Ponto digital biométrico: como funciona e como implementar

O ponto eletrônico biométrico é aquele que usa a tecnologia para fazer o reconhecimento de características únicas das pessoas, como a digital, a íris do olho ou a face, por exemplo.

Já faz algum tempo que os tradicionais sistemas de controle de ponto manual estão dando espaço a novas tecnologias. Em 2011, o uso de sistemas alternativos para o controle de ponto foi regulamentado pela Portaria 373 do extinto Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Desde então, soluções como o relógio de ponto digital biométrico estão entre as melhores e mais seguras opções para as empresas e seus colaboradores.

A partir dessa mudança, outras normatizações sobre o controle de ponto permitiram uma série de inovações nesse meio. E, diante de tantas possibilidades, é comum ter dúvida entre um relógio de ponto digital ou um relógio de ponto biométrico.

Ainda não sabe qual solução escolher? Não se preocupe, essa questão pode ser facilmente resolvida conhecendo as características de cada tecnologia e tendo como opção uma solução que une o melhor das duas.

Conheça as formas mais simples de realizar controle de jornada

cartão de ponto

(Não, não é como nessa foto.)

O que diz a legislação sobre o relógio de ponto biométrico?

É interessante esclarecermos as questões legais que nos permitiram chegar até esse nível de avanço tecnológico.

Em 2009, o MTE publicou a portaria 1510 que regulamentava o uso de sistemas eletrônicos, como relógios de ponto, para o controle de horas trabalhadas no ambiente corporativo. 

Apesar de representar um marco positivo, a implementação dos equipamentos que foram regulamentados poderia ser custosa para as empresas e, por isso, o debate em torno do uso de soluções alternativas se intensificou.

Não demorou para que soluções alternativas aparecessem e a legislação se modernizasse. Isso aconteceu por meio da portaria 373 que falamos lá no início do texto.

Se você estiver um pouco confuso com tanta legislação, a gente explica:

portaria 373 e portaria 1510

A tecnologia, então, permitiu que os apps de ponto digital fossem implementados na rotina de trabalho, sendo instalados em computadores desktop, notebooks, tablets e smartphones. Com isso, a marcação pode ser feita de diferentes formas e em qualquer lugar. É daí que vem o ponto eletrônico biométrico.

Ao contar com soluções mais simples, tecnológicas e flexíveis, as empresas também estão mais preparadas para tempos nos quais a gestão e o controle (como um todo) são mais complexos. 

Esse diferencial foi facilmente observado durante o período de isolamento social que a pandemia da Covid-19 impôs.

Como funciona o relógio de ponto digital?

A digitalização é um movimento que decorre do avanço tecnológico e oferece soluções práticas e financeiramente acessíveis para as empresas, como é o caso de um relógio de ponto digital.

Aplicativos de controle de ponto são exemplos desse tipo de solução. Uma vez instalado nos dispositivos dos colaboradores, o aplicativo de ponto permite que a marcação seja feita com apenas alguns cliques.

Para além de sua praticidade, outro atrativo do relógio de ponto digital na empresa é o fato de ser uma tecnologia baseada no uso da internet. É isso o que permite, por exemplo, o controle de ponto externo.

Assim, se sua empresa quer um sistema que seja simples e rápido, pode optar pelo relógio de ponto digital.

E como funciona o relógio biométrico?

O relógio biométrico surgiu em decorrência da regulamentação dos sistemas de ponto eletrônico e, desde então, permite que os colaboradores façam a marcação de ponto facilmente no equipamento da empresa.

O ponto eletrônico biométrico é aquele que usa a tecnologia para fazer o reconhecimento de características únicas das pessoas, como a digital, a íris do olho ou a face, por exemplo.

Afinal, o que é biometria? 

o que é biometria?

Biometria é o estudo das características físicas de um ser humano, usadas para identificar unicamente uma pessoa. Algumas dessas características únicas estão presentes no corpo de uma pessoa, como nas digitais, nos olhos, na retina, na íris ou ainda na palma das mãos. 

É possível também que sistemas biométricos consigam identificar um indivíduo por meio da voz, da forma como ela anda, como reage a sustos e outros comportamentos.

