Culture Code: Qual a Importância de ter um Código de Cultura na Organização?

O culture code ou código de cultura é um documento que detalha os valores sobre os quais uma instituição opera, ou seja, que traduz sua cultura organizacional. Uma vez apresentado para os públicos interno e externo, esse código pode impactar positivamente o sucesso da empresa.

Tempo de Leitura: 18 minutos

Última atualização em 27 de outubro de 2021

A cultura organizacional é o conjunto de valores que uma empresa tem e que reflete em suas práticas e, espera-se, na conduta dos funcionários também. Para que isso realmente seja possível, um culture code é necessário.

Na tradução para o português, falamos de um código de cultura e se você ainda não sabe o que isso realmente significa, chegou ao post certo.

Ao longo da leitura, você entenderá por que desenvolver esse documento é como ter uma bússola para o sucesso da organização e, ainda, descobrir como criar um culture code bem estruturado.

Confira!

O que é culture code?

culture code

A tradução você já tem, mas podemos ir além. Um culture code é um documento que detalha o conjunto de princípios e valores segundo os quais uma empresa funciona, ou seja, que esmiúça sua cultura organizacional.

Mesmo que não busque definir ativamente qual é sua cultura, toda empresa acaba desenvolvendo uma porque isso é natural daquilo que se baseia em relações humanas.

Guia Prático sobre Comunicação Interna

Veremos isso melhor adiante, mas desde já entenda que o culture code é algo que ajuda a definir e registrar que cultura é essa. Sendo assim, é um instrumento importante para que os posicionamentos da empresa e a conduta dos seus funcionários corresponda ao esperado.

Isso porque, esse código de cultura torna a missão, visão e valores da empresa acessíveis, no sentido de que joga luz sobre essas definições e orienta ações a partir daí.

Um culture code, que também pode ser entendido como um manual de cultura, pode ser desenvolvido de diferentes formas. Seja como for, precisa conter:

  • Missão e valores fundamentais;
  • Orientações de como trabalhar segundo os valores da empresa;
  • Informações sobre tradições e crenças compartilhadas.

Esses pontos precisam ser abordados de forma clara e, muito importante, apresentados a todos os funcionários da empresa, dos recém-contratados aos que já são “de casa”.

De onde surgiu o culture code?

Como mencionamos, a cultura de uma empresa é algo que surge naturalmente. Sendo assim, está presente no universo corporativo desde sempre, ainda que tenha levado um tempo para ganhar a devida importância.

A existência de um culture code, por outro lado, não é tão natural assim. Na verdade, foi um ato pensado frente à necessidade de documentar a cultura organizacional de forma a ter uma espécie de “guia”.

Entende-se que tudo começou em 2009 com uma empresa bastante conhecida na sociedade atual: a Netflix. Naquele ano, a provedora global de filmes e séries lançou um documento para deixar clara a sua cultura.

Anos depois, a Forbes publicou uma análise dizendo que “A cultura organizacional da Netflix não é para todos e é assim mesmo que deve ser”. E isso tem tudo a ver com o surgimento e a importância do culture code.

Quando lançou o documento, a Netflix quis passar uma mensagem clara sobre seu processo de recrutamento e seleção, indicando qual o perfil da empresa e quais as características de profissionais buscados.

Qual a diferença entre cultura organizacional e culture code?

Apenas para que fique claro, caso tenha restado alguma dúvida, esclareceremos a diferença entre esses dois conceitos que se relacionam de forma tão próxima.

A cultura organizacional é o conjunto de valores e práticas internas de uma empresa que reflete em seus funcionários, unindo processos diários e a forma como eles são apresentados.

O culture code, por sua vez, é a formalização dessa cultura por meio da criação de um documento que deve ser bem estruturado e compartilhado com toda a empresa e o público externo.

Esse vídeo da nossa série Explica Aí ajudará a entender melhor a cultura organizacional. Dê o play!

Por que ter um culture code?

Certo, mas qual o porquê de tudo isso? Um culture code existe para promover maior alinhamento de valores e condutas entre a empresa e seus contratados.

Para isso, não basta apenas definir a cultura organizacional ― esse, por si só, já é um passo de extrema importância. É preciso documentar essa cultura de forma com que as ideias ali expostas sejam facilmente compreendidas.

