Qualidade de Vida no Trabalho: o Que é e Por Que Ela é Tão Importante?

A qualidade de vida no trabalho é um movimento que visa a manutenção do bem-estar físico e mental no trabalho, resultando em um melhor clima organizacional e uma equipe mais motivada e produtiva.

Tempo de Leitura: 16 minutos

Última atualização em 1 de novembro de 2021

Qualidade de vida no trabalho (QVT) é um assunto amplamente discutido e a tendência é que isso aumente no futuro. 

Afinal de contas, o perfil dos profissionais está mudando com as novas gerações que entram no mercado de trabalho e as empresas precisam acompanhar.

Não somente, esse bem-estar é intimamente ligado a bons resultados e produtividade na organização. Sendo assim, ações que visam promovê-lo devem ser vistas como um investimento e não um gasto.

Uma pesquisa realizada pela Sodexo revela que 54% dos trabalhadores estão satisfeitos com o seu trabalho. Pode parecer um bom número, mas se somente metade da sua empresa estivesse feliz isso seria um problema, não é?

Ademais, a ISMA Brasil (International Stress Management Association) aponta que 9 em cada 10 brasileiros apresentam algum sintoma de ansiedade.

Isso é resultado do acúmulo de funções e de uma rotina sobrecarregada que exige longas horas de trabalho. Além disso, existe a demanda por resultados crescentes.

Quer saber como sua empresa pode fugir dessas estatísticas? Continue lendo este texto e confira sobre como oferecer uma boa QVT para todos os colaboradores.

Abaixo, você encontra os principais tópicos abordados. Boa leitura.

O que é qualidade de vida no trabalho?

qualidade de vida no trabalho

Chegar a uma definição clara aqui pode ser algo bastante complexo, visto que existem ao menos dois pontos de vista conflitantes.

O movimento de qualidade de vida no trabalho surgiu na década de 50 na Inglaterra graças ao psicólogo Eric Trist, mas somente tomou força na década de 70, espalhou-se por todo o mundo por meio do trabalho do professor Louis Davis da Universidade da Califórnia.

Ele conceitua a qualidade de vida no trabalho como uma preocupação geral sobre o bem-estar dos colaboradores no ambiente corporativo e também na execução de suas tarefas.

Outro ponto de vista que também pode ser aplicado aqui é o viés do empregador, em que observa a QVT como um meio para potencializar a produtividade e a qualidade dos resultados apresentados.

Independentemente do ponto utilizado para interpretar esse conceito, é sempre importante ter em mente que organizações funcionam graças a pessoas e que, sem elas, não há produção de bens ou serviços, atendimento ao cliente, etc.

Sendo assim, encontrar um meio-termo entre as demandas de ambos os lados (empregador e colaboradores) é o ideal para a construção de uma cultura organizacional sadia, que valoriza o colaborador e se preocupa com o resultado entregue.

No fim, a QVT é uma equação que envolve a satisfação do colaborador com suas funções e a relação desenvolvida com o ambiente e trabalho no qual ele está inserido, envolvendo questões físicas, emocionais, psicológicas e, claro, financeiras de um indivíduo.

Esse conceito pode ser abstrato e essa equação pode não ser a mesma para todos os colaboradores, contudo, existem alguns fatores universais que contribuem para o bem-estar no trabalho.

Confira também:
👉 Hard Skills: o Que São e Como Identificá-las?
👉 Como Organizar a Volta ao Trabalho Presencial?
👉 Exames Periódicos: em Quais Momentos Eles se Aplicam?
👉 Employee Voice: o Que é, Objetivo e Como Aplicar

Quais os principais fatores que contribuem para a Qualidade de Vida no Trabalho?

De modo a sedimentar o conceito de qualidade de vida no trabalho, é importante entender quais são os principais fatores envolvidos na construção de uma excelente experiência para os colaboradores:

Satisfação com a função

Garantir que o colaborador goste de suas atividades é algo importante para que elas não sejam mal executadas. Esse processo é feito desde a seleção e recrutamento, mas também é uma responsabilidade dos gestores.

Futuro na organização

Saber que existe espaço para crescer na corporação é algo importante para qualquer colaborador, afinal de contas, é isso que o incentiva a trazer o seu melhor para o trabalho todo o dia.

Quando não existe um reconhecimento palpável em vista, é comum que os colaboradores trabalhem somente pensando na remuneração. 

Esse é certamente um cenário que você não deseja para a sua empresa.

Benefícios ajudam na qualidade de vida no trabalho

Além da remuneração, existem várias outras formas que a empresa pode ter um impacto positivo na vida do trabalhador. Esses benefícios são diversos e dependerá do perfil dos colaboradores.

