Gestão Humanizada: o Que É e Por Que Aplicar na Empresa?

A gestão humanizada coloca o colaborador no centro da tomada de decisão e busca incentivá-lo de acordo com as suas particularidades, melhorando o clima organizacional e estimulando a produtividade.

A relação entre empresas e pessoas sempre foi motivo de bastante estudo, afinal de contas, deve ser uma relação construtiva para ambos os lados.

Contudo, os avanços tecnológicos e as mudanças no mercado fazem com que esse balanço delicado seja um verdadeiro desafio para os gestores e também para o departamento de Recursos Humanos.

A busca constante pelo aumento da produtividade — e, consequentemente, dos lucros — pode ser bem vantajosas para as empresas. Mas, do ponto de vista do colaborador, essa “agilidade” desencadeia questões como desmotivação e clima organizacional ruim.

É em resposta a esses e muitos outros desafios que a gestão humanizada se manifesta.

Quer saber como implementar a gestão humanizada e como ela pode impactar a sua empresa? Leia este texto e descubra!

O que é gestão humanizada

O que é gestão humanizada

É função do RH — e seu papel estratégico na gestão de pessoas dentro de uma empresa — engajar os colaboradores, escutá-los e criar uma metodologia que resulte em uma gestão participativa e humanizada.

Portanto, gestão humanizada é o ato de considerar a subjetividade dos colaboradores, suas particularidades, aspirações, expectativas e adversidades nos processos da empresa.

Claro, é muito mais fácil falar do que fazer, especialmente quando estamos inseridos em uma cultura em que a produtividade é supervalorizada. E é justamente esse o principal paradigma que abordaremos neste texto.

A gestão humanizada não traz benefícios somente ao trabalhador que goza de um ambiente institucional mais agradável, mas também para a empresa tendo em vista que o maior objetivo dessa abordagem é alcançar as metas propostas.

Uma das formas de humanização do tratamento funciona por meio da aproximação entre funcionários e gestores, os dois expoentes humanos dessa relação. 

Essa é a principal estratégia a fim de melhorar o clima organizacional e os relacionamentos dentro da empresa.

Existe ainda outro fator comumente deixado de lado no ambiente empresarial, o suporte emocional

Nesse ponto, a matemática da gestão humanizada é bastante simples: colaboradores emocionalmente estáveis tendem a criar melhores relações no trabalho e sentem-se menos exaustos com sua rotina.

Mas como foi que esse conceito surgiu e se espalhou por empresas do mundo todo?

Como surgiu a humanização dos processos

O surgimento da gestão humanizada data do começo da revolução industrial, quando as empresas passaram a produzir em grande escala e contratar cada vez mais colaboradores.

Nem precisamos falar que a estrutura do trabalho passou por profundas mudanças desde que as relações empresa-trabalhador tomaram a forma com a qual estamos habituados hoje.

A abolição da escravatura e a inserção de tecnologia nesse ambiente na forma de robotização e automação mudaram os paradigmas do trabalho diversas vezes. E é claro que isso não pararia por agora.

O mercado, de forma geral, se preocupa bastante em formular novas maneiras de realizar processos antigos, criando agilidade e possibilitando que os funcionários possam melhorar também sua qualidade de vida.

Afinal de contas, nessa época era comum ter jornadas de trabalho com mais de 14 horas diárias e uma produção fordista que obrigava os colaboradores a uma única função.

Isso gerou inúmeros problemas e estimulou uma série de medidas governamentais a fim de estabelecer conceitos de dignidade do trabalho.

No Brasil, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) é a maior representação dos direitos trabalhistas e introduziu no âmbito nacional a problematização da gestão humanizada.

Assim, é possível enxergar que todo e qualquer movimento para que os funcionários tenham um tratamento humanizado nas empresas nasceu pela sua valorização como indivíduos e a concessão de direitos.

Ou seja, à medida que a visão de empregados como máquinas de produção se dissipou, um novo olhar surgiu: o colaborador com vida pessoal, objetivos particulares, individualidade e, acima de tudo, sentimentos.

