Geolocalização: conheça a tecnologia usada no ponto mobile

A geolocalização é uma tecnologia por GPS, GSM ou wi-fi e permite determinar a localização geográfica de um dispositivo, podendo ser usada para acompanhar trabalhadores externos ou em home office.

Já pensou na geolocalização sendo utilizada no controle de ponto?

Você provavelmente conhece a geolocalização como a tecnologia que permite o uso de um GPS em aplicativos de celular que traçam as melhores rotas até seu destino.

Além dessa, há outras formas de uso para essa tecnologia e, neste post, falaremos a respeito do funcionamento da geolocalização para o controle de jornada, de tarefas e mais.

Em suma, vamos apresentar a você uma solução ideal para acompanhar equipes externas e trabalhadores em home office, otimizando a gestão de pessoas e trazendo benefícios para a sua empresa. Confira!

O que é geolocalização

Geolocalização: conheça a tecnologia usada no ponto mobile

Presumimos que talvez você conheça a geolocalização dos aplicativos que funcionam como GPS. Contudo, se esse não for o caso, precisamos apresentar a tecnologia a você. Por isso, vamos começar pelo básico.

A geolocalização é a identificação exata ou aproximada do local geográfico em que um objeto está. É por isso que, estando com seu smartphone logado em um app como o Waze, por exemplo, você recebe rotas partindo do local onde está para o local onde deseja chegar.

Temos batido na tecla do GPS porque é um exemplo fácil de ser entendido, mas esse tipo de tecnologia funciona também de outras formas e tem outras funções além de ajudar alguém a se localizar.

A saber, se você está em São Paulo, pode receber anúncios online diferentes do que receberia se estivesse em Belo Horizonte, por exemplo.

A geolocalização é um dos fatores que ajudam a determinar que tipo de conteúdo publicitário apresentar a alguém, considerando que não faz sentido fazer propaganda de um restaurante mineiro a alguém que esteja na capital paulista, e por aí vai.

Com mais essa informação, pode ser que esteja ainda mais claro para você o que é geolocalização ou como essa tecnologia faz parte de nossas vidas. Esperamos, porém, fazer com que você entenda ainda melhor o assunto explicando como funciona a geolocalização.

Como funciona a geolocalização

A geolocalização é uma tecnologia que pode funcionar por meio de três métodos distintos: o já mencionado GPS, o GSM e o wi-fi ou wireless, nomes dados à rede de internet sem fio.

Geolocalização por GPS

Caso você ainda não saiba, na tradução para o português, GPS é sigla para Sistema de Posicionamento Geográfico. Trata-se de uma tecnologia que funciona por meio de transmissões via satélite.

Assim, um dispositivo com GPS deve ser utilizado e estar ativado para que um satélite capte os sinais e consiga transmitir informações sobre sua localização. Em geral, isso demanda ao menos três satélites, e essa tecnologia costuma funcionar muito bem, sendo útil inclusive por não demandar conexão de internet. Entretanto, em alguns casos, pode falhar caso haja qualquer tipo de interferência no sinal.

Geolocalização por GSM

Por sua vez, GSM equivale a Sistema Global para Comunicações Móveis, uma tecnologia também conhecida como radiofrequência.

Funcionando por meio de ondas de rádio, o GSM, assim como o GPS, é uma tecnologia que funciona bem a longas distâncias. A diferença básica entre as duas é que esta utiliza informações que são fornecidas por operadoras de telefonia móveis.

Sendo assim, ainda que o GPS esteja desativado ou com problema, se o dispositivo estiver ligado e com sinal, é possível localizá-lo e indicar sua posição geográfica com boa precisão.

Por outro lado, se o dispositivo estiver em local onde não há captação de sinal, a localização pode ser impossibilitada. Algo comum, por exemplo, em locais de subsolo.

Geolocalização por wi-fi

Por fim, a geolocalização pode funcionar por meio da internet sem fio, mesmo que o GPS esteja desligado. Em contrapartida, diferentemente dos outros dois métodos, a eficácia do wi-fi depende de sua proximidade de um roteador ou de repetidores de sinal.

