, não perca a leitura, aprenda e atualize-se!

Neste artigo abordaremos os seguintes tópicos:

O que é perfil comportamental e quais são os tipos

O que é perfil comportamental e quais são os tipos

De maneira geral, definimos as pessoas que convivem conosco como simpáticas, comunicativas, sistemáticas, tímidas ou organizadas, por exemplo, certo? 

Muitas vezes, atribuímos a quem vive ao nosso redor características que definem parte da sua personalidade. 

Isso é possível devido ao comportamento de cada um: como reagimos às diversas situações em casa, no trabalho, na escola e no ambiente social.

No campo profissional — principalmente para a área de RH e gestão de pessoas — esse tipo de definição é feito de maneira relativamente parecida, porém, de forma bem mais estruturada, tendo métodos e padrões cientificamente comprovados como parâmetros.

A metodologia DISC foi quem deu início aos estudos sobre o comportamento profissional nesse sentido e definiu o conceito de perfil comportamental: o modo de agir e a postura de alguém mediante às situações que ocorrem no ambiente profissional. 

Por isso, podemos dizer que o perfil comportamental é determinante na trajetória de um colaborador e ele define como será a aderência do profissional no time e na empresa.

Isso quer dizer que o principal fator para ter sucesso ou não no trabalho é o comportamento (ou a atitude) desse indivíduo. 

Independentemente do cargo e da complexidade das atividades, as suas ações é que servirão de base para o desdobramento da sua carreira.

Aproveite que está por aqui e confira também:
👉 Entenda o que é avaliação de desempenho, seus conceitos e benefícios
👉 Capacitação interna: investindo em sua equipe
👉 Outplacement: veja o que é e quais os principais benefícios
👉 Como melhorar seus treinamentos com uma plataforma LMS

Mas o que significa DISC, afinal?

O termo DISC conceitua as iniciais de “Dominance” (dominância), “Influence” (influência), “Steadiness” (estabilidade) e “Conscientiousness” (cautela). 

Essa é uma metodologia que surgiu na década de 20 para explicar as emoções dos indivíduos por meio de suas reações.

Seu precursor foi o PhD em Psicologia, William Moulton Marston, e a partir de seus estudos surgiram vários outros que serviram de aperfeiçoamento para a metodologia DISC

De maneira resumida, ela define quatro perfis comportamentais principais nos indivíduos:

  1. dominância: característica predominante em pessoas que sabem — e gostam de — lidar com desafios e apreciam ter controle e poder sobre as situações;
  2. influência: pessoas que têm esse perfil como o mais marcante são exímias comunicadoras, têm bom relacionamento interpessoal e o dom de influenciar os demais;
  3. estabilidade: são indivíduos que gostam de estabilidade, rotina e costumam ser dotados de paciência e persistência;
  4. cautela (ou conformidade): essas pessoas lidam bem com estruturas mais rígidas, gostam de organização e de tudo planejado. Agem pouco pela emoção e mais pela razão.

Certamente, todas as pessoas têm características de dois ou mais perfis e não há um único, fixo ou exato. 

O mais importante aqui é entender os atributos mais marcantes e predominantes e que, por consequência, influenciam o comportamento dos indivíduos.

Por que é importante entender os diferentes perfis

Por que é importante entender os diferentes perfis

Compreender os tipos de pessoas, de acordo com uma metodologia reconhecida mundialmente, é um ponto de partida essencial para direcionar todas as atividades de RH em uma empresa. 

Como você conferiu no início, lidamos com diferentes comportamentos dos colaboradores e gestores em todos os momentos na companhia, passando pela admissão à demissão.  

Mas por que isso acontece? Pense na necessidade de preencher as vagas de setores que contam com muitas atividades estratégicas como analistas de risco, de business partner, entre outros. 

Essas são posições que exigem que o profissional tenha, entre outras características, um pensamento mais analítico, uma visão global de negócio e de mercado e, sobretudo, paciência. 

Ter em mente a necessidade de o trabalhador ter essas atribuições para ocupar o cargo permite que o recrutador não opte, por exemplo, por pessoas mais imediatistas, que querem ver resultados rápidos ou que não sabem trabalhar sob pressão.

