As Principais Tendências de Gestão de Pessoas Para 2021

Muita coisa mudou em 2020, e essas mudanças viraram verdadeiras tendências de modernização para o ano de 2021, como home office, RH digital, People Analytics e muito mais!

Tempo de Leitura: 15 minutos

Última atualização em 26 de julho de 2021

O ano de 2020 foi, no mínimo, atípico, no qual a pandemia, o isolamento social e um medo generalizado nos forçaram a mudar nossa rotina por completo. E é nesse contexto que elencamos as principais tendências de gestão de pessoas para 2021!

As mudanças impostas em nossas vidas tiveram que ser implementadas de maneira rápida, fazendo com que várias empresas ficassem sem saber o que fazer. 

E não foram somente as empresas que ficaram confusas, vários funcionários tiveram que aprender rapidamente a utilizar soluções baseadas na nuvem e a trabalhar em casa.

O RH foi um dos departamentos que mais teve que “sambar” para dar conta de tanta mudança, uma vez que ele é o responsável por realizar essa transição do meio empresarial para o doméstico.

Venha descobrir as principais tendências de gestão de pessoas para 2021 e evite ser pego de surpresa de novo.

O que mudou no último ano: veja como os acontecimentos de 2020 direcionaram as tendências

O que mudou no último ano e as tendências de Gestão Pessoas

Empresas de diversos ramos precisaram ser rápidas para se adaptar às mudanças bruscas exigidas pelos acontecimentos de 2020. 

Checklist do RH

Algumas dessas mudanças foram implementação de tecnologia para o trabalho híbrido, flexibilização do trabalho, digitalização de coleta de dados internos dentre diversas outras.

É claro que esse tipo de novidade impactaria profundamente a cultura das empresas em geral e modificaria também as principais tendências para os anos seguintes. Vamos ver quais são elas!

Não deixe de conferir também estes artigos:
👉 Marcação de ponto online é realmente seguro?
👉 Dinâmica online: adaptando a gestão ao home office
👉 Home Office: ferramentas para manter a produtividade
👉 Teletrabalho e home office: quais são as principais diferenças?

Gestão de pessoas na pandemia

Aqui no blog estamos sempre falando sobre como a gestão de recursos humanos é algo primordial para qualquer empresa. Mesmo que muitos falem sobre a pandemia, as principais mudanças que aconteceram foram humanas.

Sendo assim, a pandemia da covid-19 desafiou o RH a se reinventar e até mesmo se modernizar para atender às novas necessidades.

Isso aconteceu principalmente pela adoção acelerada de tecnologias para suprir o que era feito pessoalmente de forma online. Foi o momento de se familiarizar com microfones, câmeras, videoconferências e diversos formulários online.

Dessa forma, a gestão informatizada de RH foi uma obrigação em 2020 e se consolidou como o futuro do RH.

Apesar das condições em que esses sistemas tiveram que ser implementados, a longo prazo, é uma verdadeira transformação no setor. 

Isso porque permitiu que férias, bônus, rescisões e outras questões de people analytics fossem completamente digitalizadas.

Isso possibilita, inclusive, a automatização do RH, possibilitando que os colaboradores desse setor foquem os seus esforços em processar os dados e gerar informações que farão uma gigantesca diferença para que a gestão tome decisões estratégicas.

Os desafios do home office durante a pandemia

Um dos principais desafios que surgiram devido ao isolamento social foi a implementação do home office, especialmente para empresas que não tinham uma infraestrutura digital já estabelecida.

Então, além de correr atrás de soluções digitais que realmente suprissem as necessidades específicas da empresa, há também a questão de fazer com que os colaboradores se familiarizem com esse novo ambiente.

Esse foi justamente um dos principais desafios para o RH e para a empresa como um todo: fazer com que todos estivessem à vontade nesse ambiente digital sem que isso afetasse a produtividade da empresa.

Na verdade, foi observado justamente o contrário, o trabalho em home office tende a aumentar a produtividade dos colaboradores, como nos revela uma matéria da Revista Galileu.

Um estudo da Universidade de Stanford nos Estados Unidos utilizou dois grupos para tirar essa conclusão. 

Um deles trabalhou em casa e o outro seguiu a rotina normal e o resultado foi que: 

“[…] a turma que trabalhou do conforto do seu lar teve uma performance 13% melhor do que de costume. Esse número é motivado por duas questões principais – eles ficavam menos doentes e faziam menos pausas, além de conseguir realizar mais ligações devido ao ambiente silencioso que os cercava.”

Um resultado semelhante também foi observado segundo uma pesquisa realizada pela DataSenado.

Aproveite e tire suas dúvidas sobre o conceito de home office!

