Team building: como aplicar esse conceito

Você sabe o que é team building e como esse conceito, se devidamente aplicado, pode trazer benefícios para uma empresa? As pessoas estão entre os recursos mais importantes e saber aproveitá-las ao máximo faz a diferença para o sucesso de um empreendimento.

Na tradução literal do inglês para português, team building é construção ou criação de equipes. Algo que contribui para que a empresa tenha times trabalhando em busca de seus objetivos e metas. Parece uma ideia simples ou comum demais para que seja digna de atenção especial? Continue a leitura.

Neste post, você vai entender melhor o que é, por que o team building é relevante e como aplicar esse conceito!

O que é o team building

Antes de qualquer coisa, é preciso apresentar o conceito. Team building é o processo de transformar um grupo de indivíduos em uma equipe coesa, um time entrosado e motivado para trabalhar bem junto.

A ideia não é simplesmente deixar claro para cada funcionário que o trabalho feito por um tem relação ou impacto feito no trabalho do outro. O objetivo é fazer com que os profissionais se relacionem de tal forma que realmente trabalhem como uma equipe e não somente como pessoas de um mesmo grupo ou setor.

Para tanto, o team building recorre à adoção de estratégias e à promoção de treinamentos que visam promover o espírito de equipe entre os profissionais da empresa. Algo que considera tanto suas características enquanto grupo quanto suas qualidades individuais.

O team building promove uma melhoria das relações internas, um estreitamento dos laços profissionais. Uma característica que favorece o desenvolvimento de equipes de alta performance, que entregam resultados acima da média.

A importância do team building e por que empresas adotam essa ideia

Segundo um levantamento da Robert Half, respeitada empresa de consultoria de RH, 40% dos profissionais se sentem desmotivados no trabalho. Entre os motivos, estão o clima organizacional ― mencionado por 20% dos entrevistados ― e o exercício de uma função pouco desafiadora ― apontado por 13%.

Uma forma de entender a importância da motivação no trabalho é considerá-la como “chave para o sucesso no ambiente profissional, tanto a nível individual quanto para a empresa. Isso porque ela está diretamente relacionada à satisfação e à produtividade, o que afeta o negócio de uma forma holística”.

Quando o clima organizacional não é bom, tanto o relacionamento difícil com os superiores quanto a falta de identificação com o grupo podem estar entre os motivos. Perceba, portanto, que nessa situação o espírito de equipe provavelmente inexiste.

O exercício de uma função pouco desafiadora é algo que decorre de alguns fatores. Entre eles, está a falta de percepção das lideranças da empresa quanto ao potencial de seus próprios funcionários.

Está também a falta de definição de metas condizentes com a qualidade dos profissionais individualmente e coletivamente. Nesse cenário, existe pouca motivação para que as pessoas se unam e atuem como equipe para conquistar algo, para melhorar sua performance.

Frente a tudo isso, o team building ajuda a empresa a entender que pode esperar mais, desde que crie condições para tal. Uma ideia que, quando devidamente aplicada, favorece a melhoria do relacionamento e do clima interno e cria perspectivas para que os profissionais vejam sentido em manter o espírito de união para desempenhar suas tarefas.

E por que tudo isso é importante?

A desmotivação no trabalho afeta a produtividade. O clima ruim prejudica a employer branding ou seja, a visão que os próprios funcionários têm da empresa em que trabalham. E a falta de desafios faz com que o trabalho seja pouco envolvente, aumentando as chances de um turnover elevado.

Carolina Cabral, gerente de recrutamento da Robert Half, afirma que “o perfil do profissional mudou rápido. Hoje a empresa precisa combinar com o que ele acredita, caso contrário o trabalho não faz sentido”.

Os fatores mencionados como entraves para o engajamento, a motivação e a produtividade têm importância crescente e são, frente ao dinheiro, cada vez mais valorizados pelos profissionais. Assim, sem dar atenção a isso, uma empresa pode passar por dificuldades para ter o desempenho necessário para se manter e crescer.

O team building tem importância porque pode corrigir os problemas. E mais do que isso, pode incutir nos profissionais e na empresa uma cultura de trabalho em equipe que exceda as expectativas. Um trabalho visto com menos frieza e mais envolvimento e espírito de união verdadeiro é animador e tão diferente das relações mecanizadas que favorece o bem-estar dos profissionais.

