7 coisas que não podem faltar no RH das empresas do futuro

O mundo passou por transformações profundas nos últimos anos. As distâncias foram encurtadas e a troca de informações se tornou muito mais dinâmica e acessível. Vivemos a era do conhecimento, na qual mais da metade da população mundial tem acesso à internet.

Claro que essas mudanças impactaram também o mundo corporativo, mudando não só a velocidade das tomadas de decisão, como o relacionamento das organizações com seus funcionários. Isso gerou uma série de novas abordagens e práticas, às quais as empresas devem estar atentas para se manterem relevantes e competitivas.

Neste post, vamos explicar o que não pode faltar no RH das empresas do futuro. Acompanhe!

Qual o papel do RH nas empresas do futuro?

As empresas do futuro compreendem que a chave do seu crescimento está na formação de um quadro de funcionários competente e engajado. Para que possam contar com os melhores profissionais disponíveis e motivá-los ao ponto de fazer com que eles “vistam a camisa” da empresa, o departamento deve entrar com diversas estratégias que valorizem a organização, transformando as vagas em aberto em verdadeiras oportunidades de crescimento para os colaboradores.

Além disso, o RH moderno usa ferramentas de identificação de competências, a fim de aproveitar ao máximo as habilidades dos empregados em funções nas quais eles consigam entregar melhores resultados. As competências que ainda não estão bem desenvolvidas podem ser trabalhadas com a ajuda de treinamentos e feedbacks. Essas práticas estão ligadas à gestão de pessoas voltada para o alcance das metas, uma estratégia poderosa de crescimento corporativo.

O que não pode faltar no RH das empresas do futuro?

Destacamos então algumas das táticas que essas organizações estão aplicando para conseguir os melhores resultados. São elas:

1. Automatização de processos

Independentemente do porte da empresa e do número de funcionários contratados, a automatização é importante para otimizar os processos, permitindo uma utilização mais inteligente do tempo e maior assertividades nas informações prestadas.

Além disso, a automatização de processos como controle da folha de ponto, confecção de holerites, triagem de currículos e admissão de funcionários abre espaço para que o RH assuma um papel mais estratégico, voltado para a gestão de pessoas e melhor aproveitamento do capital humano.

2. Investimento em bem-estar

A qualidade de vida é uma preocupação constante dos funcionários de hoje, principalmente para os da geração millennial. Depois de ver seus pais e avós se sacrificarem em prol do trabalho e do conforto financeiro, essas pessoas buscam equilíbrio entre as vidas pessoal e profissional, além de um trabalho alinhado aos seus propósitos.

Para as empresas do futuro, é indispensável contar com programas que valorizem o bem-estar dos seus colaboradores. Programas de incentivo à prática de exercícios e alimentação saudável estão entre essas iniciativas, além de espaços para descompressão e relaxamento dentro da empresa.

Outro ponto importante que está no escopo dessas organizações é o bem-estar financeiro, pois entendem que as preocupações com dívidas elevam o nível de estresse do colaborador, prejudicando a sua saúde.

3. Flexibilidade de horário

Como parte do bem-estar dos funcionários, a flexibilidade é um conceito importante para as empresas do futuro. Permitir o trabalho em horários fora do convencional traz uma série de benefícios para a organização e seus colaboradores.

Dentro de uma política de flexibilidade, os funcionários podem trabalhar em escalas mais coerentes com seu ritmo natural de produção e evitar os estressantes horários de rush, conseguindo uma rotina com mais qualidade. Também conseguem organizar seus turnos para que possam passar mais tempo com a família e amigos.

Para as empresas, a flexibilidade amplia a motivação, produtividade e engajamento. Os índices de absenteísmo são reduzidos e a retenção de funcionários tende a aumentar.

4. Anywhere work

O conceito de anywhere work foi algo cobiçado pelos profissionais por anos, e que agora pode ser realidade graças ao encurtamento das distâncias que a internet proporciona. Este conceito está relacionado à ideia de trabalho remoto, à possibilidade de trabalhar de qualquer lugar.

O anywhere work ajuda na produtividade, proporciona ao colaborador melhor qualidade de vida e auxilia na retenção de talentos, entre outros benefícios.

Ele está intimamente ligado às empresas do futuro, pois os profissionais millennials dão um grande valor à essa liberdade.

5. People analytics

O trabalho de gestão de pessoas nas empresas do futuro é amplamente apoiado no people analytics. Esse conceito trata da organização e análise de dados para avaliar pessoas e tomar decisões.

Em cima dessas informações, é possível identificar problemas como baixo engajamento, insatisfação e altos índices de rotatividade e absenteísmo. Os gestores conseguem então montar estratégias para resolver esses desafios e melhorar os resultados da empresa.

6. Employer branding

O employer branding é a imagem que a organização passa como empregadora. Algumas grandes corporações são disputadas pelos melhores profissionais do mercado porque investiram nas melhores condições de trabalho para os seus funcionários.

Com isso, os colaboradores experimentam altos índices de satisfação e se tornam defensores da corporação, difundindo as suas qualidades e fazendo um marketing espontâneo.

Nos dias atuais, em que encontramos sites especializados na avaliação das empresas pelo funcionário, trabalhar no employer branding é fundamental para elevar a reputação da marca.

7. Diversidade

As discussões sobre inclusão e diversidade estão mais presentes na sociedade em geral, e claro, também no mercado de trabalho. As empresas do futuro têm uma preocupação maior em promover um quadro de funcionários mais heterogêneo, com espaços para todas as raças, gêneros, religiões e tipos de orientação sexual.

Um ambiente de trabalho inclusivo também se preocupa em agrupar pessoas de diferentes origens e níveis de educação, promovendo uma enorme riqueza cultural que pode levar a ideias inovadoras.

Ao mesmo tempo, esse quadro de colaboradores exige maior cuidado do RH na hora de gerenciar os talentos e principalmente, uma abordagem cautelosa da liderança. As iniciativas de engajamento devem se basear nas políticas da empresa e respeitar as particularidades de cada um dos empregados.

Com essas 7 dicas, você vai conseguir modernizar o Recursos Humanos da sua organização, fazendo uma análise precisa do que precisa ser mudado e promovendo as transformações necessárias, garantindo assim a sobrevivência do negócio e alinhando-o com as empresas do futuro.

Aproveite para conhecer o blog da Xerpa, que gentilmente nos forneceu este conteúdo. Eles são fornecedores de um software que otimiza tarefas do RH como admissões, desligamentos, controle de férias e distribuição de holerites! Para saber mais, é só clicar aqui!