As leis trabalhistas que mudaram em 2020

Outro ponto de mudança importante para determinar as novas tendências do RH e da gestão de empresas no Brasil são as leis trabalhistas. 

Você pôde acompanhar todas essas mudanças por meio dos nossos conteúdos aqui no blog, mas vamos fazer uma rápida retrospectiva para quem está chegando agora.

O processo de demissão 

O processo de demissão é algo bastante moroso tanto para a empresa quanto para o colaborador, especialmente se não existe nenhum plano de recolocação profissional.

Existem algumas formas de demissão previstas pela CLT e também por alguns acordos coletivos e individuais, que são:

Esses são os modelos já existentes, e agora existe ainda uma quinta forma: o acordo consensual.

Nesse tipo de demissão, o empregado recebe o valor correspondente à rescisão. Contudo, é uma quantia menor do que a recebida por alguém demitido sem justa causa.

O que mudou em relação às férias

Antes, a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) determinava que as férias seriam de 30 dias consecutivos, salvo algumas exceções, como a falta injustificada

Além disso, existia a possibilidade de as férias serem fracionadas em dois períodos de, no mínimo, dez dias.

Hoje, há um pouco mais de flexibilidade para a concessão de férias. O Art. 134 da CLT foi atualizado e agora é possível dividir as férias em três períodos, sendo que:

  • um dos períodos deve ter, no mínimo, 14 dias corridos;
  • os demais podem ser inferiores a cinco dias corridos.

Lembrando que “é vedado o início das férias no período de dois dias que antecede feriado ou dia de repouso semanal remunerado.”

A MP 936 de 2020 ou lei 14.020/20

A MP 936 foi sancionada pela Câmara dos Deputados e Senadores e virou lei, ou seja, está em vigência e deve ser respeitada.

A medida prevê a redução na jornada de trabalho e a suspensão de contratos de trabalho com o objetivo de garantir a continuação das atividades empresariais e a preservação do emprego.

  • Redução da jornada de trabalho

Para os empregadores que optarem por reduzir a jornada de trabalho, é possível diminuir até 70% da carga horária e do salário de forma proporcional

Isso quer dizer que, ao diminuir 20% da jornada, é possível diminuir 20% do valor do salário.

Essa redução pode durar até 120 dias, contudo, há uma contrapartida: o empregador que fizer isso não pode demitir o empregado por determinado período. 

Por exemplo, se o colaborador tiver o salário reduzido por um mês, o seu emprego está garantido por um período igual.

  • Suspensão de contrato

A suspensão de contrato pode ser realizada por um período também de 120 dias e ainda de forma fracionada. 

Ou seja, é possível suspender o contrato em períodos intercalados que tenham, pelo menos, dez dias.

Vale salientar que ambas as medidas (redução e suspensão) são somente válidas no período de calamidade pública determinada no mês de março. 

Dessa forma, uma vez que a situação da pandemia seja controlada e esse estado suspenso, os contratos devem ser restabelecidos no prazo de dois dias corridos.

As tendências de gestão de pessoas para 2021: descubra no que investir em sua empresa

Agora que já compreendemos os acontecimentos que motivaram as principais tendências para 2021, podemos discuti-las diretamente.

Também é importante salientar que diversas dessas tendências já eram algo certo para o futuro, como é o exemplo do home office.

Contudo, a pandemia acelerou o processo de adoção por parte das empresas, que não tiveram escolha frente à criticidade da situação.

Bem, agora vamos ver o que os negócios devem levar em consideração para ter uma vantagem competitiva a partir deste ano. Está preparado?

Trabalho híbrido

Existem diversos motivos pelos quais o modelo de trabalho híbrido é uma tendência para 2021. Afinal de contas, há vantagens tanto para a empresa quanto para o colaborador.

Antes de entrar a fundo nesse assunto, é importante deixar claro que esse modelo de trabalho não é o teletrabalho. 

O teletrabalho é realizado de forma totalmente remota e não demanda controle de jornada de trabalho.

Modelo de Contrato Home Office

Com essa confusão de conceitos fora do caminho, podemos prosseguir.

Hoje, o modelo híbrido está tão em alta entre as empresas que, segundo uma pesquisa da Gartner, 82% das empresas brasileiras já o preferem.

A grande questão agora é outra, como nos diz Elisabeth Joyce, vice-presidente de Consultoria da Prática de RH do Gartner:

“A questão agora enfrentada por muitas organizações não é como gerenciar uma força de trabalho remota, mas como gerenciar uma força de trabalho híbrida mais complexa. Embora o trabalho remoto não seja novo, o grau de trabalho remoto mudará a maneira como as pessoas trabalham juntas para realizar seu trabalho.”