Essa tecnologia é bastante usada em aeroportos, bancos e empresas que trabalham com inovação, onde o acesso a determinados locais é restrito e fazer o controle de quem entra e sai é fundamental para resguardar a segurança.

No caso da biometria comportamental, o estudo para identificar uma pessoa é muito mais complexo, por isso esse método ainda não é tão difundido. 

Como nenhuma pessoa apresenta exatamente as mesmas características, é possível desenvolver um sistema de controle de acessos extremamente preciso, o que levou ao uso da biometria também para o ponto eletrônico de funcionários.

A modalidade mais utilizada é a leitura da impressão digital para identificar cada colaborador e fazer o registro de suas marcações. Com isso, se a maior preocupação de sua empresa é conferir mais transparência ao processo de controle de ponto para funcionários, evitando desconfianças entre empregador e colaboradores, essa pode ser a solução ideal.

Quais as vantagens do ponto eletrônico biométrico?

Seja para marcar a hora de entrada, intervalos ou horário do almoço, o relógio biométrico é, naturalmente, um recurso muito mais prático que o cartão de ponto manual, e que oferece mais segurança e vantagens. Veja algumas delas.

1. Esqueça as senhas

A expectativa é que, com o passar do tempo, o uso diário de senhas de acesso faça com que estas sejam memorizadas pelos colaboradores. Não raro, porém, esquecimentos ou confusões acontecem e geram inconvenientes ― como o bloqueio do acesso ao sistema ―, além de eventuais inconsistências no controle de folha de ponto.

Uma das vantagens do ponto eletrônico biométrico é justamente a ausência de senhas ou da necessidade de qualquer outro tipo de código de acesso. Isso porque, com esse tipo de tecnologia, a identificação de cada colaborador é totalmente feita a partir de suas características físicas.

A leitura do ponto eletrônico biométrico pode ser feita com a impressão digital ou por meio da identificação do rosto do funcionário, o chamado sistema de reconhecimento facial, como já mencionamos.

2. Diga adeus às fraudes no controle de ponto

Como mencionamos, cada indivíduo tem características e traços únicos. Em outras palavras, ninguém tem impressões digitais iguais, nem mesmo uma combinação idêntica de pontos nodais (nome dado a pontos específicos do rosto humano).

Sendo assim, o melhor relógio de ponto biométrico impede que uma pessoa tente marcar por outra na hora de bater o ponto.

Para as companhias, essa vantagem representa uma grande segurança no momento de verificar os movimentos de entrada ou de saída dos seus colaboradores. O resultado é o aumento da confiabilidade na relação entre a empresa e seus funcionários. 

Vale considerar ainda que os registros do relógio de ponto são automaticamente atualizados no sistema e não podem ser alterados. Assim, também não há espaço para que os funcionários desconfiem da gestão de horas realizada pelo departamento de RH.

3. Fique alerta à segurança jurídica da empresa 

Fraudes e falhas no controle de ponto podem levar a divergências nos registros da jornada de trabalho de cada colaborador da empresa. Como consequência, a gestão de horas a serem compensadas ou o pagamento de horas extras podem ser feitos de forma equivocada.

Erros dessa natureza lideram o ranking de motivos para ações trabalhistas movidas por ex-funcionários. Sob a empresa, recai a necessidade de apresentar os registros para provar o seu ponto na disputa e evitar penalizações financeiras. 

O relógio de ponto biométrico garante que não haja fraudes ou falhas. Assim sendo, a segurança dessa tecnologia também conta como uma aliada da empresa em processos judiciais que alegam valores indevidos no repasse feito aos colaboradores, por exemplo.

Para entender melhor esse tópico, veja como o controle de ponto digital diminui os processos trabalhistas:

4. Dê um basta no “esqueci o cartão” 

Vamos lembrar da primeira vantagem do relógio de ponto biométrico que apresentamos, a ausência de senhas. Pode ser que você tenha pensado “mas em nossa empresa usamos cartões de acesso, então não temos esse problema de esquecimento”. Será mesmo?

A verdade é que o esquecimento do cartão de marcação de ponto por parte de algum funcionário também pode acontecer. Esse é um problema que empresas de todos os portes estão sujeitas a enfrentar, tendo de lidar com o risco de falhas de registro que levam a inconsistências e criam problemas para o RH. 