Caso o dispositivo se encontre fora dos limites da rede wireless, não conseguirá transmitir informações de geolocalização pelo wi-fi.

Apesar disso, essa solução pode ser muito útil, porque consegue transmitir informações de geolocalização mesmo em locais fechados ou movimentados demais nos quais o GPS e o GSM poderiam sofrer alguma interferência.

A geolocalização em aplicativos

Geolocalização em aplicativos

Aparelhos GPS existem desde antes da popularização de dispositivos como os smartphones. Talvez você se lembre de ter visto motoristas de táxi que usavam um GPS acoplado ao painel do carro ou tenha você mesmo usado um equipamento assim.

Em todo caso, não é de hoje que a geolocalização existe, mas seu uso se tornou mais comum e quase imprescindível desde que os celulares modernos se popularizaram.

Apenas para que você tenha uma ideia e reconheça o quão presente essa tecnologia está em nossas vidas, vamos a alguns exemplos de aplicativos ou de situações em que a geolocalização é utilizada.

Google

Atire a primeira pedra quem nunca pesquisou onde encontrar algo, seja um produto, uma loja ou um serviço no Google! O buscador mais famoso do mundo virou uma ferramenta muito útil, inclusive por evoluir a cada dia para dar respostas mais adequadas a seus usuários.

É cada vez mais comum, por exemplo, que internautas escolham perguntar algo como “onde encontrar um restaurante vegano perto de mim”. Estando com a geolocalização ativada em seu celular, o usuário já não precisa especificar onde esse “perto de mim” fica.

Isso porque a tecnologia da geolocalização se encarrega de fazê-lo e, com isso, permite que o Google apresente nos resultados restaurantes que realmente estejam próximos de quem fez a busca.

Waze, Maps e outros

Waze e Maps são exemplos de aplicativos de geolocalização que usamos para saber quais rotas devemos seguir, seja de carro, usando o transporte público ou a pé, para chegar de um lugar ao outro.

O destaque para o uso da geolocalização não está atrelado à imagem de um mapa que aparece sob a tela. Na verdade, diz respeito ao fato de as rotas apresentadas serem atualizadas em tempo real uma vez que o app consegue saber exatamente onde o usuário está.

Assim, se no meio do trajeto uma via está interditada e um desvio é feito, o aplicativo logo detecta essa mudança e atualiza suas orientações.

Uber, Cabify e outros

Serviços de motorista via aplicativo funcionam de forma bem parecida à que acabamos de explicar ao comentar sobre os aplicativos de geolocalização.

Em geral, Uber, Cabify e outras alternativas ou têm uma tecnologia própria para guiar os motoristas ou se integram a algum dos aplicativos mencionados anteriormente.

Seja como for, graças às atualizações em tempo real, conseguem alertar sobre congestionamentos e outros problemas, permitindo que o motorista escolha rotas mais adequadas.

iFood e outros

Se você já usou o iFood ou outro serviço de delivery de alimentos sabe que o aplicativo é programado para identificar onde o usuário está e, então, mostrar uma lista de restaurantes que fazem entregas em sua região.

Nesse caso, portanto, a geolocalização é usada para viabilizar o serviço de entregas e não frustrar o usuário — já imaginou descobrir, na hora de finalizar a compra, que o seu pedido não pode ser entregue em razão da distância? Seria uma péssima experiência.

Apps de corrida

Ainda, se você está no grupo daqueles que praticam corrida de rua, já deve saber da existência de aplicativos para o celular ou até de gadgets como smartwatches (relógios inteligentes) que têm GPS integrado.

A função de geolocalização, nesses casos, é apresentar um relatório da atividade — acompanhado de um mapa — que permite ao usuário visualizar a área percorrida durante a prática.

Apps de controle de ponto

Para fechar nossa lista de exemplos de uso da geolocalização em aplicativos, temos as soluções de controle de ponto.

Só que, para falar dessa aplicação da tecnologia, preparamos um tópico exclusivo para que você a conheça em detalhes e que você lerá logo mais.