Contudo, o RH só conseguirá identificar essas características a partir do entendimento do perfil individual. 

Outro ponto importante de conhecer os perfis comportamentais se dá quando há a necessidade de realocação de funcionários em vez de demiti-los. 

Se um colaborador está insatisfeito ou improdutivo em determinado setor, é possível mudá-lo de atividade e aproveitar outros pontos fortes que, de fato, ele tem. 

Esses processos são chamados de reskilling e upskilling. Veja abaixo as diferenças entre eles.

Diferença entre reskilling e upskilling

Assim, tanto o profissional quanto a empresa ganham por direcionar competências e talentos.

Como os perfis comportamentais afetam a gestão da empresa

A resposta mais objetiva para essa pergunta é: afeta a todos os setores e impacta todas as atividades de uma companhia; com maior ou menor intensidade. Como assim? 

Entenda que quando o perfil de um profissional não é traçado de maneira correta, ele não consegue se desenvolver bem, seja na prática de suas tarefas, seja no relacionamento com seus colegas e líderes. No fim, todos os processos serão impactados por causa disso.

Somente a partir do conhecimento do perfil de cada integrante é que os gestores e o RH conseguirão elaborar estratégias eficientes e realmente úteis para cada um, tanto quanto à sua capacitação, quanto à motivação e ao desenvolvimento dentro da empresa.

Por isso, podemos dizer que a produtividade do time, inclusive, está diretamente relacionada ao comportamento de cada um e ao modo como são estimulados pela companhia para aprimorar os pontos fracos e reforçar os pontos fortes.

O que é o teste comportamental

O que é o teste comportamental

Após entender os diferentes tipos de perfis, saiba que o teste comportamental é uma ferramenta utilizada por empresas para identificar traços comportamentais de seus colaboradores ou de candidatos durante um processo seletivo. 

Em outras palavras, é o diagnóstico do perfil de cada profissional. Esse recurso é fundamental para o setor de Recursos Humanos atuar de forma inteligente e deve ser utilizado de forma estratégica para:

  • mapear perfis;
  • identificar habilidades necessárias para execução de atividades ou a compatibilidade para atuação em cargos estratégicos;
  • integrar colaboradores com habilidades diferentes para ter uma equipe diversa e produtiva;
  • descobrir novos líderes;
  • ajudar os colaboradores na busca pelo autoconhecimento e pela inteligência emocional do trabalho;
  • direcionar corretamente tarefas específicas para momentos delicados, como em uma crise.

Como funciona o teste comportamental?

Embora o mercado de alguns anos atrás permitisse a realização apenas de questionários impressos e que deveriam ser respondidos manualmente pelos colaboradores, atualmente existem diversos tipos de testes comportamentais.

Os questionários ainda são utilizados, mas as áreas de RH estão cada vez mais atentas à necessidade de investir na tecnologia para a realização otimizada desses testes. Afinal, o RH 3.0 não é só uma realidade, mas uma necessidade para as empresas.

Além de oferecer muito mais agilidade, os softwares especializados na realização desse tipo de análise permitem a coleta e um cruzamento muito maior de informações que são capazes de mapear os perfis de modo bem mais eficiente. 

Temos ainda as entrevistas, as dinâmicas de grupo e a simulação de cenários como outros formatos de testes de análise comportamental que estão entre os mais utilizados no mercado; por isso, cada método funciona de forma diferente.

Quais as diferenças entre teste comportamental e teste de personalidade?

O teste de personalidade avalia características mais profundas que o teste de perfil comportamental e, por isso, só deve ser realizado por um psicólogo. Entre outros aspectos, ele avalia o modo de pensar, de agir e de sentir de cada indivíduo.

Como o teste de personalidade busca identificar aspectos intrínsecos e mais complexos do profissional, ele costuma ser utilizado em cargos mais estratégicos, pois a sua realização tende a ser mais demorada e o custo mais alto.

Já o teste comportamental tem o objetivo de mapear o perfil do indivíduo e distinguir quais são seus traços comportamentais mais predominantes. 

Ou seja: embora altamente eficaz, ele não tem viés psicológico tão profundo, e sim mais voltado para as ações de cada um.

A avaliação comportamental pode ser aplicada por profissionais de RH e costuma ser mais utilizada pelas empresas nos processos de recrutamento e seleção. 

