Dinâmica de Grupo Ajuda Mesmo a Aumentar a Motivação da Equipe?

Dinâmicas de grupo são atividades que permitem que o RH de uma empresa conheça melhor o perfil dos funcionários ou transmita a uma equipe conhecimentos que aumentem a sua motivação no trabalho.

A dinâmica de grupo é uma ferramenta bastante conhecida no universo corporativo, especialmente quando voltada a processos de recrutamento e seleção. Você sabia que pode usá-la também para aumentar a motivação dos funcionários?

Como você deve saber bem, manter funcionários motivados é fundamental porque isso diz respeito ao desejo dos profissionais em cumprirem com suas obrigações e metas. E, mais do que isso, a se manterem na empresa atuando por um sucesso mútuo.

Assim, funcionários desmotivados podem prejudicar uma empresa de diferentes formas, o que nos leva a necessidade de recorrer a estratégias para evitar essa situação. Neste post, trataremos especialmente das dinâmicas de grupo para motivação. Vamos lá?

Neste artigo abordaremos os seguintes tópicos:

O que são dinâmicas de grupo

dinamica de grupo

É bem provável que o conceito teórico e prático do que é dinâmica de grupo seja conhecido por você e por todos do setor de Recursos Humanos (RH) de sua empresa.

Isso porque, por se tratar de uma ferramenta muito utilizada, as dinâmicas são algo que até profissionais de outras áreas conhecem, ainda que nem todos as tenham vivenciado.

Apesar disso, não nos custa nada esclarecer. Então, pontuamos que a dinâmica de grupo é um tipo de exercício a ser realizado de forma coletiva para que informações possam ser extraídas ou compartilhadas para os profissionais.

Recrutamento e seleção

É bastante comum que o RH recorra à dinâmicas em grupo como uma das etapas do processo de seleção de novos funcionários para uma empresa.

Trata-se de uma estratégia que permite a avaliação do comportamento, perfil e habilidades dos candidatos.

Considerando que acertar na formação do quadro de funcionários é crucial para reduzir o turnover e seus consequentes custos, assim como otimizar os resultados da empresa, as dinâmicas têm grande relevância no processo.

Indo além disso, passamos para o uso das dinâmicas como ferramenta a favor do resgate ou da promoção da motivação entre os funcionários já contratados.

A importância da motivação no trabalho

A importância da motivação no trabalho

A motivação no trabalho pode ser afetada por questões pessoais, por isso esse aspecto não deve ser desconsiderado.

O que não pode acontecer é uma empresa pensar que se um funcionário está desmotivado, trata-se de um problema que tem a ver exclusivamente com suas próprias questões.

A motivação organizacional, ou seja, as ações que a empresa toma para manter seus funcionários motivados têm relação com a criação de um ambiente de trabalho adequado.

Falamos de algo que promove o bem-estar, melhora o clima organizacional e engaja os profissionais com suas tarefas e com a empresa de um modo geral.

Tudo isso deve ser valorizado, porque a motivação no trabalho contribui para:

  • aumentar a confiança dos funcionários ― uma mudança que faz com que os profissionais se sintam mais seguros para desempenhar suas funções e lidar com desafios comuns à sua rotina de trabalho;
  • promover o crescimento pessoal ― a confiança deixa os funcionários mais à vontade no exercício de suas funções, assim como para visualizar formas de direcionar sua carreira. Algo que pode transformar os profissionais em peças ainda mais valiosas para a empresa;
  • otimizar o uso do tempo ― a motivação também está relacionada com a produtividade. Trabalhadores motivados tendem a desempenhar suas funções com mais destreza e o ganho de tempo costuma ser positivo para os resultados da empresa;
  • melhorar relacionamentos interpessoais ― funcionários motivados se sentem bem consigo mesmos e contribuem para um clima organizacional mais positivo. Isso significa, entre outras coisas, que nessa realidade o relacionamento entre os membros de uma equipe tende a ficar mais leve e positivo;
  • otimizar o trabalho em equipe ― como haveria de ser, se os funcionários se relacionam de forma mais positiva, a sinergia entre eles aumenta e, consequentemente, seu desempenho em trabalhos em equipe também.

Essa situação, inclusive, tende a contribuir para que a motivação se mantenha em alta. Uma vez que a equipe se entrosa mais e consegue melhores resultados, se sente ainda mais instigada a seguir na direção do sucesso.