Eles podem abranger vale-transporte, vale-refeição, auxílio médico, além de outros benefícios que impactam diretamente na qualidade de vida do funcionário na totalidade.

Liberdade criativa

A liberdade de sugerir e inovar dentro da empresa é importante para que os colaboradores se sintam realmente parte do negócio e não só uma engrenagem usada para lucro.

Esse aspecto nunca deve ser superestimado, já que também é uma das formas pelas quais os indivíduos se destacam e progridem em suas carreiras.

Quais as vantagens da qualidade de vida no trabalho?

Existem inúmeras formas de realizar ações de qualidade de vida no trabalho, algo que você terá a oportunidade de ler logo mais.

De toda forma, resumidamente, é possível realizar verdadeiros mutirões com profissionais de saúde (psicólogos, nutricionistas, médicos, etc.) a fim de orientar como ter um estilo de vida mais saudável ou institucionalizar as ações, ou seja, introduzir na cultura organizacional da empresa.

Independente da estratégia adotada, veja agora seis benefícios de contar com uma estratégia como essa:

1. Retenção de talentos

O clima organizacional é um dos grandes motivos pelos quais os talentos deixam empresas. Afinal de contas, pessoas com currículos incríveis são abordadas o tempo inteiro por hunters de outras empresas.

Sendo assim, um ambiente de trabalho que tem como premissa a qualidade de vida, certamente enxerga o valor de seus colaboradores e do trabalho que eles desenvolvem.

Uma forma de garantir a retenção dessas pessoas-chave é justamente compreender o que elas esperam das suas contratantes e do mercado de trabalho em geral. Por isso que a gestão de pessoas baseada em dados é primordial para qualquer negócio.

Assim, é possível compreender quais indicadores (como absenteísmo e falta de engajamento, por exemplo) influenciam na saúde do colaborador e em sua qualidade de vida no trabalho.

O que nos leva ao próximo tópico desta lista.

2. Qualidade de vida no trabalho reduz a taxa de turnover

A retenção de colaboradores não fica só entre os talentos da empresa, esse é um efeito observado de forma geral. 

Uma alta taxa de turnover, ou taxa de rotatividade de funcionários, é um problema sério que o RH precisa lidar e pode ter inúmeras causas, uma delas é uma cultura organizacional em desacordo do que se pretende.

E isso não se dá somente quando o colaborador deixa a empresa, acontece também quando há demissões sem motivos consistentes, revelando como a qualidade de vida nessa empresa precisa de atenção.

Sendo assim, o aumento do bem-estar na instituição também resulta em um ambiente mais leve, em que as pessoas sentem-se confortáveis em oferecer feedbacks para construir uma empresa melhor.

3. Redução de absenteísmo

Você acordaria ansioso para ir trabalhar em um ambiente no qual não se sente bem? Certamente, qualquer pessoa encontraria uma desculpa para não trabalhar.

Independentemente, atrasos e faltas sem justificativas são situações bastante problemáticas que forçam gestores a pressionar o colaborador para cumprir o horário. Nesses casos, se ele já não está feliz, essa pressão só escala a situação.

Um alto absenteísmo é um verdadeiro sinal de alerta, mas que pode ser resolvido através da humanização da gestão, aplicando conceitos como o de Qualidade de Vida no Trabalho.

4. Aumento da produtividade

Um ambiente no qual o indivíduo sente-se constantemente pressionado a entregar resultados gera ansiedade e, consequentemente, afeta sua produtividade.

As expectativas sobre o colaborador devem ser adequadas a sua característica mais importante: sua humanidade. Tratar o funcionário como uma máquina de produção afeta diretamente sua QVT e, consequentemente, sua motivação.

Quem nunca ouviu falar sobre condições de trabalho insalubres nas quais os colaboradores sequer têm tempo de ir ao banheiro? 

A cultura que você deseja implementar na sua empresa não tem nada a ver com a necessidade de entregar resultados sobre-humanos para não ser demitido.

Sendo assim, trabalhar com os estímulos corretos fará toda a diferença para os seus funcionários.

5. Sedimentar a cultura organizacional

A cultura organizacional é formada pela missão, visão e valores de uma empresa, deixando claro o propósito da organização e como ela deseja se conduzir para alcançá-lo.

Assim, é necessário comunicar bem esse propósito para que ele movimente os colaboradores em suas rotinas, sempre buscando os melhores resultados.

É muito comum ver empresas escreverem palavras bonitas em seus valores, como honestidade e humanização, contudo, na prática, seus colaboradores têm rotinas esmagantes e sua QVT é mínima.

Sendo assim, atuar sobre a Missão, Visão e Valores ativamente respeitando a saúde mental e física dos trabalhadores é uma excelente forma de sedimentar esse conhecimento.