Mas, antes, salve estes artigos para conferir mais tarde:
👉 Banco de talentos: como utilizar no processo seletivo?
👉 Gestão de conflitos: aprenda a lidar com as divergências
👉 KPI: a importância dos indicadores de desempenho
👉 Veja algumas dicas para um one-on-one mais produtivo
👉 Políticas de RH: veja o que são e quais adotar na empresa

Os pilares da gestão humanizada

A fim de fixar a visão de um colaborador com desejos e sentimentos, a gestão humanizada traz alguns pilares que devem ser o centro da tomada de decisão na empresa que prioriza essa forma de liderança.

Observar

A observação é um fator primordial dentro de qualquer ação de RH. É a partir dos dados coletados nessa etapa que se faz possível a formulação e implementação de estratégias.

Sendo assim, a observação dos indivíduos dentro de corporações com foco em seus interesses pessoais (sonhos) é primordial para qualquer atitude posterior.

Afinal, é dessa forma que se pode alinhar o objetivo das empresas aos de seus colaboradores, oferecendo um espaço de crescimento mútuo.

Aproximar

O pilar da aproximação reflete em toda a empresa. A integração dos diversos times traz uma série de benefícios para a organização e também é um belo desafio para o RH.

Contudo, vamos focar na aproximação entre os líderes e suas equipes. Isso não somente leva uma visão muito mais clara da realidade de cada indivíduo para a gestão como também permite que os colaboradores sintam-se mais livres para expressar suas opiniões.

Adaptar

Para que tudo isso surta algum resultado, é necessário que a empresa esteja disposta a mudar. E essa mudança não fica somente em seus processos, mas também nos conceitos que circulam em seus corredores.

Como uma empresa pode cobrar flexibilidade e capacidade de adaptação aos seus colaboradores se as suas atitudes institucionais não demonstram essas mesmas qualidades?

Aqui também é uma ótima oportunidade para estimular o desenvolvimento das soft skills necessárias para um bom trabalho em equipe, especialmente no pós-pandemia.

Para humanizar é preciso primeiro liderar

O antigo chefe, aos poucos, abriu espaço para que o líder tomasse espaço. Mas para que isso fique claro, é preciso reavivar esses conceitos em nossas mentes.

O líder tem como papel estimular sua equipe a fazer o que é necessário dentro da empresa de livre e espontânea vontade, ou seja, o papel desse indivíduo é imprimir a sua visão e fazer com que esta seja uníssona entre os integrantes do seu time.

Esse indivíduo envolve seus colaboradores, aprende com eles e utiliza esse conhecimento para estimulá-los sempre em concordância com os objetivos e metas da empresa

O líder também se preocupa com a comunicação, procurando sempre auxiliar a execução da visão compartilhada, apontando equívocos e acertos de forma construtiva

De modo geral, esse profissional se diferencia do chefe, especialmente pela sua posição democrática.

O chefe, por outro lado, traz uma visão muito mais autoritária e comumente é visto como “preguiçoso”, pois delega todas as tarefas para os seus empregados e, ao cumprir um objetivo, age como se o tivesse conquistado sozinho.

Dessa forma, fica claro como o líder é uma peça-chave na humanização da gestão, afinal de contas, ele trata seus colaboradores de maneira empática e também procura entender o que gera satisfação no trabalho para cada um deles, por exemplo.

Por que implementar a gestão humanizada em sua empresa

Por que implementar a gestão humanizada

Não existe empresa em que os seus colaboradores não sejam o motor e a mente por trás da organização. 

Sendo assim, ações que estimulem as equipes são sempre bem-vindas para que todos entreguem os resultados esperados.

O capital humano de uma empresa é sempre o seu maior bem, assim, potencializar e investir nesse capital tende a gerar vários benefícios para a empresa, como discutiremos abaixo.

Não somente, isso também tende a melhorar a postura profissional dentro da empresa, impulsionando a sua produtividade.

Os benefícios da gestão humanizada

Já vimos que a gestão humanizada tem o poder de aumentar a satisfação do colaborador em relação às suas atividades e à empresa em sua totalidade.

No entanto, é necessário analisar todos os pontos que contribuem para uma gestão efetiva. Veja, a seguir, os seis principais benefícios desse modelo. 