As vantagens do team building

Falar da importância do team building já foi uma forma de apresentar algumas de suas vantagens. Mas há mais fatores que merecem destaque para que você entenda por que vale a pena investir na aplicação desse conceito.

Melhora o entrosamento e a colaboração

As estratégias de team building aproximam os profissionais de uma equipe e faz com que esses passem a se conhecerem melhor. Algo que lhes permite compreender como podem atuar para que o processo de trabalho seja mais adequado para todos e gere resultados melhores.

Considere um processo em que, depois de concluir sua tarefa, um profissional não sabe qual é a responsabilidade do outro que dá sequência ao trabalho. O outro, por sua vez, reclama que se a tarefa anterior tivesse sido feita com mais atenção, não teria que perder tempo com retrabalhos ou com ajustes que tomam seu tempo.

Nessa situação, não é necessariamente verdade que o primeiro profissional seja desleixado e simplesmente faça um trabalho mal feito. Pode ser que ele faça o que considera mais adequado, com base na visão limitada que tem sobre os processos da equipe.

Entretanto, a falta de entendimento mútuo das condições, necessidades e obrigações de cada um pode fazer com que uma inimizade se crie. O clima organizacional é afetado e nenhum dos dois profissionais está satisfeito com a forma que seu papel é visto dentro da empresa, inclusive por seus colegas.

Quando o team building é usado para aumentar o entrosamento, barreiras são removidas e as partes envolvidas no todo começam a ter uma noção mais clara das funções desempenhadas por cada um. Começam a entender como o seu desempenho afeta o do outro e como adequações podem ser feitas para deixar a situação mais favorável para todos.

Com isso, conflitos criados pelo distanciamento entre os profissionais e por uma comunicação deficiente são desfeitos ou evitados. Em contraste a isso, o que se estabelece é uma relação de confiança entre os envolvidos.

Promove o gosto por desafios e conquistas

Pode ser que desde a primeira vez que você leu “espírito de equipe” neste texto, ainda na definição do que é team building, você tenha feito alguma associação com a prática esportiva.

Seja por ter experiência com o futebol de rua, em competições na escola, como atleta amador de algum esporte ou uma situação afim, essa associação vem quase naturalmente. Até mesmo quem nunca jogou nada, mas acompanha algum esporte conhece o valor do espírito de equipe para um time competitivo e de alto rendimento.

Quando o team building faz com que os funcionários de uma empresa absorvam esse espírito de equipe, transforma-os em profissionais mais dispostos a encarar desafios. A qualidade que decorre de um trabalho bem feito com base na união faz com que conquistar novas metas seja algo motivador.

Para conquistar metas, indivíduos e equipes precisam se aperfeiçoar. Com isso, o team building favorece o gosto pela aprendizagem e pelo auto aperfeiçoamento. Algo que faz com que o capital humano da empresa se torne ainda mais valioso.

Individualmente, todos os profissionais tendem a se beneficiar. Coletivamente, o ganho principal é para a empresa que passa a conquistar resultados mais positivos e consistentes.

Favorece a produtividade e o engajamento

Seguindo com a associação ao universo do esporte, quando um integrante de uma equipe se sente valorizado, tende a se sentir também mais estimulado a fazer a sua parte pelo bem comum.

Assim, a falta de motivação no trabalho dá lugar à produtividade. Uma mudança que também tem a ver com o sentimento de querer pertencer a uma equipe a e a uma empresa em que o trabalho em conjunto funciona por meio de uma dinâmica envolvente e positiva.

Em um cenário como esse, o engajamento do funcionário com suas tarefas e metas, bem como com a própria empresa tende a ser maior. Os valores da empresa passam a ser mais reconhecidos e respeitados e o profissional tende a alinhar seu perfil àquele que o empregador criou para o próprio empreendimento.

Algumas das consequências disso são a melhoria da imagem que os funcionários têm da empresa ― o que melhora também sua imagem perante o mercado ― e a redução no índice de turnover.

Como aplicar o team building em sua empresa

A essa altura, você já está interessado em saber como aplicar o team building? Tudo começa por um planejamento bem feito. O team building pode gerar resultados promissores, mas para que isso aconteça, precisa estar fundamentado em um processo sólido.