Autorização de geolocalização

Mesmo que você ainda não conheça aplicativos de ponto mobile com geolocalização, se já usou alguma das outras soluções que listamos como exemplo, sabe que pode ser preciso conceder uma autorização para que informações sobre a localização sejam compartilhadas.

Caso você nunca tenha passado por isso, porém, pode estar se perguntando como autorizar a geolocalização e, basicamente, há duas maneiras de fazer isso:

  • tão logo o aplicativo for instalado e aberto para uso, além de fazer um cadastro (quando necessário), o usuário também precisa dar “OK” em solicitações de acesso que o software pede.

    Uma dessas solicitações diz respeito à geolocalização e, caso a autorização seja negada, a função não vai funcionar;
  • nas configurações do dispositivo móvel, geralmente em “privacidade”, encontram-se também configurações relacionadas aos serviços de localização.

    Ao acessar essa seção, o usuário autoriza quais aplicativos podem ter acesso à sua localização e quando. A Uber, por exemplo, não precisa ter acesso a essa informação o tempo todo, podendo ser marcada como “enquanto estiver em uso”.

    Por outro lado, ao menos durante a rotina de trabalho, é importante que o aplicativo de ponto por geolocalização tenham acesso a essa informação sempre.

Caso sua empresa adote uma solução de controle de ponto que funcione por geolocalização, é importante orientar os funcionários sobre essa autorização. 

Pode ser preciso, inclusive, criar um manual ou acrescentar as orientações nas regras da empresa explicando como usar a solução e como fazer geolocalização para que o controle de jornada seja viabilizado.

Como aproveitar a tecnologia na gestão de pessoas

Buscamos exemplos de como a geolocalização faz parte do nosso dia a dia para que você compreenda que usar essa tecnologia no controle de ponto mobile é tão simples quanto usar todos os outros apps que mencionamos.

Com isso em mente, vamos contar a você como a geolocalização pode ser usada na gestão de pessoas e quais as vantagens atreladas a tudo isso. Acompanhe!

Controle de ponto

Para falar da utilidade da geolocalização no controle de ponto, vamos pensar primeiro na existência de uma equipe externa em sua empresa, um cenário bastante comum para quem trabalha com vendas.

Já imaginou se, para controlar a jornada dos funcionários, sua empresa precisasse estabelecer que todos eles precisam ir à sede para bater ponto no início do experiente, na ida e na volta do almoço e ao final do expediente? É contraproducente e tem boas chances de dar errado.

Agora, imagine o quão prático seria se sua equipe externa pudesse fazer marcações de ponto de qualquer lugar que estivesse? Com a geolocalização em aplicativos de ponto mobile isso é possível.

Uma vez que o aplicativo de controle de ponto é instalado no dispositivo móvel de cada funcionário, seja um smartphone ou um tablet, as marcações podem ser feitas a distância.

Controle de atividades externas

geolocalizacao como controle de atividades externas

Além do que foi dito sobre a marcação de ponto, a geolocalização no ponto mobile também favorece o controle de tarefas.

Nada de esperar até o fim do dia ou de um ciclo predeterminado para só então receber um relatório sobre os dias de trabalho de cada funcionário!

Com a solução certa, os gestores de uma empresa e o RH conseguem saber onde cada funcionário estava quando fez os registros de sua jornada.

Com isso, se dos  vendedores da equipe deveria estar conversando com um parceiro comercial X na primeira hora de seu dia de trabalho, é possível verificar se o funcionário, de fato, esteve onde o parceiro X se encontra.

Essa é uma das formas possíveis de otimizar o controle de tarefas e verificar se visitas estão sendo feitas seguindo o cronograma determinado.

Controle de tarefas

Seguindo com a realidade de equipes externas como base, se os gestores conseguem acompanhar em tempo real onde cada um está, também conseguem comunicar mudanças na lista de tarefas a ser cumprida.

Se algum imprevisto ou demanda urgente surge, o gestor consegue reorganizar a agenda da equipe externa considerando o local onde cada um está no momento como ponto de partida.

Assim, torna-se possível tirar melhor proveito da mobilidade de cada funcionário sempre que necessário. Algo que contribui para otimização do tempo e dos recursos da empresa.