Aproveite para ler também:
👉 Teste comportamental: como avaliar o perfil de seus funcionários
👉 Como melhorar seus treinamentos com uma plataforma LMS
👉 Entenda o que é avaliação de desempenho, seus conceitos e benefícios
👉 Talent acquisition: entendendo e aplicando no recrutamento
👉 Dinâmica online: adaptando a gestão ao home office

Caso você seja fã de futebol ou de qualquer outro esporte coletivo, deve entender bem essa realidade em que bons resultados elevam o moral de uma equipe e a mantém motivada.

Passamos por todos esses pontos que destacam a importância da motivação para que o entendimento quanto ao uso das dinâmicas de grupo flua de forma mais natural em sua mente.

Existem outras estratégias que uma empresa, inclusive por meio de seu RH, pode adotar para tentar motivar suas equipes.

Nosso objetivo, porém, é fazer com que você entenda por que considerar as dinâmicas como ferramenta válida para este fim.

Dinâmicas e a motivação de equipes

Dinâmicas e a motivação de equipes

A tarefa de motivar funcionários pode ser desafiadora. É certo que uma empresa pode considerar a oferta de boas remunerações, a existência de um plano de carreira e a concessão de diferentes tipos de benefícios, mas isso não é tudo.

Ainda que o dinheiro e as perspectivas de projeção profissional sejam bons motivadores, pode ser preciso contar com fatores que sejam facilmente percebidos no dia a dia e não só ao final do mês.

Quando a dinâmica de grupo para motivação foca na melhoria do relacionamento entre os membros de uma equipe, por exemplo, consegue criar um ambiente que diariamente reforça o “espírito” que cada profissional deve ter na empresa.

Vale lembrar que, como já indicamos, as dinâmicas para grupos servem tanto para que o RH conheça melhor os funcionários, quanto para que eles recebam informações relevantes. Vamos explicar isso melhor.

Motivação e informações acessadas por meio das dinâmicas

Tenha em mente por um instante como as dinâmicas de grupo ajudam o RH a conhecer melhor cada candidato em um processo seletivo.

Agora, considere a complexidade das pessoas e o fato de que é interessante dar atenção às evoluções de seu comportamento para entender como cada profissional pode se encaixar na empresa a cada momento.

Os processos de definição de equipes, de readequação de funções ou de identificação de lideranças são exemplos de questões que podem estar atreladas à motivação dos funcionários.

Da mesma forma, elas também podem estar atreladas às informações que o RH acessa por meio das dinâmicas de grupo.

Suponhamos que sua empresa acompanha o caso de Mateus, um funcionário exemplar, com bom relacionamento com os colegas e bons resultados.

Porém, de uns tempos para cá, ele começou a apresentar mudanças negativas em seu desempenho.

Em investigações por meio de pesquisas de satisfação e conversas com suas lideranças, descobriu-se que Mateus ainda gosta da empresa e quer continuar, mas por alguma razão não tem conseguido se envolver com o trabalho como fazia antes.

É certo que a empresa pode não aplicar uma dinâmica de grupo para resolver a situação de um único funcionário.

Mas a prática pode fazer com que o RH reconheça características e habilidades em Mateus que ainda não foram exploradas.

Com isso, uma orientação pode ser dada às lideranças para considerar uma readequação de função que seja positiva para a carreira de Mateus.

A mudança pode ser exatamente o que o profissional queria, ainda que não soubesse identificar, para se sentir mais confiante e motivado novamente.

Motivação e informações compartilhadas por meio das dinâmicas

Se apresentamos um exemplo de como as dinâmicas de grupo ajudam a empresa a extrair informações em prol da motivação, falemos agora sobre o compartilhamento de informações com o mesmo fim.

Por informações, entenda conhecimentos teóricos e empíricos, ou seja, aqueles que são adquiridos por meio da prática, por meio da “interação do ser humano com o ambiente ao redor”.

Entre os tipos de dinâmica de grupo para empresas está aquele que é voltado para a promoção da interação e que vai nos servir neste momento.

Suponhamos que Lívia seja uma funcionária com elevada qualificação técnica para a sua função e que, em suas individualidades, se sai muito bem na avaliação feita pelo RH ou pelas lideranças.

Apesar disso, Lívia tem dificuldades para entender como o seu trabalho se relaciona e impacta o que é feito pelo restante da equipe e vice-versa.

Essa falta de entendimento, inclusive, é uma das razões pelas quais Lívia prefere se fechar em suas próprias tarefas, dialogando pouco com a equipe.

Em partes, as coisas fluem bem, mas a funcionária se sente pouco integrada e isso acaba por limitar seu potencial e, consequentemente, a sua motivação. Sendo assim, há mudanças que se mostram importantes.

