Jornada do Candidato: Como Melhorar os Processos de Seleção?

Todo o processo de recrutamento e seleção deve ser atrativo para que o candidato queira cumprir as etapas e se tornar um colaborador da empresa. Para isso, é necessário traçar uma jornada completa e coerente às exigências da vaga e à cultura organizacional.

Tempo de Leitura: 21 minutos

Última atualização em 15 de setembro de 2021

top of mind de rh

Os processos de seleção são específicos de cada empresa, o que significa que os recrutadores seguem um estilo próprio durante a jornada do candidato rumo à contratação. 

Por meio das etapas definidas é possível selecionar os melhores para a vaga e, antes mesmo de chegar ao início do processo, que os bons concorrentes se apresentem aptos à função. 

Contudo, o que é necessário para deixar este caminho mais atrativo, a fim de que os candidatos tornem-se futuros colaboradores?

Neste artigo, buscamos esclarecer sobre a jornada do candidato e dar dicas com o objetivo de melhorar este processo e, assim, conseguir os perfis profissionais adequados. Confira!

O que é a jornada do candidato?

Jornada do candidato

Quando uma empresa abre uma vaga a ser preenchida, o processo não acontece de maneira imediata. 

É preciso encontrar quem melhor se encaixa às características e às responsabilidades da função, de modo a maximizar os resultados.

Checklist do RH

Por isso, o negócio executa um processo de recrutamento e seleção, que tem como objetivo atrair, engajar e contratar o profissional ideal.

Todo esse processo é conhecido como jornada do candidato. Ela corresponde a todas as etapas percorridas pelos profissionais, antes e durante o processo de seleção rumo à contratação.

Portanto, tudo começa quando a empresa divulga sua vaga e as pessoas se interessam e segue até após a contratação do profissional considerado mais apto ou adequado.

É comum enxergar essa fase como um funil, em que um número de candidatos é reduzido com o passar das fases de avaliação, até que haja uma escolha para cada posição.

Esse processo deve ser bem-planejado para que o setor de RH possa executá-lo de maneira estratégica. 

Não deixe de conferir também:
👉 Gestão de riscos: por que e como aplicar em sua empresa
👉 Entenda o que é Kanban e como adotar na gestão de equipes e projetos
👉 Como melhorar os processos internos? Veja um plano de ação com 5 etapas
👉 Aniversário do Tangerino: conheça a história por trás da gigante do controle de ponto digital

As principais etapas da jornada do candidato

Mapear a jornada do candidato é uma das questões mais importantes quando se fala nesse processo. 

Somente ao entender quais são os passos que devem ser colocados em prática que é possível garantir que tudo saia conforme o esperado.

Principalmente, o mapeamento serve para garantir a padronização e até fazer com que o processo se torne escalável. Principalmente, é um meio de manter o nível de qualidade para todas as seleções.

Pensando nisso, veja quais são as principais fases que exigem atenção nesse processo!

Descoberta da vaga

Antes de iniciar o processo de contratação, é importante que o candidato consiga localizar a vaga em aberto na sua empresa. 

Ela pode estar nos canais de comunicação, como redes sociais, sites especializados e até mesmo no “boca a boca”. 

Essa é uma etapa que pode ocorrer pela busca ativa da pessoa que pretende obter uma colocação no mercado de trabalho ou pela divulgação da abertura do processo seletivo por sua empresa. Uma divulgação bem feita pode alcançar o profissional almejado para o cargo de forma ágil.

Interesse para se candidatar

Ao descobrir a vaga, o profissional precisa demonstrar interesse por ela. A descrição deve ser atrativa, mas também conter informações claras. 

É fundamental expor as atividades a serem realizadas e as responsabilidades exigidas pelo cargo, assim como os requisitos mínimos. Da mesma forma, vale a pena citar os benefícios e vantagens ofertados. 

Outro ponto importante é apresentar no anúncio os valores da empresa para que o candidato possa julgar se eles se encaixam nos seus. 