Do contrário, as tentativas de aplicação de estratégias ou treinamentos podem ser falhas ou insuficientes. Algo que tende a impedir a conquista dos resultados esperados, levando à frustração.

Por isso, o primeiro passo é planejar a aplicação do team building para desenvolver a estratégia a ser adotada pela empresa. Para tanto, é importante responder às seguintes perguntas:

1. Por que adotar uma estratégia de team building em nossa empresa?

Certamente, se você quer adotar uma estratégia de team building é porque deseja conquistar todas as vantagens que apresentamos neste post. Entretanto, é necessário ter um planejamento personalizado, baseado em um diagnóstico da sua empresa.

Ter em mente quais são os pontos fracos que precisam ser corrigidos e quais os principais objetivos com o team building vai ajudar na definição das próximas etapas e na aplicação eficiente do conceito.

2. Onde vamos dar os treinamentos para as nossas equipes?

O team building depende da aplicação de treinamentos. Algo que deve ser feito preferencialmente em um espaço físico e amplo, adequado à dinâmicas e exercícios. Caso não seja possível fazer isso na própria empresa, é importante avaliar bem o local a ser escolhido.

Em todo caso, é importante saber que o período de treinamentos deve ser considerado como parte da rotina do trabalhador. Em outras palavras, deve acontecer durante o horário de trabalho.

3. Como vamos dar esses treinamentos de team building?

Voltando à associação com esportes, é comum que atletas tenham alguma forma de identificação em seus uniformes, certo?

Como um treinamento desenvolvido para favorecer o entrosamento entre os profissionais da empresa, é indicado que todos sejam devidamente credenciados e identificados com crachás ou plaquinhas com nomes.

Além disso, antes que qualquer dinâmica ou exercício seja proposto, é importante explicar a todos por que estão ali, o que é team building e por que tudo isso é tão importante para a empresa.

Ao participar de algo que tem tamanho potencial de transformação, as pessoas precisam saber os motivos de estarem ali para se interessarem em participar ativamente. Do contrário, há o risco de que seu envolvimento seja meramente uma formalidade relacionada à obrigação profissional.

A partir de então, atividades que visam o autoconhecimento, o conhecimento mútuo, a integração e o espírito de equipe devem ser propostas. O treinamento é, na prática, o ponto inicial do team building para os funcionários.

Exemplos de atividades de team building

Com base na reflexão sobre por que adotar o team building na empresa, torna-se mais fácil buscar e selecionar atividades que sejam adequadas aos objetivos buscados. A seguir, apresentamos alguns exemplos de atividades e dinâmicas que podem compor seu dia de treinamento.

Comunicação e entrosamento

Quebrar o gelo é sempre uma boa forma de começar qualquer treinamento. Para tanto, há uma atividade simples e útil chamada “duas verdades e uma mentira sobre mim”.

Cada participante deve escrever em um papel duas verdades sobre si e uma mentira, não necessariamente nessa ordem. A ideia é que a mentira não seja algo óbvio ou absurdo porque seria fácil de descobrir. E, claro, ninguém deve revelar aos colegas o que foi que escreveu.

Uma vez concluída esta etapa, abre-se um momento para conversa entre todos. Cada um tem a missão de tentar descobrir as verdades e mentiras de outros participantes, enquanto tenta convencer os demais de que sua mentira é uma verdade. 

Dica: oriente os funcionários a “manter a pose” mesmo que a maioria dos colegas já tenha dado indícios de descobrir quais dos três fatos é a mentira. Até o momento da revelação, o objetivo é fazer a dúvida deve pairar no ar.

Em seguida, os presentes devem se organizar em uma roda e quem estiver conduzindo a dinâmica deve fazer com que todos elejam as verdades e mentiras de cada um. É possível até atribuir pontos para tornar a atividade mais envolvente com uma competição saudável.

Ao final, porém, não há perdedores e nem vencedores. Apenas uma indicação clara que as pessoas de uma equipe podem se conhecer melhor e que isso é algo positivo. O propósito central da atividade é promover o entrosamento entre aqueles que a empresa espera que desenvolvam um espírito de equipe.

Identificação e senso de pertencimento

O espírito de equipe proposto pelo team building só pode ser criado se os profissionais se identificarem uns com os outros e sentirem que pertencem ao mesmo grupo. Algo crucial para que queiram atuar como uma equipe coesa no futuro.