Se o RH optar por aplicar uma dinâmica de grupo que promova a interação, o diálogo e até amplie o conhecimento de como cada tarefa executada integra o todo, estará compartilhando uma informação ou conhecimento.

Além de mostrar para Lívia o valor do seu trabalho dentro da equipe, pode criar nela um senso de relevância quanto ao diálogo e à integração com os seus.

Ainda, pode oportunizar uma aproximação entre os outros membros da equipe e a funcionária em questão para que se relacionem melhor.

O trabalho de gestão de pessoas deve continuar tanto pelo RH quanto pelas lideranças de Lívia e da equipe a qual ela pertence.

Entende-se, porém, que a dinâmica pode ajudar a quebrar, na prática, uma barreira que só o diálogo e as orientações não são capazes de fazer.

Com tudo isso, a expectativa é que Lívia comece a entender como seu bom desempenho é favorável ao restante da equipe e também a se sentir parte de um todo.

Quando usar e como escolher uma dinâmica de grupo

Quando usar e como escolher uma dinâmica de grupo

Se a dinâmica de grupo não é a única ferramenta a ser usada para motivar equipes, como você já sabe, não é importante saber quando usá-la.

É fácil entender que a realização de dinâmicas deve ser proposta quando problemas de motivação são identificados.

O ponto-chave do quando usar, portanto, é algo que diz mais respeito ao preparo do RH para conduzir as atividades.

O RH não é o único setor envolvido em toda essa situação. Mencionamos as lideranças em vários pontos do texto, porque líderes também têm seu papel na identificação de problemas ou dificuldades enfrentadas por suas equipes.

Assim, são as avaliações feitas pelo RH e combinadas ao depoimento das lideranças que vão indicar o momento certo para a realização de dinâmicas de grupo.

Os agentes envolvidos na definição e aplicação das dinâmicas precisam ter clareza do que causa a desmotivação na equipe.

Considerando que podem existir múltiplos fatores, precisam ter clareza de qual ou quais são os mais relevantes e os que precisam ser trabalhados primeiro.

Somente a partir desse entendimento é que as dinâmicas de grupo para motivação podem ser aplicadas e surtir os efeitos desejados.

Para entender melhor, considere que se o problema é a falta de engajamento coletivo para a conquista de metas, a dinâmica a ser escolhida pode ser diferente de quando o problema é a falta de interação entre os membros da equipe.

Escolhendo a dinâmica ideal

A dinâmica ideal é aquela cuja análise permite que a empresa tenha ou transmita as informações de que precisa de acordo com os objetivos relacionados à falta de motivação.

Entre os tipos de dinâmica de grupo existentes, pontuamos aquelas que servem para:

Objetivos das dinâmicas de grupo
  • promover a integração da equipe;
  • eliminar tensões no ambiente de trabalho;
  • aprimorar habilidades da equipe (como a de vendas, por exemplo);
  • criar uma competição sadia em torno da conquista de metas.

Observe que apresentamos dinâmicas que não necessariamente tratam de motivação de forma direta.

Algo que, esperamos, ajude você a compreender que diferentes fatores podem estar por trás da desmotivação e, com isso, diferentes objetivos podem ser considerados para a escolha da dinâmica ideal.

Em geral, é legal que as dinâmicas de grupo sejam realizadas fora do ambiente do escritório. Ou, então, em um ambiente que permita aos participantes se desligarem momentaneamente das questões relativas ao trabalho.

Isso porque é importante que os funcionários se sintam à vontade para se entregarem à dinâmica, sem que a preocupação com suas tarefas seja um problema.

Além do mais, como a ruptura de barreiras pode ser um objetivo buscado, o distanciamento do ambiente de trabalho pode propiciar a redução da apreensão eventualmente relacionada à cobrança dos chefes e fatores afins.

Dito isso, vale lembrar que o momento ou dia destinado à aplicação de dinâmicas de grupo não pode ser descontado da remuneração dos funcionários.

Trata-se de algo que faz parte do trabalho e, por isso, não pode estar atrelado a qualquer perda para os profissionais.

4 dinâmicas de grupo que podem ser usadas para motivação

dinâmicas de grupo que podem ser usadas para motivação

É fundamental que o RH tenha amplo conhecimento sobre a dinâmica ou as dinâmicas de grupo escolhidas para aumentar o engajamento dos funcionários. 

Por isso, recomendamos que você pesquisa mais afundo aquelas que lhe parecerem mais interessantes ou até mesmo busque por alternativas além das que vamos indicar a seguir.