Um breve texto sobre a atuação da empresa e seu ponto de vista em relação aos funcionários é algo que aproxima o candidato. Assim, ele pode decidir se é compatível com o seu interesse.

Momento da candidatura 

Quando o candidato encontrar a vaga e a descrição atender às suas expectativas, é hora de efetivar a candidatura.

O profissional pode fazer esta confirmação enviando um currículo via e-mail ou preenchendo etapas em um site, com software especializado em triagem de candidatos. 

Para esta etapa, a empresa tem que ter definido tudo o que o seu time de recrutamento precisa para a seleção de pessoas e o que o aspirante à vaga deve apresentar.

Um e-mail atestando o recebimento do currículo ou uma mensagem automática do cadastro das informações no site de oportunidades confirma ao candidato que o contato com a empresa foi realizado com sucesso.

Processo de triagem

Após o recebimento das informações dos concorrentes à vaga, o RH adotará estratégias para conhecer cada um mais a fundo. 

Nesta etapa, geralmente são realizadas entrevistas com gestores, dinâmicas de grupo, testes de competência e outras ações.

Cada fase dessa jornada deve ser detalhada e ficar clara ao candidato para que ele cumpra tudo com eficiência e dê o seu melhor. 

É muito importante o feedback da empresa neste momento, a fim de cada um saber se o processo terá continuidade ou não. 

É nesse momento que o candidato fica mais próximo da empresa. Com isso, uma boa experiência fará com que ele queira se destacar para a vaga. 

Hora da contratação

Ao final do processo de triagem, há grandes chances de encontrar um concorrente de destaque e alinhado com o que a empresa deseja. 

É o momento de o setor de Recursos Humanos contar com suporte legal e profissionais da área para a efetivação da contratação. 

Esta etapa finaliza a jornada do candidato e o promove a outro patamar na empresa: o de funcionário.

Por que é importante melhorar o processo?

Tão necessário quanto entender a estrutura dessa etapa é saber como melhorar a jornada do candidato. 

É por meio do planejamento e da otimização que é possível transformar as etapas para que elas sejam realmente úteis para a contratação dos colaboradores certos.

Além disso, uma jornada do candidato que seja positiva serve para economizar recursos, como tempo e dinheiro, por parte da empresa. 

Em vez de ter processos longos e que culminam em uma contratação inadequada, é possível aumentar a eficiência quanto aos recursos humanos.

Também é uma forma de melhorar a formação de equipes e até de aumentar a retenção de talentos. 

Tudo começa na seleção e esses cuidados podem reduzir a taxa de rotatividade do negócio.

Não menos importante, o cuidado com essa fase permite que a empresa se posicione de um jeito mais atrativo. Como consequência, será mais fácil encontrar talentos nas futuras seleções.

Aperfeiçoar o processo de seleção através de testes técnicos pertinentes, análises comportamentais e perfis profissionais são uma ótima saída para evitar baixas e extrema rotatividade.

Além disso, as chances de conseguir um funcionário que alie qualidades técnicas e um perfil que combine com os valores culturais da empresa são grandes, formando assim uma equipe de qualidade e alta performance.

Não deixe de conferir estes materiais e complemente sua leitura:
📚 Conseguindo sucesso na gestão de pequenas empresas
📚 A tecnologia transformando a mobilidade no mundo corporativo
📚 Sobrecarga no trabalho: saiba como evitar este mal na sua empresa
📚 Como engajar colaboradores para diminuir as taxas de absenteísmo e turnover?

A importância da experiência do candidato 

Principalmente, atuar para ter uma jornada mais eficiente é indispensável para criar uma experiência positiva para todos os candidatos.

Isso não tem relevância apenas para quem será contratado, mas para todos que tenham contato com a empresa.

A ideia é criar um processo que se destaque de forma positiva, considerando as necessidades de quem busca uma recolocação ou a evolução na carreira. 

Com um bom planejamento e melhorias contínuas, os profissionais ficarão no foco do processo e isso se refletirá até na reputação do negócio.