Ainda, caso algum membro da equipe externa cometa um deslize e se esqueça de uma tarefa ou visita, por exemplo, com o geolocalizador ativo o gestor pode identificar a localização e passar orientações para corrigi-la.

Comunicação clara

Com tudo isso, a comunicação entre equipes externas ou trabalhadores home office e seus gestores melhora.

Por saber que estão sendo monitorados, os funcionários entendem que há mais transparência na relação entre as partes e são mais claros e honestos quanto ao seu trabalho.

Convenhamos, não adianta a um vendedor externo dizer que está no cliente X se, pelo localizador, o gestor consegue ver que isso não é verdade, não é mesmo? Com isso, imprevistos, atrasos e outros problemas passam a ser melhor comunicados.

Como consequência, o gestor tem melhores condições de avaliar situações recorrentes e promover mudanças estratégicas que favoreçam a atuação do profissional e, claro, os resultados da empresa.

Conquista de produtividade

Uma vez que permite um melhor alinhamento de horários, atividades e tarefas, o ponto mobile com geolocalização também permite que um planejamento mais adequado de trabalho seja feito.

Com a rotina mais bem definida e com metas devidamente alinhadas, os funcionários podem ter ganho de produtividade. Algo que é positivo para eles próprios e, como haveria de ser, para a empresa.

Considerando a situação dos funcionários em home office, a tecnologia também permite que o seu tempo de trabalho seja avaliado, visando alinhamentos que favoreçam o ganho de produtividade no trabalho remoto.

Custos reduzidos

Ainda, a geolocalização favorece a redução de custos. Se, por algum motivo, o trabalhador externo criou rotas pouco estratégicas ou que resultam em desvios e mais quilômetros rodados, com o aplicativo de ponto mobile a empresa pode estudar o trajeto feito e propor alterações.

A geolocalização como ferramenta no home office

Agora que já falamos da geolocalização considerando a realidade de equipes externas, vamos a outro cenário que é cada vez mais comum em nosso país: o trabalho remoto feito de casa.

Antes mesmo da Covid-19, o home office já estava crescendo no Brasil. Com o distanciamento social, o número de profissionais trabalhando de casa aumentou e muitos empregadores manifestaram a intenção de manter essa modalidade de trabalho independentemente da pandemia.

Em busca de um retrato mais claro da situação, a Fundação Getúlio Vargas realizou uma pesquisa intitulada Inteligência de Negócios Digitais. Uma das conclusões apontadas é a de que o home office deve crescer 30% mesmo com o fim do cenário atípico provocado pelo novo coronavírus.

O coordenador de pesquisa, André Miceli, destaca que a adoção da modalidade é “um caminho sem volta”. Com isso, sequer precisamos dar tanto destaque também às equipes externas para falar sobre a utilidade do controle de ponto por geolocalização.

Quer os funcionários estejam em suas casas ou cumprindo tarefas externas, é natural que o empregador queira saber onde cada um está para se certificar de que estejam trabalhando. Para isso, aplica-se a tecnologia usada no ponto mobile.

Basta contar com um aplicativo de controle de ponto equipado com alguma tecnologia de geolocalização para saber, de onde quer que se esteja, onde cada funcionário está.

O controle de jornada no home office

Até antes da Reforma Trabalhista, Lei nº 13.467 de 2017, a legislação não mencionava o home office. Isso mudou e, desde então, é o artigo 62 da CLT que determina que trabalhadores remotos não precisam bater ponto, mas nada impede a empresa de adotar um sistema de controle de jornada.

Para tanto, a recomendação é de que um acordo documentado seja feito para estabelecer, entre as partes, o entendimento de que o controle de ponto vai existir mesmo no home office. Algo que só é possível com o uso de um sistema alternativo de controle de ponto, como aplicativo mobile.

No contrato de trabalho home office, dois dos pontos que o empregador precisa deixar claro é a produtividade esperada do funcionário e como será realizado o controle de jornada. São pontos que podem estar, inclusive, interligados.

