Tudo Sobre o Controle de Ponto Digital

O controle de ponto digital é a tecnologia mais segura e prática para registro e acompanhamento de jornada, inclusive por trabalhadores remotos. Ele favorece a redução de custos e otimiza o trabalho do RH.

O controle de ponto digital é a maneira mais tecnológica, moderna, prática e rápida de fazer o registro da jornada de trabalho. 

Fazer esse acompanhamento é obrigatório para empresas que tenham pelo menos 20 funcionários e opcional para as demais, trazendo vantagens a todas.

Neste post, você vai conhecer a fundo esse sistema de controle digital desde o seu funcionamento até a sua implementação. Siga em frente e boa leitura!

Neste artigo, vamos abordar os seguintes tópicos:

O que é sistema de controle de ponto digital

O que é sistema de controle de ponto digital

O controle de ponto digital, também conhecido como controle de ponto alternativo, é um sistema de registro de jornada feito por meio de aplicativos, com ou sem o uso da biometria.

Adiante, você vai entender melhor como essa tecnologia funciona. Antes, vamos dar um passo atrás e falar do controle de ponto de forma mais ampla para que você entenda como chegamos até essa solução.

Como você já deve saber, o controle de ponto, acompanhamento ou registro de jornada nada mais é do que um processo que documenta a presença dos funcionários de uma empresa.

Por meio dessa ferramenta, independentemente da tecnologia aplicada, a empresa e seu RH conseguem saber o horário de entrada e saída de cada trabalhador.

Com isso, conseguem também gerenciar as jornadas, com possibilidades de:

  • organizar escalas de trabalho mais facilmente;
  • avaliar a realização e a frequência de horas extras;
  • gerenciar o banco de horas de forma eficiente;
  • garantir o fechamento correto da folha de pagamento.

Diferenças entre outros sistemas de ponto

Diferenças entre outros sistemas de ponto

Para que você conheça melhor o controle de ponto digital, vamos do primeiro sistema criado — e que funcionava à base do papel e da caneta — até os dias de hoje.

Controle de ponto manual

O primeiro tipo de controle de ponto que ficou conhecido no mercado de trabalho foi o manual, aquele que funciona à base do papel e da caneta. Apesar de ainda existente, é um tanto quanto ultrapassado.

Imagine só uma empresa com 20, 100 ou 500 funcionários tendo que registrar em um caderno que horas cada um chegou e saiu do trabalho? Com as facilidades que temos hoje em dia, isso já nem faz sentido mais.

Controle de ponto mecânico

O controle mecânico nada mais é do que o famoso relógio em que funcionários batem ponto com folhas de papel que são colocadas no equipamento e “carimbadas” com o registro dos horários.

Essa foi, sem dúvida, uma evolução interessante porque tornou o processo mais rápido e tecnológico. 

Entretanto, essa solução era ainda incapaz de dar a empregadores e funcionários a segurança jurídica necessária.

Controle de ponto por planilha

Com a evolução tecnológica, que levou empresas a começarem o processo de computadorização, surgiu o controle feito em planilhas de Excel.

Ainda que seja mais moderno em comparação aos sistemas anteriores, o controle via planilhas carrega consigo um ponto fraco que o controle manual também tem: a possibilidade de fraude.

Isso porque não há mecanismos para impedir que pessoas sem autorização façam alterações nos registros. Algo que torna as planilhas inseguras para empregadores e funcionários.

Controle de ponto eletrônico

Para resolver, sobretudo o risco de fraudes e a fragilidade dos sistemas de controle de ponto, criou-se o controle eletrônico. Passo importante para a criação do controle digital.

O REP ou Registrador Eletrônico de Ponto, regulamentado pela Portaria 1510 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), tem uma série de exigências para impedir fraudes. Algo que protege empresa e trabalhadores.

Você provavelmente já conhece o relógio eletrônico. Trata-se daquele que é acionado pelo crachá ou pela identificação biométrica dos funcionários

Após a identificação, ele gera um comprovante para que o trabalhador também tenha provas de seus horários de entrada e saída.

