Aniversário do Tangerino: Conheça a História por Trás da Gigante do Controle de Ponto Digital

O Tangerino nasceu em 2013 como uma ferramenta voltada para a gestão da jornada de trabalho das empregadas domésticas. Após 8 anos, estamos subindo rumo ao pódio do controle de ponto digital, atendendo diversas empresas dos mais variados ramos.

Tempo de Leitura: 18 minutos

Última atualização em 29 de novembro de 2021

Estamos comemorando os 8 anos do Tangerino! Foram muitas conquistas, muitos clientes satisfeitos e um crescimento exorbitante da nossa equipe. 

Porém, 8 anos é tempo suficiente para acontecerem muitas reviravoltas, todas elas importantíssimas para nos colocar onde estamos hoje. 

Em comemoração ao aniversário do nosso querido Tangerino, e para mostrar por que somos tão orgulhosos de fazer parte da empresa de controle de ponto digital que mais cresce no Brasil, decidimos contar um pouco da nossa história. 

Aproveitando o aniversário do Tangerino, venha entender de onde partiu a ideia do software, como desenvolvemos nossa solução e como eu, Léo Barros, trouxe brasilidade para uma solução nunca antes vista no país! 

Como tudo começou?

O Tangerino começou em meados de 2013, a partir da minha vontade de criar produtos escaláveis voltados para a transformação digital.

Porém, mal sabia eu que essa vontade havia nascido décadas antes, com o meu fascínio pelo universo da computação.

Flexibilização do trabalho

Fui uma criança curiosa — como a maioria costuma ser —, mas esse interesse pelo novo foi cultivado desde cedo.

Com pai e mãe professores não haveria de ser diferente. Aos 14 ou 15 anos, decidi: queria fazer computação, mesmo sem ao menos saber o que isso significaria.

Aos 18, já na universidade, veio a surpresa: o curso de computação não era nada do que eu estava esperando, era muito melhor.

Claro, com todos os altos e baixos que uma formação desse tipo oferece, é de se esperar que nem tudo tenha sido perfeito.

Mas ali nascia uma vontade inexplicável de criar, propor soluções tecnológicas para problemas do cotidiano.

Já na faculdade eu me deparei com o conceito de startup, um modelo ainda muito pequeno no Brasil, mas diretamente ligado ao desenvolvimento de produtos.

Para alguém que gostava tanto de programar, como era o meu caso, foi amor à primeira vista.

Conheci um dos meus sócios no meu primeiro emprego, sem nem imaginar que, algum tempo depois, estaríamos juntos em Londres, desbravando a cidade com um mapa ainda em papel e um inglês ainda muito precário.

Desbravando Londres

Após muitos estudos e uma entrevista quase indecifrável, fomos aprovados para trabalhar em Londres.

Giovanni La Porta, um dos sócios de Leonardo Barros, em Londres. 

Desenvolvemos conteúdos como jogos, ringtones e wallpapers para os modelos de celulares antecessores dos smartphones.

Em 2008 ainda não era muito comum ter contato com empresas de tecnologia fora do Brasil, por isso essa oportunidade foi tão valiosa.

Contudo, após um tempo e com a evolução da tecnologia, o surgimento de lojas de aplicativos como a Apple Store fez as vendas do nosso negócio caírem.

Além disso, a crise imobiliária nos EUA provocou um colapso econômico mundial, afetando também o desempenho das nossas atividades.

Foi a primeira crise que nós enfrentamos e que nos fez repensar sobre o tipo de solução que estávamos desenvolvendo.

O mercado da construção civil

Após a queda, vimos a necessidade de nos reinventarmos, por isso partimos para a criação de soluções voltadas para o mercado da construção civil.

Foi uma mudança drástica de rumos, mas extremamente necessária para continuarmos fazendo aquilo que mais gostamos: criar soluções que facilitem a vida das pessoas.

Investimos, então, no ramo da construção pesada, um segmento em constante crescimento na época.

No entanto, mais uma vez nos deparamos com uma crise, mas desta vez interna, provocada por escândalos políticos envolvendo construtoras brasileiras.