Veja aqui algumas formas de promover a saúde mental no trabalho:

Aqui, também é um excelente momento para tornar esses preceitos organizacionais mais humanos e pensar em desenvolver um ambiente mais colaborativo e humano.

Não somente, também é uma oportunidade de identificar o estilo de liderança prevalente na empresa e adaptá-los a essa nova realidade.

Desenvolvimento de lideranças

6. Aumento da lucratividade

Essa é basicamente uma consequência para todos os benefícios que mencionamos anteriormente. 

Profissionais mais produtivos que faltam menos e estão inseridos em um clima organizacional leve certamente geram mais resultados.

A eficiência operacional diária é um fator que não pode ser subestimado quando o assunto é lucratividade e a qualidade de vida no trabalho influencia diretamente nessa efetividade.

Trabalhar em um bom local, deixa os colaboradores mais dispostos a entregar bons resultados, seja na fabricação de um produto, entrega de um serviço ou mesmo fechando vendas importantes.

Isso não é só bom senso, uma pesquisa internacional feita pela Sodexo envolvendo 4.805 líderes empresariais chegou a conclusão que proporcionar qualidade de vida traz mais lucros.

Os números demonstraram que as empresas que oferecem mais qualidade de vida são em média 70% mais rentáveis que a concorrência. Lembra que dissemos que a eficiência operacional era importante?

Quais as principais consequências de um ambiente de trabalho hostil?

Além de compreender quais são os benefícios de desenvolver uma empresa com foco na qualidade de vida no trabalho, também é necessário estar atento às consequências de um local de trabalho hostil:

  • Aumento da rotatividade de colaboradores;
  • Perda de talentos;
  • Aumento dos custos demissionais;
  • Debilitação da marca empregadora.

Dessa forma, não é difícil ver como um ambiente como esse pode derrubar uma empresa, encarecendo seus processos e esvaziando os escritórios.

Outro problema que pode ser acarretado pela falta de qualidade de vida no trabalho é o burnout. Para saber mais sobre essa síndrome, assista ao nosso episódio do Explica Aí. 

Qual a importância da qualidade de vida no trabalho?

Vimos que a qualidade de vida no trabalho é construída por inúmeros fatores: satisfação com o cargo, as possibilidades de futuro na organização e até mesmo o reconhecimento por bom desempenho.

Mas, por que isso é importante para a empresa?

Bem, a qualidade de vida no trabalho, especificamente, pondera dois interesses que precisam existir no ambiente organizacional: o do empregador e o do empregado.

Sendo assim, encontrar um meio-termo funcional entre esses interesses é a única maneira de canalizar os esforços para atingir objetivos pessoais e institucionais.

Assim, é importantíssimo considerar que a produtividade de uma organização é diretamente influenciada pela motivação de seus colaboradores.

Dessa forma, segundo Larissa Ribeiro e Lídia Santana (2015)*:

“A valorização do capital humano é primordial para o desenvolvimento organizacional. Momento em que a empresa identifica os fatores que contribuem para a satisfação, realização e desenvolvimento do indivíduo e utiliza isso como ferramenta essencial para o alcance de seus objetivos de mercado.”

* Revista de Iniciação Científica — RIC Cairu. Jun. 2015, Vol. 02, n° 02, p. 75 – 96, ISSN 2258 – 1166

Ou seja, investir em ações de qualidade de vida não é somente melhorar algo para os colaboradores, é, de fato, bastante estratégico para a empresa ganhar cada vez mais competitividade em um mercado cada vez mais exigente.

Lembre-se da pesquisa que trouxemos no tópico anterior, empresas que têm a qualidade de vida no trabalho como uma prioridade são cerca de 70% mais rentáveis.

Isto, em grande parte, acontece porque o comprometimento do indivíduo é diretamente proporcional ao seu grau de satisfação.

Dessa forma, é possível afirmar que a qualidade de vida no trabalho vem principalmente de uma importante movimentação de valorização do capital humano, muito semelhante à política de gestão people first.

Um ambiente sem medidas de humanização conscientes prejudicam o bem-estar de todos, o que, ultimamente, afeta o rendimento no trabalho.

Neste momento, o RH tem uma missão importante em identificar as necessidades individuais e utilizar as ferramentas de gestão para transformar o ambiente de trabalho.

Mais uma vez, ressaltamos a importância dos dados levantados por pesquisas de clima organizacional e outros meios como softwares de gestão de jornada de trabalho.

Como alcançar a qualidade de vida no trabalho?

Agora que o conceito de qualidade de vida no trabalho está bem sedimentado, assim como sua importância para a empresa, podemos partir para uma parte mais prática desse texto.

Como melhorar a qualidade de vida dos colaboradores no ambiente de trabalho por ações que o RH pode desenvolver? 