Então, há dois cenários possíveis. O primeiro é que o candidato escolhido já entrará satisfeito na empresa, tendo uma perspectiva positiva sobre o negócio e seus processos.

Os outros que não forem selecionados também sairão com boas impressões. Em um momento futuro, quando uma nova vaga for aberta, significa que bons candidatos retornarão. 

Além disso, é provável que ajudem a atrair outras pessoas qualificadas, por meio das indicações devido à boa experiência.

Portanto, dar atenção hoje à experiência do candidato poderá tornar as futuras seleções mais simples e eficientes.

Dicas para conseguir sucesso no processo

Dicas para a jornada do candidato

Sempre é possível melhorar as etapas de uma jornada do candidato padrão. Com alguns ajustes, há como deixar este caminho mais satisfatório, o que é benéfico tanto para o profissional quanto para a empresa. 

Tendo como referência as fases apresentadas anteriormente, há algumas dicas para potencializar ainda mais seus processos de recrutamento e seleção. Confira!

Divulgue nos lugares certos

Antes de abrir a vaga, é preciso definir detalhes importantes como os requisitos ao cargo, as funções a serem desempenhadas, o orçamento da empresa e os benefícios ofertados.

A eficiência na hora de divulgar a vaga é um ponto forte da empresa. Seja objetivo e prático para o perfil que precisa e divulgue a oportunidade em grupos específicos de determinada área. 

Use as redes sociais, como o Linkedin. Este espaço virtual está em ascensão e aproxima cada vez mais empresas e profissionais. 

Atualmente, tais ações dão resultados positivos e norteiam a procura de candidatos certos com sucesso.

Simplifique a candidatura

Também é importante facilitar a candidatura por parte dos profissionais. Se o processo for muito longo ou truncado desde o começo, é provável que bons candidatos percam o interesse ou a motivação. Isso reduzirá as chances de encontrar a pessoa certa para o cargo.

É possível realizar testes iniciais ou já definir algumas etapas eliminatórias no começo. Porém, é preciso ter cuidado para não afunilar demais essa captação de talentos logo no começo.

Em vez disso, faz mais sentido pensar em uma captação mais ampla e definir processos que ajudem a encontrar o candidato certo. Assim, a empresa tem mais talentos que possam apresentar fit com a vaga.

Conte com ajuda da tecnologia

Nos casos em que o processo de candidatura é complexo demais para “apenas” enviar um currículo, invista em uma plataforma de recrutamento ou utilize todas as ferramentas que o RH já possui. 

Softwares direcionados para triagem de currículos costumam fazer um bom trabalho, o que facilita o afunilamento do seu processo seletivo.

No entanto, fique atento se a empresa já possui uma plataforma para cadastro de oportunidades. 

Ela deve ser intuitiva, sem campos desnecessários e sem fazer o candidato perder tempo durante o preenchimento das informações.

É válido considerar uma reestruturação nessa plataforma, pois, do contrário, isso pode prejudicar o cadastro de concorrentes ideais.

A tecnologia também pode ajudar na seleção inicial para definir quem segue no processo rumo à vaga. 

Afinal, dependendo do volume, analisar currículo por currículo demanda tempo e muito esforço. 

Isso pode ser impraticável, principalmente se o setor tiver pressa na contratação. Para isso, é necessário usar da tecnologia para agilizar esse processo, como visto anteriormente. 

O uso de softwares de triagem possibilita que o candidato produza ou anexe o currículo. 

Os filtros permitidos pela plataforma por meio dos campos preenchidos pelo interessado na vaga, ajudam a separar quem está apto para a próxima etapa. 

Crie um processo condizente com a função

Um dos erros que muitas empresas cometem é fazer um processo seletivo não condizente com a função. Entre os exemplos do que não fazer estão:

  • dinâmicas de grupo maçantes;
  • testes psicológicos e de raciocínio generalizados;
  • deslocamentos desnecessários até a empresa e mais.

Isso tudo torna a jornada do candidato exaustiva. Nesse caso, o melhor é sempre lançar mão da agilidade.