Ela também oferece dados para as atividades do setor por meio das informações colhidas pelo People Analytics.

Em resumo, podemos distinguir essas duas abordagens como: uma é mais focada em identificar a personalidade do indivíduo em seus aspectos mais profundos (teste de personalidade) e a outra concentra-se em entender como essa pessoa tende a se comportar nos ambientes.

As principais vantagens do teste comportamental

As principais vantagens do teste comportamental

Um dos principais benefícios do teste de perfil comportamental é avaliar se o colaborador tem o fit cultural com a empresa, ou seja, se tem um perfil alinhado com a cultura da organização. 

Mas não é só isso que o teste consegue avaliar! Confira abaixo outros vários proveitos:

  • auxilia o RH a fomentar ações de curto, médio e longo prazos;
  • contribui para a redução de turnover, uma vez que os colaboradores estarão posicionados nas atividades corretas e desempenhando aquilo que têm mais afinidade;
  • otimiza o tempo necessário para triagem dos candidatos certos para o processo de recrutamento e seleção;
  • ajuda a identificar a motivação e energia de um colaborador ao executar suas tarefas;
  • permite a elaboração da avaliação de desempenho mais direcionada a cada perfil; 
  • é um facilitador para que o RH realize treinamentos mais focados nas necessidades e no crescimento de cada profissional;
  • possibilita que o setor trabalhe as competências certas em cada profissional e não desperdice tempo e energia tentando desenvolver algo que não motiva o funcionário;
  • garante um processo de formação de lideranças muito mais orientado e estratégico;
  • ajuda o RH a elaborar processos de onboarding e integração mais efetivos para quem está chegando na companhia;
  • permite que os gestores ofereçam um feedback mais claro e preciso, de acordo com a capacidade de discernimento e o nível de maturidade de cada profissional.

Avaliação comportamental e o papel do RH

Avaliação comportamental e o papel do RH

Lidar com o comportamento das pessoas — principalmente considerando-se as várias diferenças entre elas — não é uma tarefa muito fácil para quem atua com Recursos Humanos, concorda? 

É exatamente por isso que o RH deve enxergar no teste comportamental um aliado para ser mais preciso e estratégico nos processos que são voltados para o capital humano. 

Além disso, o setor é capaz de tomar decisões com muito mais segurança quando tem informações valiosas obtidas pelos testes comportamentais à sua disposição. Também podemos destacar a escalabilidade do teste comportamental.

Isso significa que a ferramenta pode ser aplicada para um grande número de funcionários ao mesmo tempo, de maneira uniforme e sem a necessidade de grandes adaptações. Se o processo for digital ou automatizado, o setor tem ainda mais benefícios. 

Outro ponto a ser observado pelos gestores é sobre como o processo de recrutamento e seleção tende a ser mais ágil quando há uma análise prévia dos candidatos por meio da avaliação comportamental. 

Convenhamos que o departamento já é repleto de atividades e responsabilidades, por isso o tempo deve ser utilizado de forma estratégica. 

Tendo isso em mente, quanto mais objetivas e rápidas forem as etapas, mais o RH tende a ser eficiente na seletição.

Como realizar um teste comportamental

Como já é do seu conhecimento, não existe um único modelo de teste comportamental e eles podem ser dos mais tradicionais, feitos com papel e caneta, aos mais sofisticados, por meio de softwares especializados.

Ao observar isso, é importante conhecer bem a realidade e a cultura da sua empresa para propor o tipo mais adequado de avaliação comportamental e aplicá-lo no seu time. 

Também é preciso preparar um planejamento para definir quais serão as ações iniciais para o teste. 

Como você também viu, ele é útil em todos os processos de gestão de pessoas e isso faz com que cada etapa tenha de ser elaborada com atenção.

No entanto, independentemente do formato escolhido, é preciso que a análise comportamental seja documentada, que os dados sejam coletados de forma legítima e que os resultados sejam mensurados e utilizados no final do processo.

A coleta e o aproveitamento correto dessas informações são ações fundamentais para que o teste de perfil faça sentido para a empresa e seja um parceiro para implementar melhorias internamente. Afinal, dados que não são utilizados são informações inúteis.