Em outro cenário, quando a sua companhia conta com a tecnologia de um relógio de ponto biométrico, o problema do esquecimento desaparece. Assim, outra importante vantagem a ser destacada é saber que esse tipo de inconveniente não aconteça mais.

Como consequência, ajustes posteriores no controle de presença dos funcionários já não precisam ser solicitados ao RH e trâmites como a emissão de um novo cartão de ponto também deixam de acontecer.

5. Conte com o melhor custo-benefício 

A praticidade do relógio de ponto biométrico não apresenta consequências somente no controle de ponto em si, os benefícios se estendem a outros processos e departamentos.

Em primeiro lugar, ao adotar essa solução sua empresa economiza na manutenção das máquinas antigas e na emissão dos cartões magnéticos usados na marcação tradicional.

Como complemento, desaparecem todos os processos necessários para corroborar informações, corrigir a marcação em casos de esquecimento e até mesmo na quantidade de pessoal encarregado de gerenciar sistemas antigos.

Outra vantagem associada ao controle de ponto digital biométrico é a integração com o software que realiza a gestão do banco de horas trabalhadas e a precisão do registro de ponto. A tecnologia contribui para que questionamentos feitos em eventuais ações trabalhistas também sejam evitados.

Isso pode impactar positivamente as finanças, uma vez que a queda no número de processos pressupõe uma redução de custos para as companhias que adotam o relógio de ponto biométrico.

Quais as desvantagens desse sistema?

Um modelo de ponto digital biométrico que mencionamos é o REP, o relógio que faz a leitura da impressão digital dos colaboradores. 

Esses aparelhos devem seguir as normas da portaria 1510, e dentre elas estão a instalação do equipamento, a impressão do comprovante de registro de ponto e um sistema para acompanhar a jornada.

Contudo, seguir à risca essas exigências acaba demandando custos elevados para as empresas. Em primeiro lugar, o relógio é muito caro, e ele precisa estar sempre em perfeito estado de funcionamento, demandando manutenções periódicas.

Ainda, é necessário adquirir as bobinas para a impressão dos comprovantes, que são emitidos todas as vezes em que um colaborador faz o registro. Por dia são, no mínimo, quatro. 

Agora, pensando em uma empresa grande, com centenas de funcionários, imagine a fila enorme para bater o ponto no início do expediente, no almoço e no final do dia. É um tempo perdido que poderia ser otimizado por meio de um sistema mais moderno. 

Além disso, o REP apresenta problemas claros de logística, afinal, ele deve ser afixado na entrada das organizações. Trabalhadores externos e pessoas em home office simplesmente não conseguem fazer o registro pela falta de mobilidade. 

Por fim, há o caso de pessoas cujo leitor não consegue identificar a digital, seja por ela apresentar falhas ou já estar gasta. Esse é um problema que não acontece no sistema por reconhecimento facial, por exemplo. 

Qual o melhor sistema de controle de ponto? 

qual o melhor sistema de ponto

Mencionamos os prós e contras do ponto digital biométrico, mas queremos fazer um comparativo entre as modalidades mais comuns para que não reste dúvida quanto ao melhor modelo a ser adotado.

Ponto cartográfico

O ponto cartográfico, o tipo mais antigo, é o menos seguro por ser muito manual. O RH imprime um cartão no qual são feitos os registros, que por sua vez são passados a limpo para o fechamento da folha.

Porém, existe a possibilidade de esse cartão ser rasurado ou de haver erro no momento de passar a folha a limpo, culminando no pagamento de horas a mais ou a menos. 

Ponto biométrico

Nesse caso, como vimos, a possibilidade de fraude é menor, quase nula. Contudo, antes de adotar esse modelo, é necessário analisar minuciosamente as desvantagens que listamos anteriormente.

Esse modelo ainda não pode ser considerado o melhor sem que antes você analise as reais necessidades da sua empresa e quanto capital está disponível para esse investimento.

Ponto online

O registo de ponto online não é uma novidade, muitas empresas já fazem uso dessa tecnologia por ela ser mais barata, simples e precisa. 

Como o próprio nome já diz, o registro é feito por meio de uma ferramenta online. O aplicativo faz a leitura biométrica facial do colaborador para marcar os horários de entrada, saída e pausa para o almoço.