Em vez disso, personalize a seleção, dinamize as fases, aplique testes de perfil psicológico e social no mesmo dia e dê feedbacks uma vez que os tenha prometido. 

Isso fará com que o candidato não desista da seleção antes do fim. 

Conquiste o candidato

Quando o RH tem uma lista de candidatos promissores, a missão é manter a atenção deles para que queiram continuar no processo seletivo.

Para isso, deve-se apresentar o que os interessa, de acordo com os objetivos de cada um: planos de carreira e esclarecimento do lado financeiro, como condições salariais e de benefícios, por exemplo. 

Esse é um excelente momento para diálogo que mostrará se o candidato e a empresa têm interesses em comum.

Checklist do RH

Destaque a employee experience 

O termo employee experience ou experiência do colaborador diz respeito à experiência vivida por cada profissional no ambiente de trabalho.

Quanto melhor ela for, maior tende a ser a retenção de talentos, por exemplo.

Para aumentar a atratividade de talentos e a adesão à jornada do candidato, é possível destacar essa questão e demonstrar como as pessoas aproveitam o ambiente de trabalho.

A experiência do colaborador tem como função gerar engajamento. Dessa forma, ele é quem mostra ao mundo o quanto é privilegiado por estar oferecendo sua mão de obra a um lugar que se preocupa com ele como ser humano, e não como um número. 

Empresas que aplicam o employee experience chamam atenção de quem está procurando emprego, seja por qual for o motivo, e de quem também não está. 

Logo, a possibilidade de convocar os melhores profissionais é grande. Além de atrair os talentos, cria-se uma cultura de permanência. 

Oferecer uma boa experiência para o colaborador ajuda a empresa a ter um bom desempenho do funcionário perante suas tarefas e também acaba atraindo os melhores profissionais.

Isso é um diferencial para vencer a concorrência em relação a “disputar” um bom candidato.

Favoreça a experiência digital do candidato

Com isso, uma dica é escolher muito bem o sistema, pois alguns podem não ser intuitivos, gerando dor de cabeça e desistência da candidatura. 

Afinal, não podemos desperdiçar possíveis talentos por conta de uma ferramenta que não funciona corretamente. 

Uma característica relevante é o funcionamento do aplicativo ou site em dispositivos móveis. É crescente — e comum — o uso dos celulares para muitas atividades. 

Assim, uma experiência ruim durante a candidatura em uma plataforma não adaptada para o mobile pode restringir sua empresa apenas para certos profissionais. 

Outra forma de agilizar a jornada do candidato é o uso da tecnologia na realização dos testes. 

As plataformas de cadastro de currículos possuem tais mecanismos, mas também é possível utilizar outros softwares para a atividade avaliativa.

Dessa forma, não será necessário imprimir folhas, tampouco exigir o deslocamento do candidato até a empresa. 

O registro e o compartilhamento de tais informações também será facilitado usando dos recursos virtuais.

Normalmente, o profissional do RH reserva um tempo para atender a cada candidato que fará o teste. 

Logo, com um teste eletrônico ele pode disparar a tarefa ao mesmo tempo, tornando seu dia e esta etapa mais produtiva.

Garanta o feedback em todas as etapas

Uma das principais queixas dos postulantes a vagas do mercado de trabalho é a falta de retorno por parte da empresa, ainda que seja com uma negativa. 

Para não comprometer o employer branding e garantir que a jornada do candidato seja eficiente do começo ao fim, é indispensável fornecer feedback em todas as etapas.

Uma mensagem amistosa quanto às qualidades observadas e que ele tem talentos que se destacam pode minimizar o peso do momento. 

Além disso, é interessante incrementar o retorno, de acordo com o posicionamento de cada um na jornada. Quanto mais longe o profissional for, mais detalhada deve ser essa etapa.

Os softwares usados para o cadastro de currículos, geralmente, possuem um envio automático desses feedbacks aos participantes do processo de seleção, mas é primordial que, nas etapas finais, o recrutador diga o motivo pelo qual a pessoa não foi escolhida. 