Criar esse código de cultura organizacional pode ser importante em diferentes momentos e para várias finalidades. 

Veja só:

Recrutamento e seleção

O culture code é importante desde o processo de recrutamento e seleção, quando ainda está na fase do planejamento em que vagas e perfis são pensados.

Considere novamente a decisão da Netflix em divulgar o documento comunicando sua cultura organizacional. Ao fazer isso, a empresa explicitou “quem” é e que tipo de profissional pode ser buscado e aprovado em um processo seletivo.

Isso é positivo para a própria empresa e para os profissionais também. Antes de tudo, o código de cultura ajuda ambas as partes a entenderem se há interesse. Com isso, uma espécie de pré-seleção já é feita.

Além do mais, esse alinhamento aumenta o sucesso do recrutamento e seleção, já que leva profissionais com maior identificação com a cultura organizacional.

Alinhamento de expectativas e gestão

O culture code é um documento que também pode orientar o processo de onboarding e o dia a dia da gestão de pessoas feita pelo RH e pelas lideranças da organização.

Ter o código de cultura é ter um guia que indica as expectativas. Os funcionários passam a conhecer os valores da empresa e sabem o que esperar dela. Da mesma forma, sabem o que é esperado de cada um.

Isso facilita o relacionamento entre colegas e dos funcionários com a organização. Consequentemente, favorece a dinâmica de trabalho e até o clima organizacional.

Desenvolvimento e engajamento

Mais adiante, você verá que o culture code pode ser desenvolvido de forma colaborativa. Ainda que sua essência não mude, a cultura organizacional tende a evoluir assim como as pessoas e suas relações.

Dessa forma, há espaço para que a comunidade que forma a empresa se engaje em torno desse código de cultura, o que favorece ainda mais o alinhamento de expectativas.

Você também gostará desses artigos, confira!
👉 Gestão Comportamental: o Que É e Como Implementar
👉 Competências Socioemocionais: o Que São?
👉 Assessment: Entenda o Que É, os Benefícios e a Aplicação para o RH
👉 Comunicação Interna para Empresas: Entenda as Vantagens e Como Otimizar

Qual é a importância culture code para uma empresa?

Uma vez que a cultura organizacional tende a mudar, se desprender dela é algo que pode acontecer com relativa facilidade.

É sempre interessante ter em mente que o universo de uma empresa nada mais é do que um recorte da sociedade em que essa empresa está inserida. Ao menos, deveria ser assim.

Com isso, se a sociedade apresenta novas demandas e perspectivas, a expectativa é que isso também aconteça dentro das organizações. Nada mais natural já que os funcionários são, também, cidadãos.

O culture code é o documento para o qual as pessoas e a empresa podem voltar para manter o respeito aos valores elencados, sem perdê-los de vista.

Dessa forma, ainda que mudanças ocorram, a essência da organização se mantém por meio desses valores.

Isso é importante porque missão, visão e valores se conectam. Uma vez que valores deixam de ser seguidos, a empresa pode perder força para alcançar seus propósitos.

Sabendo disso, você já deve estar começando a entender que um culture code precisa ser feito com o devido cuidado, dada a sua relevância. É sobre isso que falaremos a seguir.

Como montar um código de cultura organizacional?

A montagem do código de cultura de uma empresa é feita de processos que demandam comprometimento e atenção. Não adianta fazer só para poder dizer que tem, é preciso entregar propósito nesse documento.

Do contrário, o culture code acaba destoando da realidade que a organização vive e que quer viver, e logo será inutilizado.

Para que isso não aconteça e o documento seja desenvolvido da melhor forma, confira os passos sugeridos a abaixo:

Defina os responsáveis pelo código

Para que a criação do culture code deixe de ser apenas um plano e aconteça de fato, é importante definir responsáveis por levar esse projeto adiante.

O mais adequado é contar com membros do RH da empresa porque seu contato com os diferentes departamentos só tem a ajudar.

Além do mais, falamos de profissionais que têm conhecimento para desenvolver pesquisas, abordar pessoas e fazer análises importantes para definir o código de cultura.

É uma boa ideia criar um comitê para centralizar esse esforço e permitir que os profissionais designados se foquem nessa tarefa.