Foi então que a vontade de criar um produto digital — não um serviço — bateu mais forte em mim. Nos veríamos livres, em certa medida, dos impactos provocados por fatores externos e não dependeríamos de apenas um nicho de mercado.

Os primeiros passos da transformação digital

Criamos a Framework, uma empresa voltada para a área de serviços digitais, ou seja, ajudamos a promover a transformação digital nas empresas.

Meu sócio e eu trabalhávamos 14 horas por dia, já que não tínhamos investidores e fazíamos tudo nós mesmos. 

Na época, nós contávamos com uma cartela considerável de clientes, mas ainda prestávamos serviços. 

Posso dizer que nós tínhamos uma limitação — quando vamos realizar uma consultoria, desenvolver um treinamento ou desenvolver um software, há um limite do quanto é possível entregar para aquele cliente fisicamente —, e eu queria criar algo mais ligado a empreendedorismo, trabalhar com produtos digitais.

Foi em 2013, então, que comecei a tirar as ideias do papel, mas ainda me deparando com uma série de percalços.

À época, não era tão comum ter tantas startups como há hoje no mercado, ainda mais em Belo Horizonte.

Mas, ainda assim, fomos inovadores e desenvolvemos uma série de soluções em aplicativos de smartphones.

Desenvolvemos o app Cadê meu banco, que mostrava aos usuários as agências bancárias mais próximas de sua localização atual. Ele indicava, ainda, a distância, o endereço completo e o telefone das agências.

Na época, o aplicativo foi muito baixado, sendo indicado inclusive pela própria loja de aplicativos do Google, como uma excelente ferramenta para localização de serviços bancários.

Em seguida, criamos o Cadê meu ônibus, um app para mostrar aos usuários de transporte público a que distância estava seu ônibus e em quanto tempo ele chegaria até o ponto.

Ele foi, inclusive, usado pela prefeitura de Uberlândia por um bom tempo para informar a população sobre os horários dos ônibus.

Ainda desenvolvemos produto de entrega digital com monitoramento veicular, aplicativo para pagamento online e tantas outras soluções inovadoras na época.

O nosso lema era criar, testar, errar, corrigir e, assim, seguir inovando e facilitando a vida das pessoas. 

Em uma reportagem feita pela rede Record, é possível ver algumas dessas ferramentas que citei: 

Mudança de mentalidade

No início esse fluxo de criação, teste e implementação era contínuo, estávamos desenvolvendo muitos projetos simultaneamente, sem ao menos pensar na necessidade de criar um plano de negócios bem estruturado para sustentar nossas soluções.

Além disso, muitas das nossas invenções não foram levadas adiante por falta de maturidade do próprio mercado — vide os aplicativos de delivery e pagamento online, um sucesso hoje em dia, mas inovadores demais naquela época.

É apenas a experiência que nos mostra o quão importante é essa fase para o desenvolvimento de um negócio.

Decidimos tirar o pé do acelerador e procuramos entender quais eram nossas reais motivações por trás de todo aquele trabalho.

Fui convidado para participar de um programa de inovação e empreendedorismo na universidade de Stanford.

O curso ocorreu de forma presencial nos EUA, mas uma parte foi realizada no Brasil, com a presença dos professores aqui e alguns conteúdos online para enriquecer o aprendizado.

A fase final do nascimento do Tangerino foi durante essa experiência, na qual tivemos que desenvolver um produto e fazer toda a modelagem do negócio, estruturar o marketing, criar uma persona, mapear as dores do cliente etc. 

Na época, eu já percebia que o Tangerino tinha muito potencial e via os benefícios que esse programa traria para a solução no longo prazo.

A ideia inicial do Tanger

Queríamos desenvolver algo voltado para negócios de pequeno e médio porte, que fosse simples e escalável.

Na época, estava entrando em vigor no Brasil uma lei voltada para a regularização dos empregados domésticos, e foi então que vimos a oportunidade de criar algo voltado para esse nicho.

Levamos esse produto — antes ainda de ser o nosso querido Tangerino — e fizemos bastante benchmarking com empresas estrangeiras, já que no Brasil ainda não havia ninguém que fizesse esse tipo de trabalho no meio digital. 

Foi no programa de Stanford que fizemos a modelagem do negócio e demos forma a uma das nossas melhores ideias.