Dessa forma, ela pode ficar atenta às soft skills que faltam e investir no aperfeiçoamento de suas competências e habilidades, para que os resultados sejam mais satisfatórios nas próximas seleções.

Como especialista em análise de perfis e candidatos, é possível que o RH ou recrutador designado para tal jornada mostre o caminho nas buscas futuras, além de apenas apontar o defeito ou dar a negativa. 

Como descobrir se o profissional se encaixa?

Seleção na jornada do candidato

Uma jornada do candidato ideal é capaz de ajudar a empresa a encontrar e contratar o profissional certo. Porém, ainda assim, é necessário ter a certeza que o novo contratado é adequado.

É possível utilizar alguns recursos que podem ajudar, melhorando o gerenciamento dos recursos humanos. A seguir, veja como descobrir se a contratação foi ideal!

Reveja o processo

O primeiro passo é verificar se todas as fases foram realizadas conforme o planejado. Determinar quais as competências e o perfil que se encaixam com o setor é uma delas. 

Confira com o gestor da área quais requisitos detalhados o candidato precisou atender para preencher a vaga.

É interessante ter atenção com todas as etapas que foram realizadas, como os requisitos apresentados, os elementos considerados do currículo de cada candidato e outras questões imprescindíveis para a vaga.

Faça testes específicos para a função

Após definir o profissional ideal, é hora de observar se os candidatos preenchem as habilidades para a função. 

Os testes para traçar o perfil de quem concorre à vaga auxiliam na comparação e no corte daqueles que não são compatíveis. 

Lembre-se sempre de aplicar avaliações que sejam condizentes com a vaga. O ideal é fazer testes técnicos com a formação e psicológicos. 

Com objetividade, o processo será mais ágil para definir qual será a contratação ideal, evitando frustrações para ambas as partes.

Testar a sociabilidade dos candidatos também ajuda a definir quem irá adiante ou deixará o processo. 

As dinâmicas de grupo são um bom exemplo disso, para medir o quanto um candidato, mesmo com habilidades técnicas afloradas, pode ou não se dar bem com a equipe. 

Tenha atenção redobrada

É essencial que o recrutador preste atenção nos seus instintos. O candidato pode ter um ótimo conhecimento técnico, oralidade e liderança impecáveis, se encaixar completamente no plano de carreira proposto, mas ainda há a possibilidade de ser somente uma ilusão.

O recrutador deve ficar atento aos sinais que mostram que o candidato pode não estar falando a verdade. 

Contradições, fugir das perguntas, frases prontas e muitas repetições, dão indícios de que algo não está certo. 

Fazer perguntas fora do script é uma boa forma de verificar se o candidato está sendo sincero em suas colocações. Pedir referências, caso a dúvida apareça em algum momento, também é uma solução. 

Os passos após a contratação

Contratação e jornada do candidato

A jornada do candidato, na verdade, não acaba quando ele é escolhido para a vaga. 

Ainda é necessário dar atenção às etapas do que é conhecido como onboarding, ou seja, a integração do colaborador ao novo time e ambiente de trabalho.

Dar atenção aos passos necessários após a contratação é fundamental para aumentar as chances de retenção e para alcançar os objetivos com o preenchimento da vaga.

Por isso, veja quais são algumas etapas essenciais nesse momento!

1. Cuide das etapas burocráticas

Escolhido o candidato, é preciso dar atenção às questões burocráticas da admissão

A solicitação de documentos, a realização de exames admissionais e o registro do profissional estão entre os pontos essenciais.

Essa parte deve receber atenção estratégica, para evitar problemas no futuro, como ações trabalhistas ou dificuldades com os órgãos competentes. 

Também é uma fase para conferir se todas as informações do profissional são condizentes com o que ele apresentou anteriormente.

A padronização de processos nesse momento pode ajudar a área de departamento pessoal a ser mais eficiente. 

O importante é garantir que tudo ocorra sem pendências e de modo eficiente para não atrasar o preenchimento da vaga.