Controle de ponto digital

Para modernizar ainda mais a solução, a Portaria 373 do MTE foi criada para garantir a legalidade do controle de ponto digital.

Assim, soluções alternativas de registro de ponto, como o aplicativo Tangerino, passaram a ser autorizadas por lei. 

Isso foi fundamental para que todas as vantagens da tecnologia pudessem ser aproveitadas por empregadores e trabalhadores.

Como funciona um sistema de ponto digital

Como funciona um sistema de ponto digital

O breve panorama que demos da evolução dos sistemas de controle de ponto do manual ao eletrônico nos serve de base para apresentar o funcionamento do sistema digital.

O sistema de ponto digital funciona como um ponto eletrônico armazenado em nuvem e instalado em um dispositivo móvel

Vamos falar das vantagens adiante, mas já fica registrado que essa tecnologia reduz — e muito — os custos com equipamentos.

Retomando o foco, um controle de ponto digital como o Tangerino é um aplicativo que pode ser instalado em um computador, tablet ou smartphone como acontece com tantos outros apps que você já deve ter se habituado a usar.

Esse dispositivo móvel pode ser colocado em algum lugar de fácil acesso na empresa ou até instalado nos smartphones de cada funcionário. 

Seja como for, a implementação é bem mais simples do que as soluções mais antigas.

Cada marcação de ponto feita é registrada no sistema da solução alternativa automaticamente. 

Assim, o dado fica disponível para consulta pelo RH e até pelos próprios trabalhadores, caso queiram verificar os registros.

A gestão da jornada é feita por esse sistema e adulterações não podem ser feitas, o que elimina o risco de fraude e garante mais transparência aos registros.

As características do controle de ponto digital

Para aprofundarmos no funcionamento do controle de ponto digital, vamos às principais características dessa solução. Confira!

  • Controle de ponto biométrico

Nem toda solução digital conta com a biometria, mas visto que essa característica é comum e relevante, precisamos comentá-la.

Você já deve saber que a biometria funciona por meio da captura e da análise de amostras biométricas que podem ser digitais, faciais ou até por voz.

O controle de ponto digital biométrico pode se basear na leitura da digital ou na biometria facial de cada funcionário.

Seja como for, falamos de características únicas que diferem um indivíduo do outro e que tornam essas soluções 100% confiáveis.

A ideia é que a impressão digital ou o reconhecimento da face sejam usados para identificar cada trabalhador. Algo que inviabiliza qualquer tipo de fraude na marcação de ponto.

Essa tecnologia torna desnecessário o uso de cartões ou crachás de identificação. 

Com isso, dores de cabeça são evitadas caso alguém esqueça esse item em casa, por exemplo.

Sistema alternativo de ponto eletrônico
  • Controle de ponto pela web

Um software de controle de ponto digital via web funciona por meio de uma conexão com a internet, algo comum a diversos outros aplicativos que você já tem o costume de usar.

Isso facilita as coisas, porque permite que os dados das marcações feitas pelos funcionários sejam atualizados em tempo real no sistema.

É importante dizer que há opções que funcionam offline, impedindo que imprevistos com a conexão se tornem um problema para a empresa ou para os trabalhadores.

  • Aplicativos de controle de ponto

Ainda, precisamos destacar uma característica que temos mencionado ao longo de todo o texto. Soluções de controle de ponto digital são aplicativos.

Quer saber por que isso merece destaque? As principais vantagens de um sistema que funciona como um app são a praticidade e a mobilidade.

Aplicativos não precisam ser instalados apenas em um dispositivo que fica na empresa. 

Cada funcionário pode ter o app de controle de ponto em seu próprio celular ou tablet.

Dessa forma, até mesmo equipes externas ou funcionários em regime de teletrabalho podem registrar suas jornadas sem a menor dificuldade.

  • Geolocalização

Por fim, queremos mencionar também a geolocalização como fator importante para a segurança e confiabilidade no controle de ponto digital.

Uma vez que o aplicativo é instalado em dispositivos móveis, ele tem acesso à coleta de dados do GPS para que a empresa saiba onde o funcionário externo está.