Confira agora quatro dinâmicas que podem ser úteis à sua empresa!

1. Aceita o desafio?

O objetivo dessa dinâmica de grupo é integrar a equipe, desenvolver sua confiança individual e coletiva e preparar para a superação de desafios.

Para aplicá-la, você vai precisar de uma caixa de tamanho similar às de sapato embrulhada em papel pardo ou outro que não permita a visualização do que estiver em seu interior.

Veja como funciona: a primeira coisa a se fazer é dividir os participantes em grupos iguais e, em seguida, colocá-los de forma alternada em uma roda.

Se você tem grupos A e B, deve ter o roda com membro do grupo A, membro do grupo B, membro do grupo A e assim por diante.

Em seguida, você deve entregar a um participante aleatório a caixa e dizer a todos que, dentro daquela caixa, existem informações para se cumprir um desafio.

Deve também explicar a eles que, enquanto a música estiver rolando, a caixa deve ser passada de mãos em mãos, até que a música pare ― algo similar ao jogo de “batata quente” que muitos conhecem da infância.

Ainda, os participantes precisam saber que quem ficar com a caixa vai ter que cumprir o desafio. Se errar, deve pagar uma prenda, sendo eliminado do jogo e causando a perda de quatro pontos à equipe. Se acertar, não paga a prenda e dá três pontos à equipe.

Quando a música for interrompida, você deve apresentar uma nova regra ao jogo: a de que a pessoa com a caixa tem três opções:

  • cumprir o desafio;
  • passar a caixa a alguém do seu grupo;
  • ou passar a caixa para alguém do outro grupo.

No fim das contas, a caixa pode ser repassada até três vezes. O limite existe para que, enfim, alguém seja obrigado a cumprir o desafio.

Essa pessoa deve abrir a caixa para descobrir que, na verdade, não existem informações para o desafio e sim bombons que devem ser partilhados entre todos.

Para entender melhor: essa é uma dinâmica de grupo que serve para quebrar o gelo e que pode ser usada para iniciar as atividades do dia.

Por meio dela, o RH pode observar quem se demonstra mais disposto a assumir desafios e quem prefere passar o trabalho para outros.

A escolha de passar a caixa para alguém da própria equipe ou da equipe “rival” também pode ser analisada. Por exemplo, indo para um membro da mesma equipe, a decisão pode indicar a confiança do primeiro funcionário na capacidade do colega em resolver problemas desafiadores.

2. Quem eu levo?

O objetivo dessa dinâmica de grupo é fazer com que os membros de uma equipe aprendam a reconhecer as habilidades uns dos outros, além de entender qual é a percepção do grupo sobre cada um. Informações que também podem ser úteis ao RH e às lideranças.

Para aplicá-la, você vai precisar de lápis (ou caneta), folhas de papel, envelopes e algumas caixas.

Veja como funciona: cada participante deve receber um lápis, um pedaço de papel e um envelope. No papel, cada um deve responder às seguintes perguntas:

  • se você precisasse passar um tempo em uma ilha deserta, quem do grupo levaria como companhia?
  • Se você fosse responsável por organizar uma festa, quem do grupo escolheria para ajudá-lo nesta tarefa?
  • Se você ganhasse uma viagem em uma premiação e pudesse levar consigo três pessoas do grupo, quem elas seriam?

É importante que os participantes da dinâmica sejam informados de que as respostas são confidenciais e que, por essa razão, não devem se identificar na folha de respostas ou no envelope.

O anonimato também dá aos funcionários mais liberdade para responder de forma sincera, sem receios.

À medida que forem respondendo, os participantes devem colocar os papéis dentro dos envelopes e encaminhá-los a você e demais aplicadores, caso existam.

É seu papel somar um ponto para cada pessoa mencionada em cada resposta. Com esse trabalho feito, você deve apresentar a todos os nomes daqueles que mais foram mencionados e presenteá-los com uma caixa de bombom.

Para entender melhor: com a dinâmica, o RH pode identificar quem são os funcionários reconhecidos como figuras de liderança entre os colegas, assim como aqueles que têm boa convivência com o grupo.

Os mais votados logo saberão do seu reconhecimento e podem ser motivados a partir disso.

Os demais podem ser informados, individualmente, se foram mencionados em alguma das respostas e quantas vezes.

Essa informação pode servir para motivá-los a adequar seu comportamento para que possam aumentar seu reconhecimento na equipe.

Bônus: caso mais dinâmicas sejam realizadas no mesmo dia, você pode escolher voltar a esta e refazê-la depois que os colegas tenham se entrosado e se conhecido ainda melhor.