A recepção foi tão boa que recebemos a validação de vários grupos de investidores estrangeiros.

Começamos, então, a fase de desenvolvimento do produto. Inicialmente, talvez pela empolgação de ser pioneiro no ramo aqui no Brasil, ou pelo amor pela área de tecnologia, entregamos uma solução robusta e muito completa — talvez completa até demais em vista das necessidades dos usuários.

Como ainda não tínhamos verba para investir no software, lançamos o app em 2015 de forma bastante despretensiosa, totalmente gratuita. A ideia por trás dessa iniciativa era obter a validação do mercado.

A partir dos feedbacks dos usuários, fizemos melhorias, correções e retiramos algumas funcionalidades que ainda não estavam diretamente relacionadas aos anseios da nossa persona.

eBook: Guia Prático sobre Comunicação Interna

O alto número de downloads, usuários e, consequentemente, feedbacks foi a resposta que precisávamos para confirmar que nossa solução era necessária, havia muita demanda e o mercado estava sedento por algo desse tipo.

Foi então que vimos o peso que uma solução de ponto digital tinha dentro de um cenário em que os sistemas de controle de jornada não evoluíam e nem tinham para onde evoluir, senão em direção ao meio digital.

Mudança na persona 

Ao mesmo tempo em que, em 2015, percebemos que nosso produto tinha tração no mercado, nós vimos que a persona que desejávamos atingir tinha anseios e dores muitas vezes mais simples do que as ferramentas oferecidas por nossa solução.

Além disso, por meio dos feedbacks, validamos quem realmente era nosso cliente ideal. Embora tenhamos pensado, inicialmente, na PEC das domésticas e nos patrões que precisavam regularizar a jornada de trabalho dessas trabalhadoras, notamos que, na verdade, quem usava o nosso produto eram pequenas e médias empresas.

Estudamos esse cliente-alvo, reformulamos nossa persona e, só então, começamos a caminhar rumo ao crescimento do Tangerino. Em 2016, montamos um time comercial para, finalmente, vender nossos produtos.

Finalmente, a venda do produto

Agora que estávamos, de fato, vendendo nossa solução como um controle de ponto digital eletrônico para as empresas, tínhamos a obrigação de entregar um produto finalizado, porque o cliente pagante não admite certos erros, todos nós somos assim.

Logo de início já nos deparamos com outra dificuldade: a dúvida do público em relação à legalidade da solução.

Mais uma vez tivemos que arregaçar as mangas e tentar educar o mercado para essa revolução no controle de jornada que estávamos propondo.

Decidimos trazer para nossa equipe um advogado para nos ajudar a tratar das questões relativas às leis trabalhistas, tirar as dúvidas da equipe e dos clientes, ainda inseguros com nosso produto tão inovador.

E foi assim que nasceu o nosso blog, dessa vontade de mostrar para as empresas brasileiras quem éramos, o que estávamos propondo e como podíamos ajudá-las a tornar os processos de RH e DP mais estratégicos e otimizados.

Cada vez mais, nossa equipe foi crescendo e se desenvolvendo. Fomos aprimorando nossos setores de tecnologia, atendimento ao cliente, vendas e marketing, sempre tentando olhar para as empresas de fora, já que ainda não havia concorrência significativa no Brasil.

Desde então, tivemos um crescimento estrondoso, dobrando o tamanho da empresa e o faturamento anualmente, conseguindo conquistar e fidelizar mais e mais clientes por todo o país.

Até hoje recebemos vários feedbacks positivos de nossos clientes, contando como conseguimos solucionar os problemas gerenciais e tornar a rotina dos colaboradores e gestores mais otimizada e fácil.

Queremos que nossos clientes se sintam parte da família Tangerino, e ficamos muito satisfeitos em ver que nosso objetivo está sendo alcançado, que é nos aproximar dos profissionais de DP e RH e melhorar os processos desses setores.

A evolução do nosso produto — e da nossa empresa

A grosso modo, o Tangerino nasceu como um spin-off da Framework. Montamos nossa operação, inicialmente, em um espaço minúsculo, usado pela equipe da Frame como sala de aula — já que muitos cursos e palestras eram ministrados pela empresa.