1. Aumenta a produtividade

Não é a pressão do dia a dia que torna uma equipe produtiva. Na verdade, o excesso de cobrança e tarefas tende a minar a produtividade da equipe e ainda causar diversos outros problemas, como a evasão de talentos.

Materiais Tangerino: eBooks, guias, planilhas e ferramentas grátis

Alcançar uma produtividade maior requer inúmeras atitudes tanto por parte do RH quanto de toda a liderança da empresa. 

Mas, independentemente da estratégia escolhida, todas elas tendem a valorizar o colaborador.

Criar um ambiente de trabalho saudável e que valoriza os colaboradores é um dos primeiros passos rumo à gestão humanizada.

Nem precisamos falar que profissionais mais produtivos trazem um retorno financeiro maior para a empresa, não é mesmo?

2. Melhora a retenção de talentos

A busca por talentos através de processos de seleção e recrutamento é uma das principais tarefas do RH. 

Mas de nada adianta conseguir atrair esses profissionais se a empresa não for capaz de mantê-los.

Ofereça motivos para que os seus colaboradores pensem duas vezes antes de deixar a sua empresa.

Questões salariais podem ser importantes, mas, cada vez mais, perdem peso na balança quando os outros fatores são qualidade de vida, motivação no trabalho e reconhecimento profissional.

Atitudes que visam valorizar esses trabalhadores tendem a motivar os colaboradores e dar um propósito para as suas atividades diárias, afinal de contas, eles são integrados à empresa e sua opinião passa a ter mais peso em guiar a empresa rumo ao futuro.

3. Incentiva a ética no trabalho

Ética é algo basilar para toda e qualquer relação humana, não só no ambiente de trabalho. Não é à toa que diversas empresas utilizam esse conceito em sua missão visão e valores.

Exemplos bastante comuns de comportamento ético é não levar para casa sem autorização equipamentos ou utilizar a infraestrutura da empresa para fins pessoais.

Quando a gestão é humanizada, os líderes são o principal exemplo desse tipo de comportamento ético no trabalho.

Fica bem claro nesta vantagem que os líderes são uma peça-chave da administração humanizada uma vez que os colaboradores tendem a seguir o exemplo desse indivíduo.

4. Traz equilíbrio entre a vida pessoal e profissional

Algo que algumas empresas precisam ser constantemente lembradas é que seus colaboradores têm uma vida fora das dependências da empresa.

Sendo assim, é importante que a empresa incentive os profissionais a vivê-la de forma plena e saudável. 

Os líderes também têm um papel fundamental ao servir como exemplo de hábitos saudáveis como práticas de exercícios físicos e alimentação balanceada, por exemplo.

Uma excelente ideia para isso é formular uma campanha de endomarketing de modo a estimular esses hábitos.

Outro ponto importante é incentivar o lazer durante fins de semana e feriados, evitando trazer tarefas e projetos com prazos que comprometam esse precioso momento de descanso.

5. Melhora o clima organizacional

Profissionais insatisfeitos com o seu local de trabalho tendem a gerar mais conflitos, ter uma queda na produtividade e até mesmo ser pessimistas quanto ao crescimento da empresa.

Isso tudo afeta negativamente não só aqueles que estão ao redor desse indivíduo, mas toda a empresa.

A humanização dos processos de gestão é importantíssima sob essa ótica, promovendo a comunicação como ferramenta para melhorar a satisfação no trabalho.

6. Reduz o absenteísmo

Com um melhor equilíbrio entre a vida pessoal e profissional somado ao estímulo constante oferecido institucionalmente e pelos líderes, os colaboradores ficarão mais atentos e evitarão faltas injustificadas.

Não somente, um bom ambiente de trabalho também tende a diminuir a incidência de doenças ocupacionais como estresse e ansiedade. Sendo este um importante papel do RH.

A gestão humanizada durante a pandemia

A gestão humanizada na pandemia

A pandemia da covid-19 fez com que os setores de RH no mundo todo tivessem que se reinventar para viabilizar as ações na estrutura de home office.

Como transformar uma reunião virtual em um espaço de acolhimento e apoio durante uma situação tão dura quanto esta?

