10 coisas que você precisa saber sobre a gestão de pessoas

Você conhece a ideia de que os funcionários são o principal capital de uma empresa ou ainda, seu bem mais valioso? Entender o que isso quer dizer ajuda qualquer um a reconhecer a importância de aprender mais sobre gestão de pessoas e fazer um bom trabalho nessa área.

No dia a dia, uma empresa pode contar com tecnologia de ponta, oferecer bons salários e ter potencial para crescer em seu mercado. Se não souber como criar condições para que seus profissionais, ainda que altamente qualificados, se integrem à cultura organizacional e se sintam motivados, o sucesso pode escapar como areia escorrendo por entre os dedos.

Por tudo isso, fizemos este post para ajudar você a aprimorar seus conhecimentos e aproveitar ao máximo o potencial de sua empresa!

Confira abaixo 10 coisas + um bônus do que você precisa saber sobre gestão de pessoas:

1. O que é gestão de pessoas

Por vezes, revisitar o conceito de algo sobre o que buscamos aprender mais é fundamental para entender sua essência. Você sabe ao certo o que é gestão de pessoas?

A gestão de pessoas é uma estratégia adotada para assegurar que os funcionários de uma empresa estejam envolvidos com seu trabalho e encontrem as melhores condições possíveis para realizá-lo em alto nível.

Para tanto, baseia-se em medidas que visam a constante evolução dos funcionários e que promovem o bem-estar para que o clima organizacional favoreça o sucesso tanto em projetos individuais quanto do trabalho em equipe. Algo que, consequentemente, implica no sucesso da empresa.

O relacionamento interpessoal pode ser cercado de desafios que, em um ambiente de trabalho, podem interferir na disposição dos profissionais, em sua produtividade e motivação. Por isso, a gestão estratégica de pessoas precisa ser reconhecida como ferramenta capaz de promover a ordem e o bem-estar em benefício de um empreendimento.

2. A gestão de pessoas não é só “coisa do RH”

É comum confundir gestão de pessoas com Recursos Humanos ou ainda, achar que o RH é o único departamento da empresa responsável por fazer a gestão de pessoas. Por isso, esclarecimentos se fazem necessários.

De fato, o trabalho do RH participa e implica no sucesso da gestão. Isso porque cabe a esse departamento fornecer instrumentos para que aqueles que, de fato, devem atuar diretamente na gestão de pessoas: os gestores.

Por muito tempo, o RH foi considerado o responsável para lidar com tudo aquilo o que envolvesse as pessoas de uma empresa. Gradativamente, o departamento foi assumindo um papel mais estratégico e parte de suas atribuições foram redistribuídas.

Nessa movimentação, os gestores se tornaram os responsáveis por gerir suas próprias equipes para além da parte técnica de suas funções e atividades. Por isso, é comum a conversa sobre liderança e gestão de pessoas quando o assunto são as atribuições de um gestor qualificado para o sucesso.

3. A relação entre liderança e gestão de pessoas

Como visto, o que se busca com a gestão de pessoas é criar condições favoráveis para que os funcionários da empresa desempenhem bem suas funções diariamente.

Em partes, isso tem a ver com garantir que tudo aquilo que seja necessário para a parte técnica do trabalho ― ferramentas, cursos de capacitação e treinamento, por exemplo ― seja disponibilizado aos colaboradores.

A parte mais humana, por assim dizer, é a que está associada à motivação e à criação de um clima interno favorável ao bom desempenho de todos. E é aí que entra a importância de um gestor saber exercer o papel de liderança.

É atribuição do gestor identificar características, dificuldades e potencialidades individuais e coletivas em sua equipe para, a partir daí, engajá-los da forma correta.

O líder deve saber o que fazer para inspirar e influenciar os profissionais positivamente e até mesmo para derrubar crenças limitantes que um colaborador tenha sobre si mesmo ou sobre seus colegas.

4. A importância da cultura organizacional para a gestão de pessoas

Ao fazer a gestão de pessoas, um gestor ou líder pode dar atenção a elas de forma individual. Isso significa, por exemplo, analisar as características de cada colaborador para saber qual estratégia de motivação funciona melhor com cada um deles.