Quando a equipe precisava da sala, tínhamos que sair e encerrar nossas atividades. Talvez não tenha sido à toa que nascemos e nos desenvolvemos em uma sala de aula.

É interessante pensar que nossa solução veio para educar o mercado sobre a evolução tecnológica na área de RH. Educação, mais uma vez, tão presente na minha trajetória.

Quando a equipe alcançou a robustez que estávamos esperando, foi necessário migrar para um espaço só nosso, preparado para receber profissionais cada vez mais capacitados e prontos para fazer a solução decolar.

E nossa equipe segue crescendo! Hoje já ocupamos dois andares no prédio da rua Santa Rita Durão, mas gosto de pensar que, se convocássemos todos os colaboradores — inclusive os contratados durante a pandemia —, não haveria lugar para todos.

Todo esse desenvolvimento se deu sem a intervenção de investidores. Foi apenas em 2018 que recebemos nosso primeiro investimento de uma venture capital, a Group Venture. Essa ajuda foi fundamental para potencializar e acelerar o crescimento do Tangerino.

Investimento nas equipes

Os recursos dos nossos investidores foram usados para montar equipes cada vez mais robustas. Hoje, temos um setor de marketing focado em SEO, growth, branding, relacionamento com a comunidade etc.

Também desenvolvemos a Universidade Tangerino, oferecendo nossa expertise para vários profissionais de DP e RH, além de pequenos e médios empreendedores interessados em cuidar da gestão de pessoas de forma mais estratégica.

Nosso time comercial também foi repaginado, sendo subdividido em suporte, onboarding, atendimento a grandes contas, todos eles oferecendo um atendimento especializado em solucionar as demandas dos nossos clientes e oferecer a melhor ajuda possível. 

Nosso setor de tecnologia também cresceu, sendo formado por profissionais capacitados para melhorar nosso software e torná-lo cada vez mais próximo do que nosso cliente espera. 

Estamos, cada vez mais, estruturando nossas equipes e trazendo talentos especialistas em criar, inovar e continuar mantendo o Tangerino no patamar de pioneiro em solução de controle de ponto digital.

O que torna o Tangerino diferente das outras empresas?

Gosto de pensar que o Tangerino é um misto de tecnologia inovadora e bom atendimento. Nosso principal objetivo é ajudar nossos clientes a se desenvolverem, criando um laço de parceria e, muitas vezes, de amizade com essas pessoas que confiam em nós.

Facilitar a vida desses clientes e disponibilizar processos automatizados para tornar o dia a dia deles mais fácil e agradável é o nosso diferencial. 

Infelizmente, ainda é raro vermos uma empresa que realmente caminha lado a lado de seus clientes, que vibra com suas vitórias e sofre com suas derrotas.

E nós mantivemos esse ideal, mesmo que estejamos crescendo e conquistando cada vez mais parceiros. 

Crescimento exponencial

Nossa equipe aqui dentro gosta de dizer que foguete não tem ré. Estamos crescendo anualmente, mostrando números positivos e impressionantes aos nossos investidores e, mais importante, à nossa equipe que faz isso acontecer diariamente.

O número de assinaturas mensais tem aumentado cada vez mais, mostrando que ainda temos um terreno grande a ser explorado e conquistado.

Todos os anos batemos a nossa meta de, pelo menos, dobrar o faturamento em relação ao ano anterior — em alguns anos nós chegamos a triplicar esses números, tanto em faturamento quanto em time. 

Programa Scale-up da Endeavor

Outro momento de virada na história do Tangerino foi termos entrado para o programa Scale-up da Endeavor, que conecta nossa empresa a grandes empresários cujas histórias já passaram pelas etapas que estamos vivendo hoje.

É uma oportunidade única de aprender com esses profissionais e potencializar nosso networking para fortalecer o nome do Tangerino no mercado brasileiro.

Todas essas mudanças e evoluções pelas quais passamos foram fundamentais para colocar nossa empresa no caminho certo e transformá-la em referência nacional em controle de ponto digital e gestão de pessoas.