O medo do vírus associado ao medo do desemprego deixa qualquer um à beira de um abismo chamado desilusão. 

Assim, cabe ao RH e aos líderes assegurar para as equipes que está tudo bem e prover o necessário para que elas possam se adaptar ao trabalho remoto.

Mas além de assegurar que todos estejam confortáveis nessa situação, há também a questão da produtividade e lucratividade.

As empresas estão sendo pressionadas pelo mercado, ainda que esse mesmo mercado esteja perdendo força com o fechamento de muitos negócios.

Elas, por sua vez, pressionam os líderes para que eles encontrem uma solução para essa situação. E isso vem na forma de mais cobranças.

Não somente, empresas que ainda não haviam passado pelo processo de digitalização precisaram correr atrás antes que o isolamento social levasse consigo toda a produtividade dos colaboradores.

Que tal complementar a leitura com algum de nossos materiais?
📚 Kit completo de Gestão de Pessoas para a sua empresa
📚 Aprenda a vencer os desafios de gestão com tecnologia
📚 Trending topics do RH: quais são os temas mais buscados para ficar de olho?
📚 Recrutamento inteligente: como os algoritmos ajudam no processo seletivo?
📚 Bem-estar no trabalho: como garantir um ambiente saudável e aumentar o lucro da empresa

Um agente invisível e um desafio palpável

Apesar de todos esses desafios para as gestões, o foco nos colaboradores não desaponta e existem empresas que tiveram crescimento durante a pandemia devido a essa abordagem.

Esta matéria da Folha de São Paulo nos traz a história da Vedacit, uma startup do ramo de impermeabilizantes que atua em diversos setores como construção civil e em fábricas.

A startup cresceu cerca de 10% em 2020 enquanto o setor da construção cresceu somente 1,2%. E muito disso é atribuído à gestão humanizada.

Algumas das ações adotadas pela empresa foram:

  • organizar caronas solidárias entre os 800 colaboradores;
  • realizar medidas de escuta ativa e empática;
  • assinar o “Não Demita” a fim de dar tranquilidade aos colaboradores.

O papel do RH implementando a gestão humanizada

O papel do RH na gestão humanizada

O RH tem como principal função realizar a gestão de pessoas no ambiente corporativo, não é à toa que esse setor tem um papel central na implementação dessas medidas.

É importante ter em mente que essa mudança de paradigma não acontecerá do dia para a noite e envolverá uma série de ações a fim de estabelecer uma nova cultura organizacional.

O setor deve intervir diretamente na atuação de gestores e administradores, oferecendo o suporte necessário para que a nova filosofia de gestão se espalhe.

É possível utilizar os pilares da gestão humanizada para estudar a situação da empresa, especialmente tendo em vista que cada organização tem dinâmicas únicas e que precisam de intervenções personalizadas para sua situação. 

Algumas das mais comuns são:

  • proximidade com os colaboradores;
  • alinhamento de valores;
  • apoio às famílias;
  • desenvolvimento de plano de carreira;
  • cuidados com a saúde e o bem-estar.

Como aplicar essas e outras ações na prática

Por mais que cada empresa tenha uma situação única, existe um passo a passo lógico que pode ser empregado:

  1. diagnóstico das situações;
  2. estruturação de um plano de ação;
  3. adaptação do ambiente de trabalho;
  4. implementação da nova cultura organizacional;
  5. acompanhamento dos resultados.

É importante salientar que nenhuma ação é de fato efetiva se o RH não for capaz de medir os resultados.

Não somente, a comunicação para a gestão humanizada é a chave, sendo assim, envolver os colaboradores é primordial!

Esse foi um conteúdo bastante completo sobre gestão humanizada, mas você não precisa parar os seus estudos por aqui. 

Entenda mais sobre a experiência do colaborador e veja como implementar essa estratégia de forma efetiva.

teste grátis 14 dias

2 Comentários


  1. Ficamos felizes que tenha gostado, Eduardo. Temos vários artigos relacionados ao tema em nosso blog, aproveite e confira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

[i]
[i]
[...dataArray]
[...dataArray]