Assim, você vai criar uma oportunidade para que uma revisão de percepções seja apresentada. Para tanto, porém, é necessário que as outras dinâmicas escolhidas contribuam para a ampliação dos conhecimentos sobre os perfis e competências uns dos outros.

3. Ilha do tesouro

O objetivo da dinâmica de grupo em questão é otimizar o trabalho em equipe e a capacidade dos profissionais em lidar com desafios.

Para aplicá-la, você vai precisar de folhas de jornal e, mais uma vez, de uma caixa de bombons.

Veja como funciona: Em um canto da sala ou do ambiente em uso, coloque uma folha de jornal e caixa de bombons por cima. Explique que ali é a Ilha de Tesouro.

Peça para os participantes formarem duplas ou escolha um sistema para que as duplas sejam formadas aleatoriamente. A segunda alternativa pode ser mais proveitosa!

Em seguida, direcione as duplas para o lado oposto ao da Ilha do Tesouro e abra uma folha de jornal para cada, mantendo-as lado a lado.

Explique que cada dupla deve subir em sua folha e encontrar uma forma de chegar até a Ilha sem rasgar o jornal.

Estabeleça um tempo para que o objetivo seja cumprido, incentivando o raciocínio rápido e estratégico. E informa que, caso alguma dupla rasgar seu jornal, será desclassificada.

Se mais de uma dupla alcançar a Ilha do Tesouro, os membros devem dividir os bombons entre si.

Para entender melhor: certamente o objetivo dessa dinâmica em grupo não é somente fazer com que alguém possa saborear alguns chocolates, mas mostrar a importância do trabalho em equipe, inclusive com a expansão de horizontes.

A questão é que a única forma de chegar até a Ilha do Tesouro sem rasgar a folha de jornal é convidar outra dupla a participar junto.

Os quatro ficam em uma folha e posicionam outra à frente. Trocam de folha e passam e colocam a anterior ainda mais à frente e assim sucessivamente.

Caso nenhuma dupla pense nessa solução, ao fim do prazo estabelecido, ela deve ser apresentada a todos.

Seja como for, o importante é que os funcionários sejam apresentados a uma reflexão sobre a importância da criatividade e, sobretudo, da comunicação e do trabalho coletivo.

4. Salve seu balão!

O objetivo dessa dinâmica de grupo é estimular o trabalho em equipe e fomentar uma competição sadia que pode elevar a motivação da equipe. Para aplicá-la, você vai precisar de balões e barbante.

Veja como funciona: a primeira coisa a se fazer é distribuir os participantes em duas equipes e entregar a cada um deles dois balões. Para facilitar a dinâmica, é interessante que cada equipe tenha balões de uma cor.

Os balões devem ser enchidos na hora para evitar que se murchem e, com o barbante, cada participante deve amarrar seus dois balões na cintura.

Uma vez que todos estiverem prontos, você deve explicar que estão liberados para tentar estourar os balões de membros da equipe alheia com as mãos.

Deve lembrá-los, porém, da importância de proteger os seus balões porque a equipe que perder todos os seus balões primeiro perde.

Para entender melhor: uma vez que estiverem liberados para estourar os balões “rivais”, pode ser que os participantes saiam correndo para tentar eliminar a outra equipe o mais rápido possível.

Eventualmente, essa estratégia vai funcionar, mas tendo em mente que o nome da dinâmica é Salve o seu balão, o mais interessante é ver se os grupos decidem bolar uma estratégia ao invés de simplesmente saírem correndo atrás uns dos outros.

Mais uma vez, uma lição sobre a importância da interação e do trabalho em equipe é apresentada.

Como consequência, os funcionários podem se abrir mais para a colaboração no dia a dia, contribuindo para a criação de um ambiente mais agradável e para a conquista de melhores resultados. Uma combinação motivadora.

Conclusão

Dinâmica de grupo

Dinâmicas de grupo podem ser usados para diferentes objetivos além da seleção de novos profissionais.

A integração e melhoria do clima organizacional, a identificação dos perfis comportamentais e de lideranças e o incentivo ao trabalho em equipe estão entre eles.

Tudo isso pode estar associado à motivação dos funcionários enquanto indivíduos e enquanto membros de uma equipe.

Cabe ao RH, e às lideranças, identificarem os desafios enfrentados ou barreiras que precisam e podem ser rompidas por meio das dinâmicas em grupo.

Se você gostou deste post, confira mais uma sugestão de leitura: motivação também se conquista com marcação de ponto correta!

teste grátis 14 dias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.