Demissão Humanizada: Como Transformar Esse Processo?

Demissão humanizada consiste em ações para tornar a demissão um momento menos traumático e mais digno para o profissional. Entre as estratégias está a ajuda com a recolocação no mercado.

Quem dera se a frieza da frase “você está demitido!” fosse apenas um bordão do mundo corporativo. Porém, a falta de empatia na hora do desligamento de funcionários é muito comum entre empresas, pois nem todas se atentam em adotar a demissão humanizada.

É preciso entender que todas as possibilidades de amenizar uma situação que já é um tanto delicada, como a saída de um colaborador, devem ser adotadas por companhias que entendem o valor do seu time, independentemente do motivo da dispensa.

Se o seu objetivo é transformar esse processo, você chegou ao artigo certo! Vamos abordar pontos que podem ajudar a entender que, além do trabalhador, a empresa também ganha quando causa menos danos emocionais no momento da rescisão. Acompanhe!

Neste artigo vamos abordar estes principais tópicos:

O que é demissão humanizada

O que é demissão humanizada

A demissão humanizada nada mais é do que um conjunto de estratégias que visam tornar o desligamento do colaborador um momento menos traumático. 

A ideia é que esse processo seja feito com ética, respeito, transparência e, mais importante, dignidade.

Uma forma de humanizar essa etapa é deixar claro o reconhecimento da empresa em relação ao trabalho desenvolvido pelo funcionário. Esse é um ponto de partida para também ajudá-lo após a sua saída da empresa.

Ao investir nesse processo, as organizações podem implementar programas de assessoria que ajudem os ex-colaboradores a darem continuidade à vida profissional. 

Um exemplo disso é auxiliá-lo na elaboração do currículo visando uma nova oportunidade. Essa postura é muito bem-vinda em meio a um momento tão desafiador para o trabalhador.

Além disso, é possível encaminhá-los para outras empresas por meio de um processo conhecido como outplacement

O outplacement é o processo pelo qual a empresa ajuda os seus ex-funcionários a se recolocarem no mercado de trabalho, reduzindo os impactos da demissão e posicionando a empresa de forma humana.

Então, quando falamos em humanizar a demissão, devemos ter em mente que o foco é ressaltar os valores da empresa perante os colaboradores nessa etapa. 

Com isso, eles entendem que a organização valoriza o trabalho de cada integrante, dentro ou fora da instituição. 

Aproveite que está por aqui e não deixe de conferir estes artigos:
👉 Talent acquisition: entendendo e aplicando no recrutamento
👉 Fit cultural: por que se atentar no momento do recrutamento e seleção
👉 Qual a importância da comunicação clara para as empresas?
👉 Reintegração de funcionário: como lidar com essa situação?

Por que investir em um processo mais humanizado

Por que investir em um processo mais humanizado

Possivelmente, nunca em nossa história foi preciso adotar o processo de demissão humanizada como tem sido no momento atual. 

Hoje, em meio à crise sanitária que atinge o mundo inteiro — e impacta principalmente o mercado de trabalho —, demitir colaboradores tem sido uma tarefa ainda mais desafiadora.

Quando um funcionário pede demissão ou é demitido por falta de competência ou por cometer erros constantes, a situação pode ser menos complicada do que quando é preciso demitir em momentos delicados como em crises econômicas ou por cortes de despesas.

Ou seja, independentemente do motivo, uma demissão é sempre uma situação embaraçosa tanto para a empresa quanto para o colaborador.

Quando ela é necessária e alheia à vontade das partes, a demissão humanizada é uma grande aliada. Veja abaixo as vantagens desse sistema!

Os benefícios para a employee persona

Employee persona significa funcionário, em tradução livre. Porém, no universo do RH esse é um termo que define um personagem fictício que melhor representa o perfil dos seus colaboradores, com características e padrões comportamentais semelhantes. 

Mas, para definir esse perfil de colaborador, uma etapa fundamental do processo diz respeito a conhecer o seu time, certo? 

Afinal, como entender os perfis predominantes entre os seus funcionários se o RH e os gestores não os conhecem, de fato?

Então, quanto mais a empresa está próxima de seus colaboradores, mais fácil e intimista será a abordagem no momento do desligamento.

Assim, o tom da conversa será levado com mais naturalidade para um caminho amigável e que seja facilmente compreendido pelo profissional que está sendo demitido. 

Por isso, entender a forma de comunicação de cada time é essencial para saber como abordá-lo nessas circunstâncias e, com isso, minimizar frustrações e constrangimentos.

Outra vantagem para os colaboradores que ficam, nesse sentido, é o sentimento de orgulho e de pertencimento à empresa

Isso acontece porque eles entendem que ela tem cuidado sobre as suas ações e está atenta em praticar demissões de forma mais humana. 