Uma das soluções implementadas são os check-ins regulares. Contudo, existem diversas outras formas de manter um time motivado e engajado. Para isso, o uso da tecnologia é primordial e discutiremos isso mais à frente.

As vantagens do modelo de trabalho híbrido

Engana-se quem pensa que esse modelo de trabalho tenha vantagens somente durante a pandemia. Veja alguns dos motivos pelos quais você deve apostar nessa abordagem!

  • Diminuição de atrasos

Quem diria que não precisar pegar o trânsito das grandes cidades faria uma diferença dessas, não é mesmo? 

Claro que trabalhar de casa — ou de onde quiser — não elimina a possibilidade de atrasos, contudo, imprevistos como engarrafamentos saem de cena, melhorando a qualidade de vida dos colaboradores.

  • Aumento da autonomia

Um colaborador de casa necessita ter mais autonomia para tomar decisões diversas dentro de suas competências e responsabilidades.

Isso faz com que a hierarquia seja mais leve e também favorece uma cultura mais colaborativa, na qual equipes trabalham em conjunto para resolver problemas.

  • Redução de custos

Para a empresa, o home office pode representar uma redução de custos significativa, já que há menos indivíduos no escritório ou mesmo ninguém. Assim, despesas como energia, água e aluguel de andares acabam diminuindo.

Outro ponto interessante é que benefícios como auxílio-combustível e vale-transporte podem ser diminuídos.

  • Melhor gestão de tempo

A possibilidade de personalizar a forma como se utiliza o próprio tempo pode ser um dos melhores benefícios para os colaboradores. E agora não estamos dizendo apenas sobre o tempo economizado no trânsito 

O modelo de trabalho híbrido possibilita um significativo ganho na qualidade de vida dos funcionários, porque eles dispõe de muito mais tempo para usarem com o que bem entenderem. 

Já falamos sobre isso aqui no blog, mas é sempre válido reforçar: funcionários mais felizes costumam ser mais motivados e produtivos.

Bem-estar dos trabalhadores como uma tendência de gestão de pessoas

Bem-estar dos trabalhadores como uma tendências de gestão pessoas

Como acabamos de falar acima, está cada vez mais claro que funcionários mais felizes costumam ser mais produtivos de modo geral.

Sendo assim, os modelos de gestão estão cada vez mais levando em consideração a experiência do colaborador como forma de motivá-los. E essa experiência está ligada a diversos fatores, sendo alguns deles:

Ergonomia: condições de trabalho ideais

A ergonomia é um dos itens exigidos pelas normas de segurança do trabalho, mais precisamente pela NR-17 que garante os parâmetros mínimos para as condições de trabalho ideais.

Assim, o ambiente de trabalho deve ser adaptado para evitar questões como:

  • esforço repetitivo; 
  • má-postura; 
  • longos períodos de pé; 
  • carregamento de peso etc.

Vale ressaltar que a empresa também é responsável pela ergonomia dos trabalhadores em home office e teletrabalho. Aquelas que não se atentarem a esses quesitos podem sofrer processos trabalhistas.

Saúde mental: fundamental no ambiente empresarial

A empresa não é responsável pela saúde mental de seus funcionários. Apesar disso, aquelas que não se preocupam com esse quesito podem sofrer com altas taxas de absenteísmo no trabalho e até mesmo uma alta rotatividade. 

Isso porque quadros de ansiedade e depressão estão cada vez mais comuns, e muito disso pode ser atribuído às exaustivas jornadas de trabalho. 

Assim, existem muitas soluções que podem ser implementadas para o bem da corporação e do profissional, como:

  • acompanhamento psicológico para identificar quaisquer indícios de condições psicossociais ainda no início;
  • capacitação de líderes para saberem lidar com as diversas situações que podem surgir no ambiente de trabalho de forma justa;
  • divulgação de conhecimento por meio de campanhas de endomarketing, conscientizando os colaboradores;
  • realização de atividades lúdicas a fim de gerar descompressão;
  • inovação nos espaços de descanso;
  • incentivo à prática de exercício físico.

Algumas das consequências do descuido com a saúde mental dos colaboradores são:

  • assédio no ambiente de trabalho e até violência;
  • dificuldade de conciliar questões pessoais e profissionais;
  • relações interpessoais difíceis;
  • clima organizacional pesado, dentre diversas outras.

Automatização do RH: faça mais em menos tempo

O departamento de RH é um dos mais familiarizados com tarefas repetitivas. Imagina só realizar uma pesquisa de clima organizacional com todos os colaboradores?!

Essa realidade maçante somente revela a necessidade de uma séria mudança de paradigma nas organizações. 

O RH digital ou RH tech é a única forma de transformar esse setor em um departamento verdadeiramente estratégico.