Entretanto, o senso de coletividade deve permear essas análises e as ações de liderança que orientam e direcionam o comportamento dos profissionais da empresa. Do contrário, corre-se o risco de ter colaboradores inspirados e engajados andando em direções distintas.

Assim sendo, é importante que exista algo que norteie tanto os objetivos do gestor quanto as ações e pensamentos de suas equipes. E esse “algo” é a cultura organizacional.

A cultura organizacional é a junção dos valores, crenças e comportamentos que caracterizam uma empresa e sua forma de conduzir os negócios. Trata-se de fatores que devem ser difundidos no ambiente de trabalho para garantir um alinhamento entre aquilo o que a empresa diz ser e aquilo o que ela realmente é.

Tudo isso depende da capacidade dos funcionários em compreender a cultura da organização, se identificar e agir de forma coerente a ela. Uma vez que isso não acontece naturalmente sempre, um dos pontos da gestão de pessoas é buscar a criação dessa realidade.

5. A gestão de pessoas na seleção e integração de profissionais

A seleção de novos profissionais para os quadros da empresa é uma função do RH. Como já mencionamos, ainda que seja preciso destacar a gestão de pessoas sobre a responsabilidade dos gestores, as contribuições do departamento de Recursos Humanos não podem ser deixadas de lado.

Fazer o alinhamento entre a cultura organizacional e os pensamentos e ações de cada colaborador é uma tarefa mais simples quando as partes compartilham valores desde o início.

Em outras palavras, se o RH se preocupa em selecionar profissionais que já tenham visões e posturas similares àquilo o que a empresa busca para si, tudo flui melhor. Esse é, portanto, um dos pontos que mostram como o RH contribui para o trabalho de gestão de pessoas realizado pelos gestores e líderes.

Ao invés de ter de encarar o desafio de lapidar um profissional por completo para que ele se encaixe aos planos da empresa, com uma boa seleção feita pelo RH, o gestor precisa apenas “aparar arestas”.

6. A atração de talentos como estratégia da gestão de pessoas

A seguir, falaremos sobre ações de treinamento e capacitação que, junto com a criação de um bom clima organizacional, fazem parte de medidas que contribuem para a retenção de talentos na empresa.

Antes disso, porém, é importante dar sequência às ideias sobre a seleção de profissionais e falar sobre a atração de talentos como estratégia da gestão de pessoas.

Isso porque, assim como vimos ser mais fácil lapidar profissionais que já compartilham de valores da empresa, é mais simples reter esses talentos do que segurar aqueles que se sentem distantes de se encaixarem na cultura local.

Por tudo isso, é importante que o RH aperfeiçoe seu processo de seleção. Algo que vai desde a descrição das vagas à realização de entrevistas e dinâmicas, passando pela análise de dados dos currículos.

Um processo bem estruturado e pautado pela transparência ajuda na construção positiva da empresa perante o mercado. E isso faz com que as oportunidades apresentadas se tornem mais atraentes à profissionais qualificados que têm seus próprios critérios para decidir se querem ou não buscar determinada vaga de emprego.

7. O treinamento e a capacitação na gestão de pessoas

Um gestor tem diferentes maneiras de levar sua equipe a seguir a cultura organizacional e trabalhar motivada em buscar resultados melhores a cada dia. A inspiração pelo exemplo, algo que faz parte do exercício de uma boa liderança, é uma delas.

Outras medidas importantes na gestão de pessoas são as ações de treinamento e de capacitação dos funcionários. Ambas vão de encontro à ideia de criar condições para que os profissionais tenham elevada capacidade técnica para cumprir suas funções, ampliar seus conhecimentos e evoluir.

Quando a empresa tem um planejamento de treinamento e capacitação ― algo que vale tanto para os novatos quanto para os funcionários mais antigos ―, cria um cenário que beneficia todas as partes.

A própria empresa passa a contar com profissionais mais preparados para exercer suas funções e buscar resultados. Em contrapartida, esses profissionais se sentem valorizados e ganham confiança para se envolver nos projetos e bater suas metas. Algo que se encaixa ao papel motivador da gestão de pessoas.

Para tanto, workshops, palestras e até parcerias com instituições de ensino podem fazer parte do planejamento. Tudo isso em paralelo ao aperfeiçoamento dos processos internos para que a empresa também acompanhe a evolução de seus colaboradores e do mercado em que participa.