Separamos algumas abaixo, mas lembre-se sempre que a efetividade delas dependerá única e exclusivamente do próprio ambiente de trabalho.

Cada empresa tem suas próprias questões a serem resolvidas, por isso recomendamos realizar uma pesquisa antes de dar início a qualquer ação.

Manutenção entre vida pessoal e profissional

Especialmente em um período em que o home office tem ganhado cada vez mais força, a linha entre a vida pessoal e profissional pode ficar um pouco turva, contudo, isso traz uma série de consequências negativas para o colaborador.

Sendo assim, algumas medidas simples, mas claras a respeito das limitações da jornada de trabalho, podem ter um impacto gigantesco na vida do trabalhador.

Então, é importante deixar claro que horas extras são somente para uma real necessidade e no caso de já tê-las, incentive a tirar folgas.

Políticas de incentivo a hábitos saudáveis

Pode parecer fora da alçada da empresa, contudo, incentivar hábitos saudáveis aos colaboradores pode ter impacto direto no resultado da empresa.

Seja ir para o trabalho de bicicleta, se alimentar de forma saudável, praticar exercícios físicos regularmente ou mesmo fazer terapia.

O RH pode atuar realizando diversas ações de endomarketing para levar essa conscientização a todos.

Foco na comunicação efetiva

Grande parte dos problemas de uma empresa começa com uma comunicação imprecisa, por isso, investir na capacitação em comunicação não hostil e incentivar a troca constante de feedbacks é uma forma de evitar esses ruídos.

Lembre-se sempre que a liderança deve estar amplamente envolvida ao estabelecer uma comunicação interna mais eficiente, democratizando a informação necessária para as suas atividades.

Ações de ginástica laboral

A ginástica laboral é uma excelente maneira de promover corpo e mente saudáveis no trabalho.

Não somente, evita o desenvolvimento de doenças ocupacionais como lesões por esforço repetitivo (LER) e os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT).

Ademais, esse pode ser um divertido momento de descontração e integração da equipe, servindo também para aliviar o estresse do dia a dia.

Como medir a qualidade de vida dos colaboradores?

Como você já leu, antes de começar qualquer ação, é necessário compreender como os colaboradores estão se sentindo ocupando seus cargos e como eles percebem a empresa.

Sendo assim, existem alguns indicadores de RH que podem ser utilizados para determinar como está a qualidade de vida no trabalho em sua empresa.

Pesquisa interna

A primeira etapa é realizar uma pesquisa interna, anônima ou não, para levantar os principais problemas da empresa. Eles podem estar presentes em diversas esferas da organização, como:

  • Relação líder—liderado;
  • Inabilidade de se relacionar com demais colegas;
  • Falta de comprometimento;
  • Expectativas desalinhadas com a realidade.

Dessa forma, é possível identificar onde estão os principais problemas e como eles afetam a qualidade de vida dos colaboradores.

Aqui, também é interessante envolvê-los na solução de problemas pontuais, demonstrando que eles estão, sim, sendo ouvidos.

A gestão de jornada de trabalho

O controle de ponto, banco de horas, horas extras associadas às métricas de desempenho dos times e de colaboradores específicos pode dar um norte interessante para que o RH entenda a fundo o que está acontecendo.

Pode ser um problema de sobrecarga ou mesmo de uma má divisão de tarefas.

Turnover

O Turnover é o percentual de profissionais que deixam o quadro corporativo em um determinado período.

Dessa forma, é possível identificar o número de desligamentos e as suas motivações. Assim, identificar quando algum problema começou.

Assiduidade 

A assiduidade dos colaboradores é algo muito importante para se considerar, já que ele revela uma tendência a se atrasar ou faltar ao trabalho por completo.

Assim, sendo um excelente indicador do clima organizacional da empresa. Aqui, vale ficar atento para aqueles colaboradores que não tem justificativas para as faltas.

Gostou do conteúdo? Enriqueça o seu aprendizado com esses materiais ricos:
📚 Bem-estar no trabalho: como garantir um ambiente saudável e aumentar o lucro da empresa
📚 Gestão de pessoas remota: o guia completo para colocar em prática na sua empresa!
📚 Descubra como garantir a segurança dos colaboradores na volta ao escritório
📚 Recrutamento Inteligente: como os algoritmos podem colaborar com o seu processo seletivo?

Conclusão

Entendeu por que a qualidade de vida no trabalho é algo importante? Ela não só oferece um propósito aos colaboradores, como também deixa a empresa mais lucrativa!

Você percebeu que o RH tem papel fundamental para melhorar a qualidade de vida no trabalho dos colaboradores. Nesse sentido saber mais sobre a saúde mental no trabalho é um passo importante. Portanto, leia esse texto e tire todas as suas dúvidas a respeito!

Teste

Deixe um comentário