Pesquise outros códigos de cultura

Não há problema em se inspirar em um culture code desenvolvido por outra empresa. Aliás, é muito estratégico esse olhar para fora, para o mercado, e entender o que é feito de forma bem sucedida.

Ao fazer isso, porém, espelhe-se em organizações que tenham uma cultura semelhante à da sua própria empresa e lembre-se de que não faz sentido simplesmente copiar.

Um código de cultura precisa ser único e perfeitamente adequado à realidade de cada negócio.

Escute gestores e funcionários

Prometemos abordar melhor o fato de que esse manual de cultura pode ser desenvolvido de forma colaborativa. Isso significa ouvir a gestão e as equipes que formam o quadro de funcionários.

A ideia é saber qual a percepção que cada profissional tem sobre quais são os valores da empresa e qual é sua cultura.

Essa conversa também deve considerar quais as perspectivas, ou seja, como cada um enxerga o futuro da empresa.

Para isso, há dois caminhos que podemos indicar: 

  1. Criar e aplicar um roteiro de entrevistas ou
  2. Formar grupos de discussão e permitir que os profissionais apresentem e troquem ideias sobre o assunto.

Tudo isso ajudará a entender a cultura da empresa para, então, poder traduzi-la em um documento.

É importante dizer que é possível apresentar pontos novos que sejam entendidos como fundamentais para a organização, mas que ainda não tenham sido levantados.

Faça um esboço do culture code

O comitê designado para criar o culture code pode desenvolver um esboço também de forma colaborativa.

KIT de Gestão de Pessoas 2021

Depois de pesquisar por inspirações e ouvir os funcionários, fica mais fácil definir um norte para a criação do código e saber que tipo de informações a empresa quer incluir.

Com base nisso, é possível perguntar aos funcionários o que eles gostam e o que acham que precisam de melhorias para esboçar o que a empresa quer e precisa ser.

Uma reflexão muito válida aqui diz respeito à diferença entre o que uma empresa é e o que ela gostaria de ser. Sua organização não pode criar um culture code dizendo “somos X ou Y” se quem faz parte do dia a dia sabe que isso não é real.

O código, porém, pode servir para guiar a empresa na direção desejada.

Consolide as informações e crie o documento

Com todas as informações em mãos, o próximo passo na montagem do culture code é redigir o documento e chegar à sua versão final.

Tenha em mente que o código deve refletir a realidade da empresa. Se a ideia de valores e cultura envolve um ambiente leve, inclusivo e informal, é interessante que o culture code também englobe esses elementos.

Divulgue o código para a empresa

Com o documento criado, é chegada a hora da divulgação. É a partir disso que o código pode ser colocado em prática, o que começa com sua ampla divulgação para todas as pessoas da empresa.

Lembre-se de que divulgar pode ser mais do que simplesmente compartilhar. Pode ser válido organizar uma apresentação para que as ideias sejam bem compreendidas por todos.

Isso porque o culture code não pode ser entendido como “só mais um informe” da empresa. É algo que precisa fazer parte da realidade do dia a dia na prática e os funcionários precisam ser engajados a isso.

Assim, vale explicar o porquê de cada questão apresentada pelo código, sua importância e demais orientações.

Defina ações para fortalecer os valores do código

Você se lembra de que dissemos que a cultura organizacional surge naturalmente? Com o tempo, os valores do código podem ser internalizados ou esquecidos.

Isso é natural, mesmo com uma divulgação bem feita, porque nossos comportamentos e expectativas são moldados por várias situações do dia a dia.

Entretanto, como também dissemos antes, o culture code serve de guia para que nenhuma situação seja capaz de tirar de vista os valores que a organização definiu como fundamentais.

Assim, momentos de integração podem ser ótimas oportunidades para reforçar as ideias, destacar condutas alinhadas aos valores da empresa e lembrar a todos sobre o código e sua importância.

Divulgue o código para o público externo

Um bom culture code pode ser, entre tantas outras coisas, uma ferramenta a favor do fortalecimento da marca empregadora ou employer brand.

Se o público externo ― sociedade e mercado ― tem mais clareza dos valores da organização, podem conhecê-la melhor e se identificar ou entender quais são seus pontos fortes.