Entenda que, na maioria das vezes, quando há uma demissão, há também uma mudança no clima organizacional

Quando uma rescisão é feita de forma desordenada e insensível, os colaboradores que ficam temem que sejam os próximos a sair.

O medo, a angústia e a incerteza da continuidade no trabalho geram uma série de reflexos negativos internamente. Isso, certamente, prejudica a produtividade e os resultados da companhia. 

No entanto, quando a empresa opta pela demissão humanizada isso não acontece. Os funcionários que ficam conseguem perceber os impasses que impediram a continuidade do colega e enxergam a demissão como algo menos constrangedor e assustador.

Além disso, eles têm em mente que, se a demissão acontecer, ainda assim poderão contar com a ajuda da empresa, pois sabem que essa é uma prática comum e que faz parte dos valores da organização.

As vantagens para os profissionais desligados

Agora, vamos aos benefícios percebidos pelos profissionais que são demitidos, a parte mais sensível quando há rescisão contratual. 

Apesar de ser o lado mais impactado, essas pessoas também sentem as vantagens quando são desligadas de maneira mais digna.

Isso evita elas guardem mágoas, se frustrem, sejam acometidas por doenças emocionais como quadros de ansiedade e depressão ou queiram revidar a demissão de alguma forma para prejudicar a empresa.

Se a saúde dos funcionários é assunto primordial para o seu RH, você deve gostar de ler sobre como as doenças ocupacionais podem impactar no dia a dia da organização e, principalmente, na produtividade interna.

Além disso, os profissionais que foram desligados contarão com a ajuda da empresa para se recolocarem no mercado. 

Assim, essas pessoas não ficam desempregadas e passam a ver a companhia sob um aspecto positivo, mesmo com a demissão.

Os ganhos para a organização

Ter colaboradores que se sentem mais livres e seguros em relação ao trabalho torna o ambiente mais harmonioso e produtivo. 

O clima interno é mais saudável quando os trabalhadores conhecem as ações adotadas pela companhia, e isso favorece as atividades.

Além disso, a empresa transmite uma imagem positiva diante do mercado de trabalho e de seus próprios colaboradores e parceiros. 

Então, podemos dizer que investir na demissão humanizada também é uma boa estratégia de employer branding.

Como melhorar o processo de desligamento com estas 7 dicas

Como melhorar o processo de desligamento

Percebeu como há benefícios para todos quando a demissão é feita de forma mais humana e cuidadosa? 

Quem vai, quem fica e quem demite percebe as vantagens dessa estratégia, então vamos colocá-la em prática? Selecionamos algumas sugestões de como melhorar o processo de desligamento!

1. Priorize pelo sigilo e pela transparência

Uma das coisas mais desagradáveis para um profissional é ficar sabendo que será demitido por fontes não oficiais, como pelo setor de RH ou por seu gestor direto. 

Além de causar um grande incômodo no colaborador, isso pode gerar fofoca no ambiente de trabalho.

Ou seja, todo o clima organizacional é abalado quando o processo de desligamento não é feito de forma transparente e sigilosa.

Com isso, os funcionários podem até perder a confiança na conduta ética da empresa.

Por essa razão, mantenha as informações e os documentos que serão necessários para fazer o desligamento sob posse de quem for realmente participar da entrevista de desligamento. A discrição, nesse momento, é a melhor aliada do RH.

Além de a privacidade do colaborador ser um requisito essencial para garantir tanto a segurança dele quanto a da empresa, a implantação de medidas para assegurar a execução correta está prevista em lei, por meio da LGPD. 

Você já está por dentro das mudanças estabelecidas pela Lei Geral de Proteção de Dados? Nós temos um conteúdo explicando tudo sobre ela!

2. Escolha um local adequado para ter a conversa

Conversar sobre o desligamento com o colaborador não é uma tarefa fácil. Quando a empresa opta por um projeto de demissão humanizada, o passo a passo deve ser ainda mais cuidadoso.

Então, tenha atenção ao local escolhido para reunir-se com o trabalhador. Dê preferência para espaços mais silenciosos, reservados e que não haja risco de interrupções de outros funcionários.

3. Explique os reais motivos da demissão 

Quem é demitido precisa saber se está sendo desligado da empresa por uma redução de custos, por insatisfação com seu trabalho ou por qualquer outro motivo que justifique a sua saída.

Isso é muito importante, porque permite que o profissional entenda exatamente onde está o obstáculo que o impede de continuar na companhia. 

Como dar feedback na demissão

Se for o caso, ele tem a oportunidade de mudar o que precisa ser mudado para ingressar em outra organização e ter sucesso no próximo trabalho. Esse feedback é fundamental para o crescimento e aperfeiçoamento do profissional.

4. Trate o funcionário como você gostaria de ser tratado

Entender como funciona a demissão humanizada é entender que trata-se, em primeiro lugar, de colocar-se no lugar do outro e tentar entender como aquele momento poderá impactar a sua vida e como essa pessoa receberá a informação sobre a rescisão.