Essa é uma alternativa mais barata porque o aplicativo pode ser instalado no smartphone do trabalhador, que, por sua vez, conta com a praticidade de registrar o ponto onde estiver, através da internet.

Por que apostar no ponto digital biométrico

Como mostramos, mesmo sem a biometria, um sistema de ponto digital tem diversos benefícios para o empregador e seus colaboradores. Uma tecnologia assim pode ser facilmente integrada a outros softwares em uso na empresa, como o de folha de pagamento.

Mas, se mesmo depois de tudo que mencionamos você chegou até aqui pensando que poderia se beneficiar das duas soluções — praticidade do ponto digital e tecnologia biométrica —, vai gostar de saber que pode contar com o relógio de ponto digital biométrico.

Essa solução une características dos dos modelos, permitindo que o processo de identificação seja feito com base na impressão digital ou no reconhecimento facial. É o que oferece o Tangerino.

Autenticação por impressão digital

Esse tipo de validação você já conhece, é o comumente utilizado no REP, os relógios de ponto biométrico que ficam na entrada das empresas. 

O sistema funciona da seguinte forma: os funcionários, para registrar sua entrada e, portanto, o início do experiente, posicionam o dedo (normalmente o indicador) no leitor óptico. Ele, por sua vez, faz a leitura da impressão digital da pessoa e compara aos dados armazenados. 

Quando reconhece o trabalhador por meio da biometria, o sistema registra o ponto. Isso só é possível pelo fato de a nossa digital ser única.

Autenticação por reconhecimento facial

Autenticacao por reconhecimento facial

Essa modalidade, por outro lado, não é tão empregada nas empresas ainda, mas é uma alternativa segura e inovadora para fazer o controle de jornada.

Aqui no Tangerino usamos esse tipo de autenticação. O software reconhece a imagem do colaborador e compara aos registros do banco de dados. A partir da identificação ele faz a contabilização do ponto. Tudo de forma simples e rápida. 

Quando implementar o controle de ponto digital biométrico

A legislação obriga todas as empresas com mais de 20 funcionários a fazerem o controle de ponto, colocando os micro, pequenos e médios empreendedores na fila por boas e baratas soluções de ponto eletrônico.

Mas, e nos casos de empresas com menos de 20 colaboradores? Bom, embora não seja obrigatória nesses casos, a implementação do ponto eletrônico pode acontecer até em empresas com apenas um funcionário. A questão principal aqui é automatizar a gestão do ponto e otimizar as tarefas do RH, tornando-o mais estratégico.

Tomando essa decisão antes que sua empresa cresça, você garante que, no momento em que estiver com cem funcionários, não terá problemas em gerenciar a jornada de trabalho de todos eles.

Como a pandemia mudou o controle de ponto?

A escolha da melhor solução sempre levará em conta o contexto de cada empresa e o momento em que estamos vivendo. Com as políticas de distanciamento social, a mentalidade sobre a segurança dos funcionários está mudando de forma gradual, e as organizações precisam pensar em soluções para preservar a saúde da equipe. 

Antes da pandemia da Covid-19, a possibilidade de contaminação através do leitor de impressão digital não era cogitada. Hoje, vemos que os sistemas de toque não são seguros, o risco de transmissão de doenças é alto. A boa notícia é que, mais uma vez, a tecnologia de controle de ponto biométrico trouxe uma solução.

Com o reconhecimento facial, é possível que os funcionários registrem sua jornada sem o risco de infecção pelo toque. Por meio do Tangerino Totem, empresas cujas atividades precisam ser executadas presencialmente podem controlar os acessos à sede de maneira fácil e segura.

O totem faz a leitura do QR code e tira uma foto do colaborador. Dessa forma, todas as informações ficam salvas na ferramenta sem que seja necessário o contato com alguma superfície.

Veja como funciona esse sistema na prática:

Adaptar os processos e usufruir dos benefícios que a tecnologia oferece são vantagens competitivas que sua empresa pode apresentar, eliminando burocracias e realizando uma gestão precisa e eficiente.

Ficou interessado em um sistema de marcação de ponto digital biométrico pelo reconhecimento facial? Aproveite e conheça as funcionalidades que o Tangerino Totem pode oferecer!

Tangerino Totem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.