Com isso, líderes podem conferir informações sobre cada marcação de ponto feita, evitando desconfianças que só prejudicam os relacionamentos e o clima organizacional.

O que diz a lei sobre essa tecnologia

O que diz a lei sobre essa tecnologia

O registro de ponto foi autorizado pela lei n° 7.855, de 1989. Apesar de terem sua razão de existir, os sistemas de acompanhamento de jornada existentes geram polêmica atrás de polêmica.

Isso porque os sistemas manual, em planilha e mecânico eram passíveis de fraude. Diante dessa situação, nem empregadores e nem trabalhadores se sentiam seguros.

Empresas temiam que os funcionários burlassem os registros para receber hora extra ou até que um trabalhador marcasse ponto no lugar de outro atrasado ou ausente.

Por sua vez, trabalhadores temiam que o RH ou os empregadores mudassem os registros para não pagar as horas extras devidas, lesando-os de um direito garantido por lei.

Exigências do MTE sobre controle de ponto digital

Em resumo, a falta de segurança e de transparência nos sistemas existentes levou aos textos legais que orientam o controle de ponto digital. E é sobre isso que falaremos melhor agora.

Foco nas Portarias do MTE

Já dissemos a você que sistemas alternativos foram regulamentados pela Portaria 373 do MTE, mas precisamos nos aprofundar na legislação do controle de ponto digital.

Para começar, vamos resgatar uma informação que compartilhamos ainda no início do post. Indicamos que somente empresas com mais de 20 funcionários são obrigadas a fazer controle de ponto.

É a Lei de Liberdade Econômica, aprovada em setembro de 2019, que define essa regra. 

Entretanto, empresas com quadros mais enxutos também se beneficiam do uso do controle de ponto digital.

Como vimos, o ponto digital é uma evolução do REP. Sendo assim, deve seguir as regras da Portaria 1510 também. São elas:

  • o sistema alternativo deve estar disponível no local de trabalho;
  • o app de controle digital deve permitir a identificação do empregador e dos funcionários;
  • o sistema deve possibilitar a extração eletrônica e impressa dos registros de ponto, sem qualquer adulteração;
  • a solução não pode admitir restrições às marcações de ponto;
  • os registros de marcação gerados por meio dos sistemas alternativos não podem sofrer qualquer tipo de adulteração;
  • o sistema não pode permitir ou realizar a marcação automática do ponto;
  • o app de controle digital não pode exigir autorização prévia para a marcação de horas extras.

Importante! Ainda que tenha sido regulamentado, o controle de ponto digital só pode ser utilizado mediante acordo com o sindicato laboral.

Em outras palavras, o uso do controle digital depende de negociação e aprovação pela Convenção Coletiva de Trabalho.

Ainda, a tecnologia escolhida deve respeitar as regras das Portarias do MTE para que, em caso de fiscalização, a empresa não sofra nenhum tipo de punição. 

Entenda o que diz a lei sobre sobre o controle de ponto digital:

Por que escolher o controle de ponto digital

Por que escolher o controle de ponto digital

A essa altura, você já deve estar refletindo sobre como sistemas mais antigos podem ser ruins simplesmente por darem abertura para fraudes.

Entretanto, você pode não saber por que trocar um controle eletrônico por um controle de ponto digital, por exemplo, já que REPs também são soluções seguras.

Considerando essa dúvida, que é bastante justa, vamos explicar por quais motivos você deveria considerar substituir uma tecnologia muito boa por outra ainda melhor. Veja!

Inovação a um bom custo-benefício

Dizer que uma solução é a mais avançada do mercado nem sempre é suficiente para convencer um gestor a fazer um upgrade.

Algo precisa fazer a conta fechar. Você já sabe que o ponto digital é mais prático e que é tão inovador que permite que as marcações sejam feitas por meio de dispositivos móveis, inclusive fora da empresa.

O que precisa saber ainda é que a solução de controle de ponto digital é inovação a custos que cabem no orçamento da sua empresa.

Primeiro, considere que você não vai precisar comprar um equipamento especial para o controle de ponto e nem pagar por novas bobinas ou por serviços de manutenção preventiva ou corretiva.