Para esclarecer quais são as obrigações da empresa e do empregado em home office, confira o vídeo que preparamos:

Com um aplicativo de ponto mobile, a empresa passa a ter mais conhecimento de quanto tempo o funcionário está dedicando ao trabalho e de como está sendo o uso desse tempo.

Isso porque é possível relacionar esses dados ao de cumprimento de tarefas para, então, avaliar o ritmo de trabalho e a produtividade de cada um.

Em suma, ainda que a obrigatoriedade não exista, empresas que optam por um sistema de controle de ponto com geolocalização conseguem gerir melhor seus funcionários.

Algo que implica em melhores resultados e pode ser benéfico também para os trabalhadores que tenham dificuldade em administrar suas jornadas por conta própria.

A legalidade do uso da geolocalização

Sabendo o que é e como funciona a geolocalização, você já deve ter entendido também como essa tecnologia é útil para a gestão de pessoas.

Entretanto, por estarmos falando de algo que permite ao empregador saber onde seus funcionários estão, pode surgir uma dúvida acerca da legalidade no uso desse tipo de solução. Afinal, é invasão de privacidade? A lei permite que empresas usem tecnologias de geolocalização?

Geolocalização e privacidade

Antes de qualquer coisa, vamos esclarecer que aplicativos de ponto mobile não representam uma invasão de privacidade, desde que ambas as partes estejam de acordo com seu uso.

Basta pensar que, se há um acordo definido e assinado sobre o cumprimento de uma jornada de trabalho, o empregador tem direito de saber se o funcionário está honrando esse acordo. Para tanto, porém, convém evitar ações abusivas.

Especialmente em razão da pandemia do novo coronavírus, muitos profissionais e empresas foram forçados a acatar o home office mesmo não estando devidamente preparados para isso.

Frente a esse cenário, sem conhecer ferramentas mais adequadas de controle de jornada e de produtividade, alguns empregadores solicitaram webcams ligadas durante todo o horário de trabalho.

Ainda que essa pareça uma estratégia válida, é altamente contraindicada porque pode ser interpretada como uma solicitação abusiva pela Justiça do Trabalho. O mesmo não acontece com o aplicativo com geolocalização que, inclusive, é autorizado por lei.

Considere que, se estivesse na empresa em seu horário de trabalho, o empregador saberia exatamente onde o funcionário está. A geolocalização permite exatamente a mesma coisa, considerando que naquele intervalo de tempo, o trabalhador precisa mesmo estar se dedicado às suas funções.

O que a legislação diz

Aplicativos de ponto mobile com geolocalização são classificados como sistemas alternativos de controle de jornada. Esses sistemas foram regulamentados em 2011, pela Portaria 373 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Seu uso depende de uma validação, ou seja, de concordância oficializada por meio de Convenções ou Acordos Coletivos de Trabalho. Uma vez que a empresa conseguir essa validação junto ao sindicato laboral, o uso da tecnologia está legalmente liberado.

O processo de regulamentação da solução feito pelo MTE considera a possibilidade da existência da geolocalização, inclusive porque uma das principais premissas desse tipo de aplicativo é o controle de ponto feito remotamente.

Ademais, há algumas outras regras que uma solução de ponto mobile com geolocalização deve obedecer para que possa ser utilizada. Entre elas, destacamos:

  • não apresentar restrições à marcação de ponto;
  • não permitir a marcação automática de ponto;
  • estar sempre acessível;
  • não permitir a alteração ou eliminação dos registros por parte do trabalhador;
  • e outras presentes em seu texto.

Com tudo isso, escolhendo uma solução que obedece aos critérios da Portaria 373, você pode ter a tranquilidade de que o RH da sua empresa contará com uma solução legal e que trará diferentes benefícios de gestão.

Algo que se aplica, sobretudo em relação a equipes externas ou trabalhadores em home office.

A geolocalização e o aplicativo Tangerino

Uma das soluções alternativas de ponto mobile com geolocalização é o aplicativo Tangerino – controle de ponto digital, uma solução que funciona por meio da tecnologia do GPS.