8. O porquê do foco em uma comunicação clara na gestão de pessoas

Para que tudo o que foi dito até aqui possa funcionar, a gestão de pessoas foca no desenvolvimento de uma comunicação clara, aberta e assertiva. Isso serve para:

  • conseguir exercer a liderança assegurando que os colaboradores sejam inspirados da maneira certa, sem que haja dúvidas quanto aos motivos de seu gestor e quanto àquilo o que é esperado de cada profissional;
  • difundir a cultura organizacional e garantir que todos entendam bem quais são os valores e hábitos que devem cultivar para se manterem integrados à empresa;
  • colaboradores sintam que existe abertura para comunicar suas dúvidas ou manifestar opiniões sabendo que o líder as levará em consideração para traçar estratégias de ação para cada um e para as equipes como um todo;
  • permitir a criação de um clima organizacional mais positivo evitando a “necessidade” de fofocas e conflitos que podem surgir de uma comunicação nebulosa e impositiva;
  • facilitar a rápida resolução de conflitos que eventualmente surjam, evitando que se tornem problemas mais graves e nocivos à empresa;
  • quebrar barreiras hierárquicas para facilitar a integração entre profissionais e departamentos, favorecendo o trabalho em equipe.

9. O feedback sob a ótica da gestão de pessoas

Um elemento que faz parte de uma boa comunicação é o feedback. Quanto a isso, é sempre bom esclarecer que não existe apenas o feedback negativo e que o positivo tende a ser um poderoso motivador para indivíduos e equipes.

É interessante que o feedback negativo seja feito de forma privada, a menos que caiba à toda a equipe e que nomes não sejam atribuídos a cada erro ou problema relatado.

O feedback positivo, por sua vez, pode ser dado tanto de forma individual quanto coletiva. Em ambos os casos, é uma ferramenta que ajuda a esclarecer quais ideias e atitudes são positivas e que tipo de trabalho é um trabalho bem feito.

Assim, o feedback é para a gestão de pessoas uma forma de difundir boas práticas que estejam alinhadas à cultura organizacional, além de contribuir para a motivação e para o clima organizacional.

10. Novos tempos, flexibilidade e gestão de pessoas

Gerenciar pessoas com sucesso é algo que, entre outras coisas, depende da capacidade do líder em acompanhar a evolução da sociedade e das relações no universo do trabalho.

Uma pesquisa do International Workplace Group revelou que, para 83% dos profissionais, a flexibilidade no trabalho é fator decisivo para a escolha de um emprego. Diante dessa realidade, empresas estão migrando do tradicional para algo mais flexível a fim de reter seus talentos.

Estar por dentro de questões como essas, capazes de interferir no poder da empresa em atrair e reter bons profissionais, de mantê-los motivados e produtivos faz parte de uma gestão de pessoas adequada aos chamados “novos tempos”.

11. Bônus: dicas para entender e acertar na gestão de pessoas

Agora que você leu sobre 10 coisas que precisa saber para fazer a gestão de pessoas em uma empresa, já está se perguntando sobre como implementá-las? Vamos a algumas dicas!

Antes de qualquer coisa, é importante ter clareza de que uma gestão deve ser vista como estratégia pela empresa. A mudança do modelo “tradicional” nas relações de trabalho para algo mais aberto, humano e flexível não é importante apenas porque é legal, mas porque realmente contribui para os resultados.

Você lembra de que, logo no início deste post, destacamos o fato de os profissionais serem o bem mais valioso de uma empresa? Entender o porquê disso, com base em tudo o que foi dito aqui, vai permitir que você entenda como analisar sua atual situação para promover mudanças e aprimorar sua gestão de pessoas.

É certo que os gestores devem ter clareza de seu papel enquanto lideranças e que, caso ainda não exista, uma cultura organizacional que dê abertura ao novo precisa ser implementada. São os valores e crenças, junto aos objetivos da empresa, que vão nortear a definição da maneira de se fazer a gestão de pessoas com sucesso!

Gostou do post? Aproveite e leia também sobre 5 erros de gestão de pessoas que prejudicam a produtividade no trabalho!

teste grátis 14 dias