Se sua empresa já tiver um computador ou um tablet à disposição, vai precisar pagar apenas para usar o software de controle de ponto digital. 

É comum que os pacotes variem de preço com base no número de funcionários. Assim, você vai pagar um valor correspondente ao tamanho da sua organização, o que favorece e muito o custo-benefício da solução.

Tecnologia de fácil uso

Sua empresa pode ter um quadro de funcionários bem heterogêneo no que diz respeito à faixa etária e à afinidade com soluções digitais. Nós sabemos disso e os desenvolvedores de apps de controle de ponto também.

Com isso, aplicativos de ponto digital têm interface simples e intuitiva para que sejam facilmente utilizados por todos. Algo que vale para a marcação de ponto e para o acesso ao sistema para conferência de registros.

Em alguns casos, existe a possibilidade de que um processo de onboarding ou treinamentos internos sejam feitos para assegurar que todos se adaptem à nova tecnologia mais rapidamente.

Suporte ao cliente

Como toda tecnologia, até mesmo as que foram pensadas para serem facilmente utilizadas, controles de ponto digital precisam contar com algum tipo de suporte ao cliente.

Atualmente, o mais interessante é que esse suporte aconteça tanto por canais digitais quanto por canais offline. O Tangerino, por exemplo, oferece esse suporte via e-mail e via telefone.

Assim, cada cliente busca o caminho que se sentir mais confortável para resolver suas dúvidas e contar com nossa equipe para lidar com eventuais dificuldades.

Versatilidade para o registro de ponto

O controle de ponto digital permite que as marcações sejam feitas em um computador ou tablet instalado próximo à entrada da empresa ou pelos smartphones dos funcionários, de onde quer que estejam.

Essa versatilidade é sinônimo de facilidade e praticidade para todos os envolvidos. 

Basicamente, a tecnologia faz com que seja até mais difícil para os colaboradores esquecerem de fazer alguma marcação.

Como os registros são atualizados em tempo real, se notar que alguém esqueceu de registrar a volta do almoço, por exemplo, o gestor pode mandar uma mensagem avisando.

Com isso, o funcionário pode fazer a marcação da própria estação de trabalho, caso tenha um aplicativo em seu dispositivo móvel.

As principais vantagens do controle digital

As principais vantagens do controle digital

Uma boa forma de seguir falando sobre os motivos pelos quais sua empresa deveria investir em um sistema de controle de ponto digital são suas vantagens.

Para tanto, separamos fatores que são interessantes para a empresa, para seu departamento de RH e para seus funcionários. Acompanhe!

1. Diminuição do risco de fraudes

Já batemos nessa tecla várias vezes porque, de fato, essa é uma vantagem importante.

O controle de ponto digital não permite adulterações nos registros feitos. Além do mais, pode se apoiar em traços únicos de cada funcionário ― suas digitais ou pontos de identificação facial ― para impedir qualquer tentativa de fraude.

Quanto a isso, aproveitamos apenas para esclarecer que, com o Tangerino, as marcações equivocadas podem ser corrigidas, mas não sem passarem pelo gestor de RH, gerando provas para a empresa e para o trabalhador.

2. Mais transparência para todos

Ainda, pelo sistema de um software ou aplicativo de controle de ponto, tanto os gestores quanto os funcionários podem conferir os registros feitos.

Com isso, ambas as partes podem ter clareza das horas extras devidas ou dos descontos previstos para o cálculo da remuneração de cada mês. 

Essa transparência elimina desconfianças, favorece os relacionamentos e o clima organizacional.

3. Armazenamento em nuvem

Vamos voltar aos sistemas mais antigos de controle de ponto por um instante. Quanto maior a empresa, maior o volume de informações que precisa ser armazenado só em relação ao registro de ponto.

Papéis, mesmo quando organizados sob um bom sistema, podem se perder ou serem sinônimo de muito trabalho na hora de conferir cada marcação para os cálculos de pagamento.

Dados salvos no computador podem ser bem mais práticos, além de ocupar menos espaço físico na empresa. 