Para tanto, uma boa atividade é o “jogo dos rótulos”. A ideia é que cada um dos presentes tenha um breve intervalo de tempo para falar sobre si fazendo uma apresentação e compartilhando com todos coisas que gostam e que não gostam.

Exemplo: “Eu sou o Jonas, tenho 34 anos e trabalho e sou o web designer da empresa. Gosto de trilhas e cachoeiras, prefiro entregar as demandas antes do prazo final e detesto futebol!”.

Depois que cada um tiver se apresentado, os responsáveis pela dinâmica devem orientar a formação de três categorias escolhidas pelos participantes. O desafio é que essas três categorias sejam adequadas para que ninguém fique de fora.

Isso porque, as categorias são os rótulos ― que devem ser positivos ― em que entre os quais os profissionais da empresa devem ser distribuídos pelos participantes. O objetivo é identificar afinidades que possam despertar o senso de pertencimento e até favorecer a aproximação entre as pessoas.

Autoconhecimento e humanização da equipe

Conhecer melhor a si próprio e aos companheiros de equipe é muito importante para desenvolver um senso de unidade e apoio coletivo. Uma das formas de fazer isso é por meio da dinâmica “criando o profissional ideal”.

Para a atividade, os participantes do treinamento de team building devem ser divididos em grupos de quatro a oito pessoas. Cada grupo deve criar sua versão de um profissional ideal, apresentando uma breve história de vida, além de formação, características e habilidades profissionais.

O desafio existe porque não basta simplesmente idealizar. O profissional ideal tem que ser uma junção dos profissionais de cada grupo, com suas virtudes e defeitos.

A primeira lição que pode ser tirada dessa dinâmica é a de que todos têm falhas ou pontos fracos que podem ser melhorados e pontos fortes a serem valorizados. Um entendimento que ajuda a criar compreensão e até um senso de oportunidade para ajudar colegas com aquilo o que um saiba fazer e o outro precisa melhorar.

A segunda é a do autoconhecimento. Em um ambiente de trabalho em que falta entrosamento e espírito de equipe, é comum que um profissional enxergue as limitações do outro. Dar atenção a si mesmo ao refletir sobre o profissional ideal criado ajuda a indicar o caminho para o auto aperfeiçoamento que permite a cada um ser uma peça mais forte dentro da equipe.

Solução de problemas e trabalho em equipe

Depois que o gelo for quebrado e as pessoas estiverem mais à vontade e mais entrosadas, é o momento de partir para uma atividade que tenha como foco a solução de problemas.

O jogo do “quebra-cabeças”, também conhecido como “picture pieces” é uma das alternativas para essa etapa. Você vai notar que a atividade envolve tanto uma tarefa individual quanto o esforço coletivo, o que favorece o entendimento da importância de um trabalho bem feito por cada um, em busca do sucesso do todo.

A ideia é a seguinte: uma imagem bastante conhecida deve ser escolhida. É o caso de um personagem famoso de desenho animado, por exemplo. Além disso, é importante que tenha muitos detalhes porque o grau de dificuldade do desafio depende desse fator.

A imagem deve ser recortada em pedaços de tamanhos iguais, conforme o número de participantes do treinamento de team building. Por exemplo, se são 15 pessoas, a figura do personagem deve ser dividida em 15 quadrados.

Cada participante deve receber um dos quadrados, além de um papel, lápis e caneta. Isso porque, sua primeira missão será reproduzir sua parte da imagem em tamanho cinco vezes maior!

Quando todos tiverem concluído seus desenhos, é hora de juntar a equipe. Em conjunto, os profissionais devem montar o quebra-cabeças para formar uma imagem igual à original, ainda que de tamanho diferente.

Ao final, é possível promover a reflexão de como o conhecimento do todo ― a primeira imagem do personagem famoso ― é importante para que cada um execute bem a sua parte. Algo que, por consequência, tem impacto no sucesso coletivo em alcançar o resultado final.

Pronto, a essa altura você já está em condições de avaliar o team building como uma alternativa de treinamento para os profissionais de sua empresa e conhece os caminhos a seguir para aplicar o conceito com sucesso.

Gostou do post e quer mais informações para melhorar o ambiente de trabalho? Saiba como melhorar a comunicação interna de sua empresa!

teste grátis 14 dias