2. Colete feedback sobre a jornada

Com a contratação efetivada, esse é um bom momento para obter informações sobre a experiência do candidato até aqui. 

A coleta de feedback pode ser feita com todos os profissionais participantes, mas é oportuno dar atenção extra a quem foi escolhido, já que passou por todas as etapas.

Entenda quais foram as dúvidas ou dificuldades do candidato ao longo da seleção e confira o que ele considera que poderia ser otimizado. 

Considerando que a pessoa foi escolhida como a mais indicada para determinada vaga, trata-se de uma opinião qualificada e que pode ajudar na otimização contínua do processo.

Portanto, vale a pena usar essas informações coletadas para saber como montar uma jornada do candidato cada vez melhor.

3. Invista nas boas-vindas

O funcionário recém-chegado na empresa sente-se importante quando inicia o primeiro dia de trabalho com uma mensagem de boas-vindas. 

Em alguns casos, pode fazer sentido criar um kit personalizado, com itens de apoio ao trabalho e ferramentas indispensáveis.

Além disso, é interessante que o RH mostre para o novo funcionário a história da empresa, seus valores, missão e que ele é bem-vindo e uma peça importante. 

Essa acolhida inicial faz a diferença para incutir uma experiência positiva desde o começo.

4. Faça um overview dos processos

Esse momento após a contratação é perfeito para demonstrar ao profissional tudo o que fará parte de sua rotina. 

O gestor específico da área pode apresentar etapas ligadas diretamente ao trabalho e à conquista de resultados estratégicos.

Além disso, cabe ao RH apresentar questões relevantes. É o caso de deixar claro como são feitas as avaliações de desempenho, com qual frequência ocorrem treinamentos e qual é a conduta esperada, por exemplo.

Também é nessa hora em que são apresentadas as ferramentas gerais, como o software de controle de ponto eletrônico

É indispensável que o novo colaborador esteja ciente sobre o que fazer e como utilizar os recursos para se adequar aos processos.

5. Realize treinamentos específicos

Para garantir que o candidato comece a gerar resultados positivos tão rápido quanto possível, é interessante planejar treinamentos para os novos talentos. 

A ideia é garantir que eles vejam como o trabalho é feito na prática e como eles devem proceder para atingir as expectativas.

A participação da área técnica é indispensável nesse momento, pois é a responsável por explicar o cotidiano do trabalho.

Ao RH, cabe a tarefa de organizar palestras, workshops ou mesmo um treinamento individualizado para quem acaba de chegar. 

Dedicar alguns dias a essa tarefa pode economizar muito tempo no futuro, pois ajuda a evitar erros e a aumentar a produtividade.

6. Foque na integração da equipe

Além disso, é indispensável que o novo profissional realmente faça parte do time. Portanto, o setor de recursos humanos tem a função de focar no onboarding em termos de integração de equipe.

Pode ser o caso de realizar dinâmicas entre talentos atuais e a nova contratação, por exemplo. 

Inclusive, não é necessário focar apenas no aspecto técnico. Trabalhar soft skills nesse momento pode ser uma ótima forma de gerar integração no grupo e garantir que todos trabalhem em equipe.

Todas essas etapas são indispensáveis para que o onboarding seja bem-sucedido, garantindo que a contratação realmente ajude na conquista dos resultados esperados.

Conclusão

Saber como montar e, principalmente, como melhorar a jornada do candidato é indispensável para o RH e para a empresa. 

Por meio desse processo, é possível encontrar os candidatos adequados para cada posição, otimizando o uso de recursos e melhorando o posicionamento do negócio.

Portanto, é fundamental executar um planejamento completo e estratégico para garantir que cada etapa ajude a encontrar e a captar o candidato ideal. 

Após a escolha, o onboarding é indispensável para consolidar a retenção de talentos.

Já que também é necessário ter atenção com as etapas depois da contratação, aproveite e veja tudo o que você precisa saber sobre onboarding!

Teste

Deixe um comentário