Entretanto, ainda estão sujeitos a desordem de pastas e arquivos e perda de informação, já que a máquina ou o HD externo podem estragar.

Por essa razão, considerando toda inovação que o controle de ponto digital promete ― e entrega ― o armazenamento em nuvem é uma grande vantagem.

Dados salvos em nuvem podem ser facilmente acessados e encontrados por quem tem autorização de fazê-lo. Esse acesso, inclusive, pode acontecer remotamente caso o gestor esteja fora da empresa.

4. Facilidade na gestão de jornadas

Outra vantagem que precisa ser destacada sobre os sistemas de controle de ponto digital é a automação de processos.

O RH deve registrar a jornada padrão de cada funcionário no aplicativo de controle de ponto. 

Uma vez que os trabalhadores marcarem seus horários de entrada e saída, o sistema pode fazer comparações automaticamente.

Isso significa que a solução indica sozinha quem fez hora extra e por quanto tempo ou quem se atrasou e por quanto tempo. Algo que facilita e muito a gestão de jornadas.

Se a empresa paga pela jornada excedente, consegue entender melhor a frequência com que os trabalhadores permanecem em suas atividades além da jornada normal.

Assim, pode avaliar melhor seus custos e até analisar se há problemas de produtividade que precisam ser resolvidos em determinadas equipes.

Por sua vez, se a empresa usa um regime de banco de horas, os dados do sistema ajudam a garantir que a compensação seja feita dentro do prazo para que a empresa não tenha prejuízos.

5. Integração com outros softwares

A tecnologia do controle de ponto digital também permite integração a outros softwares como o de fechamento da folha de pagamentos, o que livra o RH ou o DP desse trabalho que é tão minucioso e burocrático.

Considere as variações de horas extras, os atrasos, os adicionais e outros benefícios e pense: quanto tempo sua empresa leva para calcular corretamente a remuneração de cada trabalhador?

Certamente, quanto maior o quadro de funcionários, maior o desafio. Do salário-base de cada um até o valor final, diferentes variáveis podem ser consideradas e isso demanda muito tempo e atenção.

Automatizar esse processo resulta em ganho de tempo, deixa o RH e o DP livres para atuarem de forma mais estratégica e livra a empresa de processos trabalhistas por erro de cálculo e pagamento indevido.

6. Mobilidade e ponto offline

Sua empresa não tem obrigação de usar o sistema de controle de ponto em dispositivos móveis, baixando o aplicativo no celular ou tablet de cada funcionário.

Essa decisão vai depender de como as atividades são desempenhadas e pode ser tomada de forma estratégica. 

Se a empresa tem equipes externas ou funcionários em teletrabalho, o ponto mobile é uma grande vantagem.

Isso porque possibilita que a legislação seja respeitada e o controle de jornada seja devidamente feito. 

Além disso, garante que a gestão das jornadas seja realizada para que a empresa avalie a produtividade e o desempenho de suas equipes remotas.

Como se não bastasse, aplicativos que aceitam que as marcações sejam feitas mesmo offline, ou seja, mesmo quando falta conexão com a internet, evitam lacunas nos registros.

Um gestor pode, por exemplo, ligar para um vendedor externo que se esqueceu de marcar o ponto e lembrá-lo de fazer a marcação sem que a falta de internet possa ser uma justificativa.

7. Redução de custos

Por último, vamos falar sobre uma redução geral de custos que engloba alguns pontos que já mencionamos e vai além.

Dissemos anteriormente que sua empresa deixa de gastar com insumos para o funcionamento de sistemas de marcação de ponto e com a sua manutenção.

Otimização de recursos 

Ainda, como o controle de ponto digital facilita o acompanhamento das jornadas, garante que os gestores possam tomar decisões estratégicas para reduzir a folha de pagamentos.

Às vezes, funcionários fazem horas extras porque precisam bater metas e não conseguiram produzir o suficiente durante a jornada normal. 

O controle digital ajuda a indicar que essa situação pode ter se tornado frequente demais.

Com isso, pode ser um sinalizador de que um gestor precisa rever as metas estabelecidas com base na capacidade produtiva de seu time. Ou que precisa motivar a equipe e tornar as horas extras menos necessárias.