Prêmio Top of Mind de RH

Na 24ª edição do Prêmio Top of Mind do RH, o Tangerino já aparece como destaque entre as Top 5 em Controle de Frequência. Isso já é um grande motivo de orgulho para todos nós, que nos empenhamos dia após dia para entregar o melhor aos nossos clientes.

Em 2020, a crise sanitária provocada pelo novo coronavírus promoveu um cenário de constantes mudanças e incertezas para todos, em especial para as empresas SaaS — software as a service.

Vendo muitas empresas fecharem as portas diante do isolamento social, toda a nossa equipe ficou temerosa, inclusive eu. Mas confiei na minha solução e, mais importante, confiei nos talentos do Tanger.

Com todos os times atuando em home office, mudamos os processos e buscamos soluções criativas para fugir da crise.

Durante todos os momentos difíceis — desde a imposição do isolamento até o retorno seguro dos colaboradores às empresas — estivemos presentes oferecendo soluções modernas e alinhadas às necessidades dos nossos clientes.

Estar entre os Top 5 na categoria “Empresas fornecedoras de produtos/serviços para o RH” é uma grande conquista, já que nosso objetivo é e sempre foi utilizar a tecnologia a serviço das pessoas. 

Gestão próxima

Sempre gostei de estar próximo às pessoas, de trabalhar em conjunto, criar laços e trocar ideias. Não há nada mais mineiro do que isso, uma boa prosa e novas amizades que surgem quando menos esperamos.

Procuro me relacionar com a equipa da mesma forma de quando éramos apenas um grupo na salinha da Framework: com afeto, proximidade e colaboração. Para mim, isso é ser um time!

Mesmo com a empresa decolando e a equipe crescendo, ainda tento manter os laços bem próximos, rompendo esse distanciamento que existe na hierarquia organizacional. 

Para alguns, sou o CEO do Tangerino; para outros, sou o Léo, aquele que está sempre presente para entender a dor da pessoa, aberto ao diálogo e pronto para ajudar quem precisar.

Enquanto outros empresários têm um perfil de liderança diferente, eu gosto de caminhar ao lado da operação, colocando a mão na massa, aprendendo com o time e ensinando o máximo que eu sei. Ser criado por educadores deu nisso!

Quais são os próximos passos?

Além, claro, de crescer ainda mais o nosso negócio e nos consolidarmos como a primeira opção das empresas quando o assunto for controle de ponto por aplicativo, queremos aumentar a nossa entrega de valor e melhorar ainda mais nosso relacionamento com os clientes.

Não queremos ser só um aplicativo de controle de ponto e gestão da jornada de trabalho. Queremos oferecer automação para outros processos da área de RH e DP, cada vez entregando mais valor e sendo mais completos em nossas ferramentas.

Em outras palavras, queremos realmente poder ajudar nossos clientes em todo esse processo de digitalização, inovação e evolução na área de Recursos Humanos e Departamento Pessoal

Gosto de pensar que tenho vocação para resolver problemas. Desde muito jovem já notei essa aptidão para superar as dificuldades de forma criativa e inovadora — às vezes criativa até demais!

Por isso, sei que o futuro do Tangerino será de muito sucesso, independentemente dos percalços e das adversidades que surgirem ao longo do caminho. Passaremos por tudo isso com nossa alegria habitual, muita vontade de vencer e criatividade a mil.

Enfrentamos várias dificuldades ao longo da nossa história — crise do mercado imobiliário dos EUA, crise política no Brasil e a crise mundial do coronavírus —, mas vencemos cada uma delas com a ajuda da tecnologia. Se nós conseguimos, queremos mostrar para nossos clientes que eles também conseguem, e nós podemos ajudar!

São 8 anos fazendo história e mudando os rumos do controle de jornada de trabalho no Brasil. Estamos prontos para levar sua gestão de pessoas a outro patamar. Vamos juntos? 🚀🍊

Faça um teste Grátis

1 comentário em “Aniversário do Tangerino: Conheça a História por Trás da Gigante do Controle de Ponto Digital”

  1. Uma curiosidade, porque a escolha do nome Tangerino?

    Fui ler despretensiosamente, mas que história legal, interessante e motivadora.
    Amei a sua história Leo!
    Você tem a mente muito a frente do nosso século.

    Responder

Deixe um comentário