Principais testes aplicados

Além da metodologia DISC que já abordamos para introduzir este texto, a seguir, vamos apresentar os tipos de testes mais utilizados pelos departamentos de RH e explicar um pouco sobre cada um deles. Não deixe de conferir!

Teste comportamental dos bichos

De maneira semelhante ao teste DISC, a Teoria da Dominância Cerebral, mais conhecida como o teste comportamental dos bichos, divide o cérebro humano em quatro partes: analítico, organizador, relacional e experimental. 

Assim, cada perfil acima é identificado por um animal: tubarão, gato, águia e lobo, e cada um deles tem características predominantes que definem seu comportamento. Porém, o foco aqui é identificar o lado mais criativo situado em cada indivíduo. 

Por meio de um questionário com mais de cem questões de múltipla escolha, a pessoa aponta suas tendências comportamentais, preferências, visão e valores que, juntos, são capazes de apontar o perfil predominante.

Teste comportamental dos bichos

Resumidamente, os animais são definidos por características como:

  • tubarão: proatividade e ação. São pessoas focadas em resultados, gostam de agilidade e são determinadas em busca de uma meta;
  • gato: comunicação e relacionamento interpessoal. Esses indivíduos são brincalhões, amigáveis e gostam de ser o centro das atenções. São receptivos, atuam bem em equipe e preferem trabalhar com pessoas do que sozinhos;
  • águia: idealização e capacidade de enxergar longe. Profissionais com esse perfil costumam voar alto, pois são bastante visionários, criativos e gostam de mudanças;
  • lobo: organização e observação. Essas pessoas não recebem o título de lobo à toa, pois são cautelosas, observadoras e pensam bastante antes de tomar decisões. Apreciam agir com estratégia e de forma ordenada.

Teste de perfil IAC

Esse tipo de avaliação recebe o nome de Inventário de Aderência Cultural (IAC) e é composto por 84 questões que têm o objetivo de identificar o fit cultural do profissional e avaliar se ele está alinhado com a cultura organizacional.

Nesse formato são observadas seis dimensões comportamentais:

  1. orientação a resultados x orientação para processos;
  2. orientação ao trabalho x orientação para o colaborador;
  3. cultura profissional x cultura paroquial;
  4. cultura normativa x cultura pragmática;
  5. sistema aberto x sistema fechado;
  6. controle rígido x controle fraco.

A partir das respostas do questionário, é possível entender os costumes e valores do profissional e identificar se tanto a cultura da empresa quanto a do indivíduo podem converter em boas relações de trabalho e se ele será aderente ou não à organização.

Teste de perfil STAR

Para finalizar nossas sugestões de testes de perfil comportamental mais usuais, temos um método de entrevista sobre uma situação já vivida pelo profissional.

O nome desse tipo de análise vem de “Situação”, “Tarefa”, “Ação” e “Resultado” e visa entender como o trabalhador já lidou com eventos do passado e, a partir disso, traçar tendências de comportamento para o futuro.

Teste de perfil STAR

Nesse teste, o recrutador solicita que o candidato descreva um desafio profissional já vivenciado com o máximo de detalhes possível. 

A partir daí, é preciso questionar como ele resolveu a situação, o que tirou de lição e outras perguntas relevantes para o processo.

Conclusão 

Pensar na importância do teste comportamental tem tudo a ver com a quantidade de energia que o setor de RH e os gestores precisam direcionar para lidar com cada colaborador, não é mesmo? 

No entanto, quando falamos em gasto de energia, também estamos falando de tempo, motivação, produtividade, investimento financeiro, na saúde do clima organizacional e em todo o panorama empresarial que precisa estar totalmente alinhado.

Por isso, tenha em mente que é por meio da análise comportamental que você conseguirá desenvolver os colaboradores em benefício desses aspectos — ou entender quando não será mais preciso gastar energia com eles — e a partir disso verá que a empresa vai evoluir consideravelmente.

É isso que você precisa para elevar o potencial dos seus funcionários e impulsionar os resultados? Então, o que acha de complementar essa leitura e conferir técnicas valiosas para melhorar a sua gestão de pessoas? Baixe gratuitamente o nosso e-book!

teste grátis 14 dias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.