Em ambos os casos, temos a adoção de medidas estratégicas que levam à redução de custos cuja necessidade pode ser indicada pela simples adoção de um sistema de controle de ponto digital.

Menos perdas com processos

Mencionamos os processos trabalhistas antes e voltamos a fazê-lo agora para um lembrete importante sobre conquistar mais segurança jurídica.

Há dois principais cenários que podem levar sua empresa a ser processada em decorrência de um controle de jornada ruim:

  • registros inconsistentes ou perda dos registros de jornada;
  • erros em pagamentos de horas extras, adicionais, benefícios e rescisão contratual.

Se um funcionário alegar que a empresa lhe deve dinheiro e levar essa disputa para a Justiça, tem boas chances de ganhar se o empregador não tiver como provar que não cometeu erros.

Uma vez que o controle de ponto digital elimina o risco de fraudes e conta com o armazenamento em nuvem, sua empresa estaria resguardada desse risco.

Ainda, se erros no pagamento levam o funcionário a buscar seus direitos por vias legais, sua empresa não é perdoada se alegar que as contas são complexas e que se equivocou sem intenção de lesar o trabalhador.

Diferente disso, pode ser obrigada a pagar multas ao funcionário, além de ter de arcar com os custos do processo trabalhista. 

Tudo isso pode ser impedido graças aos registros fiéis e à automação de processos do ponto digital.

As principais desvantagens do controle digital

As principais desvantagens do controle digital

Como é comum em basicamente qualquer situação, nem tudo é vantajoso na adoção de uma solução de controle de ponto digital.

Para ter clareza sobre alguns “empecilhos” com os quais você tem que lidar, também vamos comentar as duas principais desvantagens dessa tecnologia.

Avaliamos, porém, que tudo pode ser uma questão de perspectiva sobre aquilo que você define como custo ou como investimento. Veja só!

Compra de dispositivos dedicados

Anteriormente, dissemos que se sua empresa já tem um computador ou tablet à disposição, vai gastar apenas com a licença para o uso do aplicativo de controle de ponto digital.

Se essa não for a situação, sua empresa vai precisar investir em ao menos um dispositivo que precisa ficar na sede, conforme as regras do MTE.

É importante entender que o tablet acaba sendo de uso exclusivo para a marcação de ponto. Não dá para pegar um dispositivo emprestado toda vez que um funcionário precisar registrar sua jornada.

Por isso, se não há um equipamento disponível, algum investimento precisa ser feito para que sua empresa possa adotar essa tecnologia.

Treinamento para gestores e funcionários

Além disso, ainda que o aplicativo seja intuitivo, um treinamento pode ser necessário para garantir que todos lidem bem com o novo sistema de registro de jornada.

Isso é importante porque, ainda que retificações em marcações equivocadas sejam possíveis, sua empresa certamente não vai querer depender delas diariamente.

Sempre que um funcionário se equivocar em uma marcação, um chamado precisa ser aberto com a ajuda do gestor de RH e um processo mais detalhado precisa ser feito para a correção.

Isso porque, como temos dito, o controle de ponto digital não permite adulterações. 

Para manter essa segurança, correções não podem ser feitas por qualquer pessoa e nem por qualquer motivo.

Ainda, com todos os funcionários fazendo suas marcações de ponto corretamente, RH e DP ainda precisam conhecer o sistema como a palma de suas mãos.

Por isso pode haver um gasto, ou melhor, um investimento em treinamentos.

Como fazer a implementação

Como fazer a implementação

Existem alguns passos importantes que definem como implementar o controle de ponto digital com sucesso em sua empresa.

O primeiro deles é definir qual sistema digital de controle de ponto é o ideal para a sua empresa. Logo mais, dedicaremos um tópico inteiro para falar dessa escolha.

Por isso, por ora, seguimos direto para os próximos passos, aqueles que dizem respeito à implementação de forma mais direta. Confira.

1. Defina quais dispositivos serão usados para o controle de ponto

O sistema de controle de ponto digital pode ser acessado com a instalação do programa em um computador desktop, notebook ou ainda por meio de um aplicativo baixado em um tablet ou smartphone.