Como você já deve ter deduzido, o Tangerino é um app que pode ser usado para o controle de jornada de equipes externas e de trabalhadores home office, agregando todos os benefícios que você conheceu ao longo da leitura.

Além disso, pode também ser utilizado por funcionários que estejam alocados nos escritórios ou espaços da empresa. Assim, falamos de uma alternativa que vai atender sua empresa como um todo, com o bônus de servir para acompanhar até mesmo quem trabalha de forma remota.

Há dois pontos que queremos destacar sobre o Tangerino e sua geolocalização para que você conheça melhor o potencial dessa solução para a sua empresa e seus funcionários. Veja!

Criação de locais de interesse

O Tangerino foi desenvolvido de modo a facilitar ao máximo a vida do RH e dos gestores de uma empresa. Assim, sua geolocalização apresenta duas possibilidades muito úteis: a primeira é a criação de locais de interesse e a segunda é a marcação de ponto feita de qualquer lugar.

Locais de interesse

Se a empresa tem funcionários em home office, tudo o que precisa fazer é cadastrar previamente o endereço de cada um, atrelado a seus dados individuais, para autorizar que as marcações de ponto sejam feitas de casa.

Com isso, por meio da geolocalização, o próprio aplicativo vai reconhecer se o funcionário está mesmo em casa ou em qualquer outro endereço previamente informado, como um coworking de onde o profissional prefira trabalhar.

Reconhecendo o local, o Tangerino registrará a marcação de ponto automaticamente, possibilitando que cada registro seja consultado pelo funcionário ou pela empresa a qualquer momento.

Locais não cadastrados

Ainda, o funcionário pode, sim, fazer a marcação de ponto de um local que não esteja cadastrado no sistema do aplicativo. Quando isso acontecer, porém, o gestor vai precisar autorizar esse registro.

Suponhamos que Cássia tenha se esquecido de avisar ao seu gestor que resolveu experimentar o trabalho em um coworking pela primeira vez. Ao fazer a marcação do ponto em um local diferente de sua casa, precisará do “OK” do líder da sua equipe.

Para tanto, esse gestor pode entrar em contato e pesquisar o endereço na internet para confirmar se o local onde Cássia está realmente é um espaço de coworking e validar a marcação. 

Em outro cenário, suponhamos que Jonathan também faça marcação em um local diferente do habitual, ou seja, diferente daquele que está previamente cadastrado na plataforma do Tangerino.

O funcionário alega que está na casa de um familiar porque ficou sem internet, mas o gestor identifica que o endereço sequer é residencial e que algo está errado.

Com isso, o gestor pode cobrar explicações e até invalidar a marcação de ponto, algo que pode resultar no registro de um atraso ou de falta injustificada do funcionário.

Marcação de ponto offline

Outra característica do Tangerino que precisa ser ressaltada é o fato de o aplicativo permitir que as marcações de ponto sejam feitas mesmo que o funcionário esteja sem acesso à internet.

Em situações assim, o registro é feito normalmente e, quando o funcionário consegue um sinal, seja da própria telefonia ou de uma rede wi-fi, os dados da marcação são atualizados na plataforma do Tangerino.

Isso não é positivo apenas porque permite o controle de jornada. É positivo também porque permite ao gestor conferir onde o trabalhador estava quando fez o registro de ponto, conferindo se estava, de fato, onde deveria estar para as tarefas do dia.

Conclusão

A geolocalização é uma tecnologia que passou a fazer parte de nosso dia a dia. Seu funcionamento simples permeia diferentes soluções, inclusive softwares alternativos de ponto mobile como o aplicativo Tangerino.

Sendo assim, a geolocalização se apresenta como uma ferramenta capaz de possibilitar o acompanhamento de jornada mesmo de equipes remotas ou de trabalhadores em home office.

Algo que traz consigo ganhos atrelados à gestão de pessoas, de produtividade, à redução de custos e à melhoria dos resultados da empresa.Gostou do post? Teste gratuitamente o Tangerino por 14 dias e entenda, na prática, como a solução da geolocalização funciona no ponto mobile!

teste grátis 14 dias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.