Isso pode funcionar como diferencial competitivo além de, como vimos, favorecer o fit cultural nos processos de recrutamento e seleção. 

Acompanhe os resultados

Quase nada na gestão de pessoas simplesmente acaba. Uma vez criado, o culture code serve como um “guia supremo”, mas isso não significa que não possa passar por ajustes e atualizações.

Não considere apenas a possibilidade de mudança de valores já que, em geral, a essência permanece a mesma. Mas alterações na forma de comunicar esses valores podem se fazer necessárias.

Para descobrir isso, é preciso acompanhar os resultados e saber como o código está impactando o dia a dia da organização e a forma com essa é percebida pelo mercado.

Essa tarefa não cabe somente ao RH. Por estarem mais próximos das equipes, os líderes também precisam observar se os valores estão sendo respeitados e quais ideias talvez não tenham sido devidamente compreendidas ainda.

Como registrar o culture code da sua empresa?

A parte de criar o documento de fato costuma gerar dúvidas e pode até se tornar um entrave para a conclusão do projeto. Assim, temos algumas orientações que podem ajudar:

  • O tamanho e o formato do culture code ficam a critério do comitê formado pelos profissionais do RH. Vale lembrar que quanto mais detalhado, melhor, mas que cada informação precisa ter um propósito, não faz sentido ser prolixo;
  • É aconselhável buscar uma forma de comunicação que facilite a compreensão. O culture code precisa ser internalizado ao máximo por todas as pessoas da empresa. Isso significa que, antes de qualquer coisa, os profissionais precisam entender cada mensagem.

Se fizer sentido com o perfil do quadro de funcionários, vale redigir um documento mais “tradicional” em texto corrido. Também é válido pensar em slides com frases de destaque, animações ou um vídeo, por exemplo.

Materiais de apoio como folders ou quadros também podem ser usados no reforço das mensagens do código de cultura organizacional.

Quais são os benefícios de um código de cultura eficiente?

Para ser eficiente, um culture code precisa ser bem estruturado seguindo as dicas que demos até aqui.

Tendo um comitê formado e destinado para a criação do documento, o processo tende a não ser tão complicado quanto parece, mas demanda atenção. Para que esse esforço valha a pena, há benefícios pelos quais sua empresa pode esperar.

Benefícios internos do culture code

Gostamos de destacar que a relação empregatícia é uma via de mão dupla. Empregadores querem os melhores profissionais que, por sua vez, também querem as melhores empresas.

Você já deve saber que isso não tem relação apenas com a remuneração. Cada vez mais, há uma preocupação com o alinhamento de valores ― algo mais presente entre os mais jovens, como contamos no post sobre diversidade geracional.

Com isso em mente, destacamos os seguintes pontos:

Aumenta motivação e produtividade

Quando um profissional trabalha para uma empresa com a qual se identifica, seus níveis de motivação e engajamento são mais elevados. Consequentemente, os funcionários tendem a ser mais produtivos.

Melhora o clima organizacional

Ao gerar identificação ― inclusive porque torna o processo de recrutamento e seleção mais assertivo ― o culture code impacta positivamente o clima organizacional.

Essa consequência é esperada porque o senso de pertencimento se torna mais forte entre os funcionários e as equipes. Algo que favorece a colaboração e a inclusão também.

Favorece autodesenvolvimento

É sempre interessante para empresas desenvolver programas de educação interna. Entretanto, no caminho da evolução profissional, há muito que depende do envolvimento dos próprios profissionais.

A busca pelo autodesenvolvimento é sempre apreciada, sobretudo quando segue uma direção que beneficia o trabalhador e a organização.

O culture code é um instrumento a favor de tudo isso porque, graças a esse documento, as condutas e habilidades buscadas passam a estar claras para todos. É como uma bússola.

Contribui para mais autonomia

Pegando o gancho nessa ideia da bússola, o culture code permite que os funcionários tenham mais clareza sobre o que a empresa espera de cada um. Assim, fica mais fácil tomar decisões por conta própria.