Sendo assim, antes mesmo de começar o processo de automação é importante digitalizar os dados do departamento.

Vale salientar que esse processo não acontece de um dia para o outro, contudo, traz inúmeros benefícios para o empreendimento.

Algumas das ações que podem ser automatizadas no setor de RH são:

Quando tudo isso é feito em um ambiente digital, o trabalho do setor diminui e ele pode atuar em questões realmente mais estratégicas para o negócio.

Alguns dos benefícios que essa abordagem traz são:

A seguir falaremos sobre algumas das ferramentas que podem ser implementadas para dar início ao RH digital em sua empresa.

Temos vários materiais sobre esse assunto, confira!
📚 Kit Gestão de Pessoas 2021
📚 Como vencer os desafios de gestão com a tecnologia
📚 Trending Topics do RH: os termos mais buscados para ficar de olho
📚 Employer branding: como cultivar uma marca empregadora e atrair talentos

Tecnologia como principal tendência de gestão de pessoas

Agora chegamos na parte do texto onde te ajudamos a escolher as soluções ideais e transformar os paradigmas do setor de RH da sua empresa.

O RH é um setor que desenvolve projetos, cuida da produtividade de todos os demais setores e ainda se preocupa com questões mais gerenciais como a jornada de trabalho.

Assim, é de se pensar que exista uma infinidade de soluções para ajudar os colaboradores desse setor em suas rotinas.

Ferramentas para produtividade

  1. Asana e Trello

Esses são dois softwares com foco em gestão de projetos, permitindo que cada etapa seja quebrada em diversas tarefas, facilitando a visualização do andamento dos projetos.

São ferramentas que funcionam de forma semelhante, contudo, têm diferenças gigantescas entre si, especialmente no que diz respeito a usabilidade, interface e preço da versão premium.

Assim, é interessante explorar as opções antes de tomar uma decisão.

Manutenção do dia a dia

  1. Felizz

A Felizz é uma das ferramentas mais completas no quesito gerenciamento interno. Conta com funcionalidades como automação de mensagens, admissões, chat corporativo, mural de recados, pesquisas, emociograma (que motiva o nome da ferramenta), feedback etc.

Enfim, existem inúmeras outras funções que você pode explorar para automatizar e digitalizar o departamento de RH e ainda aplicar efetivamente a cultura organizacional.

  1. ERPs

Os ERPs são softwares com foco na gestão dos recursos da empresa. Assim, para soluções mais robustas e focadas na gestão da folha de pagamento e questões análogas, confira as soluções HCM Senior, CentralGest e SBG.

Comunicação

  1. Slack

O Slack é uma ferramenta bastante completa no que diz respeito à comunicação empresarial. 

Por meio dele é possível criar uma série de canais (ou chats específicos) que podem ser divididos por assuntos ou mesmo projetos.

Não somente, ele também possibilita a integração com uma série de soluções de terceiros como os aplicativos empresariais da Microsoft e Google como OneDrive e Google Drive, por exemplo.

Gestão de ponto

Gestão de ponto com o Tangerino é tendência de gestão de pessoas
  1. Tangerino

O Tangerino é uma solução completa e extremamente versátil para gestão de ponto que está na mão dos colaboradores — literalmente. 

A ferramenta é um excelente exemplo de tendência de gestão de pessoas, porque permite que o profissional bata o ponto pelo computador ou mesmo pelo smartphone de onde ele estiver, a qualquer momento.

Existe uma série de funcionalidades que o RH pode explorar para gerar dados estratégicos para a empresa, além dos recursos abaixo:

  • folha de ponto;
  • ponto com geolocalização;
  • banco de horas;
  • horas extra;
  • relatório de faltas e atrasos;
  • absenteísmo e mais.

São mais de 12 relatórios em alguns poucos cliques, facilitando a vida do RH na hora de controlar a jornada de trabalho dos colaboradores.

Pronto para levar o seu RH para o século XXI com as nossas dicas de tendências de gestão de pessoas? Não deixe de conferir o nosso kit completo para a gestão de pessoas em 2021 e organize as principais rotinas dessa área em sua empresa!

Teste

1 comentário em “As Principais Tendências de Gestão de Pessoas Para 2021”

  1. A gestão de pessoas é um dos setores da administração que mais influenciam no crescimento de um empreendimento.
    Foi possível analisar que este foi o pilar da administração que mais apresentou mudanças ao decorrer do tempo, pois se trata de pessoas, e pessoas estão em constante mudança.
    O artigo nos oferece dicas enriquecedoras para prevermos as possíveis mudança no setor e nos preparar para as mesmas.

    Responder

Deixe um comentário