Demitir é uma tarefa delicada, e nesse momento você deve ter em mente como gostaria de ser tratado se estivesse no lugar do colaborador. Afinal, podia ser você no lugar da pessoa demitida.

Como essa é uma situação complexa, deve-se evitar discussões e apontamento de erros para não exaltar ainda mais as emoções. 

Assim, de humanizada, a demissão passará a ser desrespeitosa para alguma das partes ou para ambas, mesmo que essa não seja a intenção.

5. Prontifique-se a oferecer boas referências

Quando o colaborador é pego de surpresa com a notícia da sua demissão, uma das primeiras coisas que podem passar por sua cabeça é como ele vai encontrar um novo trabalho e ter sua fonte de renda garantida. 

Com o processo de demissão humanizada, a empresa, nesse caso, pode ser uma facilitadora.

Além do encaminhamento para outras empresas — que, como vimos, faz parte do processo da demissão humanizada —, o gestor ou o profissional de RH podem emitir uma carta de referências e enviar para o trabalhador.

Vale ressaltar que essa carta deve ser entregue junto com os documentos da rescisão, pois o colaborador vai precisar dela o quanto antes, já que em todo processo de seleção os recrutadores costumam perguntar o motivo da saída da empresa anterior.

Veja abaixo um modelo de carta de referência (ou carta de indicação) para ajudar você a ter ideias de como fazer a sua.

Carta de referência

À quem possa interessar

Declaramos para os devidos fins que o(a) Sr(a). [nome do colaborador]  trabalhou nesta empresa sob regime CLT no período compreendido entre [início do contrato] e [fim do contrato], ocupando o cargo de [cargo] , não havendo nenhuma ocorrência que desabone sua conduta profissional.

Além de suas competências  e qualificações profissional, trata-se de uma pessoa idônea, honesta e bastante dedicada.

Diante de todo o exposto, recomendamos a sua contratação e nos colocamos à disposição para mais informações.

[Nome da cidade], [dia] de [mês] de [ano].

 [Assinatura do gestor]

Ainda, é interessante não ser superficial na carta ou escrever de forma genérica ou em formato padrão

O modelo é só para fornecer ideias, mas a carta deve ser personalizada e honesta.

É fundamental destacar os diferenciais desse profissional, relatar o quanto o seu trabalho foi importante para a empresa e as suas contribuições durante a trajetória.

6. Invista em ações de outplacement

Anteriormente, você conferiu que outplacement consiste em estratégias para ajudar na recolocação desse profissional no mercado de trabalho.

Contudo, é preciso ter em mente que isso deve ser feito de acordo com a realidade da empresa.

Avalie a possibilidade de oferecer consultoria para atualização de currículos, melhorias no perfil do LinkedIn com o objetivo de ser mais atrativo aos recrutadores ou ainda palestras com foco em motivação profissional. Essas estratégias ajudarão muito nesse momento.

7. Ofereça suporte para orientações trabalhistas

Quando há uma rescisão contratual, há também uma série de documentações a se providenciar, indenizações e vários cálculos trabalhistas a se fazer, certo? 

Por esses motivos, é comum que o colaborador fique perdido em relação às verbas a que tem direito.

Além do auxílio no âmbito empregatício, a companhia que prioriza por adotar um processo mais humanizado deve ter uma pessoa responsável por explicar cada um dos valores que o colaborador está recebendo e certificar-se de que ele compreendeu todos os pontos.

A mesma coisa acontece na fase pós-demissão. Quando o trabalhador já foi dispensado, mas ainda está resolvendo questões trabalhistas em órgãos e sindicatos, por exemplo, a empresa deve oferecer todo o suporte necessário até que as pendências sejam resolvidas.

Isso evita que o colaborador se sinta abandonado pela empresa e, consequentemente, crie uma imagem negativa dela para os demais funcionários.

Afinal, não é porque uma pessoa saiu da empresa que ela não merece mais ter o mesmo respeito e atenção que os demais. 

Conclusão

Importância da demissão humanizada

A demissão humanizada tem o objetivo de propor justamente o contrário da demissão tradicional: tratar dignamente quem está saindo da empresa e oferecer toda a ajuda necessária para essa pessoa se restabelecer novamente, em todos os sentidos.

E como você acompanhou, simples ações podem fazer uma grande diferença nesse momento tão delicado que é a rescisão de contrato. Pense nisso!

Ao longo deste artigo falamos que investir em demissão humanizada é uma estratégia para melhorar a imagem da empresa diante dos colaboradores, lembra-se? 

Por isso, selecionamos um material que vai ajudar o seu RH a colocar isso em prática. Veja como aplicar o employer branding e colha resultados rapidamente!

teste grátis 14 dias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.