Mantendo o respeito à hierarquia definida, trabalhadores orientados pelo código conseguem chegar a respostas para eventuais dúvidas sozinhos porque têm conhecimento do tipo de atitude esperada;

Minimiza dissonâncias comuns ao trabalho remoto

O home office que já era uma tendência no Brasil passou a ser realidade para muitos trabalhadores e empresas em razão da pandemia da Covid-19.

Como desdobramento, parte das organizações se abriram para a ideia de seguir com o trabalho remoto ou com um modelo de trabalho híbrido. Em ambos casos, além das vantagens, existem os desafios de gestão e comunicação.

Ter um culture code bem estruturado ajuda a evitar dissonâncias de conduta e valores que a falta do convívio presencial pode causar.

Favorece o recrutamento e reduz o turnover

Já exploramos bastante a relação do manual de cultura com o processo de recrutamento e seleção. Assim, nos resta ressaltar que além de ajudar a atrair os profissionais certos, o culture code ajuda a retê-los.

Basta considerar os benefícios mencionados até aqui para entender por que um código bem elaborado evita que a rotatividade de funcionários seja alta.

Benefícios externos do culture code

Comentamos antes que o culture code pode ser também uma ferramenta de fortalecimento de marca. Vejamos, então, alguns benefícios atrelados a isso tendo o público externo como referência:

Torna a empresa mais atrativa

O universo interno e externo das organizações se relaciona. O aumento da identificação por parte dos profissionais contratados aumenta as chances da propaganda positiva e gratuita do local de trabalho.

Isso contribui para melhorar a imagem que a empresa passa para o mercado, tornando-a mais atrativa para os talentos disponíveis.

Torna a empresa mais competitiva

Além disso, o fortalecimento da marca faz com que a empresa seja mais conhecida e reconhecida. Isso aumenta seu prestígio perante o público e o mercado.

Como consequência, a organização tem mais poder na hora de escolher seus parceiros de negócios e outros stakeholders.

Exemplo de código de cultura: Google

Uma das etapas do processo de montagem do código de cultura que apresentamos é justamente pesquisar exemplos de culture code que possam servir de inspiração.

São vários os que estão disponíveis para consulta na internet e há boas chances de que você encontre algum que considere útil segundo os valores da sua própria organização.

Para ilustrar, trouxemos o do Google porque, sendo uma empresa global, inovadora e tão presente em nossas vidas, pode despertar curiosidade de qualquer RH. Veja:

Alguns pontos para você observar:

  • A Google optou por apresentar seu culture code por meio de slides. São 54 ao todo;
  • Acostumada à leveza, a empresa escolheu uma linguagem também leve e um design divertido.

Que leveza é essa a qual a empresa está acostumada? Basta se lembrar dos famosos doodles que aparecem na página principal do buscador;

  • Para tornar a comunicação clara, o culture code tem pouco texto por slides. Em geral, são frases simples e objetivas;
  • Para tornar a comunicação envolvente, a Google apostou em perguntas e respostas em alguns momentos e também apostou em diversas ilustrações.

Temos esses materiais ricos que te ajudarão muito no seu dia a dia. Baixe-os agora mesmo!
📚 Na sede ou em home office – A sua empresa está preparada para o modelo híbrido de trabalho?
📚 Recrutamento Inteligente: como os algoritmos podem colaborar com o seu processo seletivo?
📚 Gestão de pessoas remota: o guia completo para colocar em prática na sua empresa!
📚 EMPLOYER BRANDING: Veja como cultivar sua marca empregadora e atrair os melhores talentos!

Conclusão​​​​​​​

O culture code é um documento. Ainda que pareça uma mera formalidade ou mais uma burocracia para a rotina do RH, seu papel é de grande importância para registrar a cultura que norteia a conduta da organização e de seus funcionários.

A forma como uma empresa e seus profissionais agem determina como essa empresa é, como é trabalhar nela, como ela é vista pelos públicos internos e externos e onde pode ser capaz de chegar.

Como vimos, esse código de cultura pode servir como um guia ou até uma bússola que, tendo os valores como norte, indica os caminhos a serem seguidos para alcançar o sucesso em diferentes esferas.

Esperamos que o post tenha sido útil. E se você gostou da leitura, aproveite para entender melhor por que se atentar ao fit cultural no momento do recrutamento e seleção!

Faça um teste Grátis

Deixe um comentário