É sempre importante ter um dispositivo fixado próximo à entrada da empresa. Fora isso, a alta gestão precisa definir se a marcação de ponto mobile também será autorizada.

Se a decisão for positiva, pode ser necessário definir quais equipes poderão marcar ponto diretamente de seus dispositivos móveis e passar as devidas orientações.

2. Cadastre cada funcionário no sistema de controle de ponto

Para usar o controle de ponto digital com sucesso, o RH precisa cadastrar os dados de cada funcionário da empresa corretamente. 

Em geral, é preciso informar:

  • nome completo;
  • data de nascimento;
  • CPF;
  • número da carteira de trabalho;
  • PIS;
  • duração e intervalo da jornada normal e outros.

Caso seja necessário, o RH também deve informar sobre escalas de trabalho, assim como locais de interesse em que o registro de ponto pode ser considerado válido.

O que você precisa saber sobre o ponto mobile

O ponto mobile é o que faz o aplicativo de controle de ponto digital ser utilizado de qualquer lugar que um trabalhador remoto esteja.

Com isso, já imaginou se o funcionário tentasse enganar seu líder e fizesse a marcação de ponto de dentro de uma sala de cinema, por exemplo?

É certo que partimos do princípio de que as pessoas não vão agir de má-fé, mas sabemos que esse tipo de dúvida realmente pode surgir. 

Por isso, precisamos explicar o que são locais de interesse segundo a realidade do aplicativo Tangerino.

Basicamente, locais de interesse são locais pré-cadastrados de onde um funcionário remoto pode fazer seu registro de ponto. Pode ser sua própria casa ou um coworking, por exemplo.

A ideia é que o RH tenha essas localizações previamente cadastradas para que a empresa tenha segurança de que o funcionário está em seu local de trabalho.

Por isso, essas informações também devem fazer parte do cadastramento dos funcionários no sistema de controle de ponto.

3. Faça o onboarding do sistema escolhido

Você já deve conhecer o termo onboarding no contexto da integração de novos funcionários. 

Porém, dessa vez, vamos aplicá-lo segundo a ideia da integração de uma nova solução tecnológica.

O que queremos dizer com isso é que sua empresa precisa dedicar um tempo para que gestores e funcionários conheçam o sistema de controle de ponto digital escolhido.

Isso pode ser feito internamente, por conta própria, ou solicitando que a empresa responsável pela solução escolhida realize um treinamento.

Desde já, ressaltamos que nós dispomos de um onboarding completo do sistema para todos os clientes do Tangerino que demonstrarem interesse.

4. Defina gestores para cuidar do controle de ponto

Mesmo com todas as facilidades que a automação de processos traz, ainda é interessante manter responsáveis pela gestão do controle de ponto em sua empresa.

Um ou mais gestores precisam ser designados para conferir se os funcionários estão usando o aplicativo de forma correta e, claro, acompanhar as jornadas.

Para tanto, é preciso conferir se o sistema em uso permite que gestores sejam cadastrados, dando a eles o direito de acessar algumas funcionalidades do sistema.

No caso do Tangerino, os administradores têm acesso a todo o sistema de controle de ponto digital. Já os gestores têm acesso a apenas parte das funcionalidades.

Essa divisão favorece a segurança e a transparência, além de conferir aos gestores autonomia suficiente para criar escalas de trabalho, gerenciar horas extras e mais.

5. Esclareça a importância do controle de ponto

Uma solução de controle de ponto digital tem tudo para facilitar a vida não só do RH e do DP, mas também dos funcionários de uma empresa.

Acontece que, se os trabalhadores não se comprometerem em realizar suas marcações, a empresa pode ter problemas, além de perder as vantagens do uso dessa tecnologia.

Por isso, vale a pena incluir explicações sobre a importância do controle de ponto na comunicação interna

É interessante, inclusive, mostrar por que um controle de ponto digital é importante para os funcionários e não só para a organização.

6. Faça o acompanhamento dos registros de ponto

Não é de hoje que gestores sabem que decisões estratégicas precisam ser bem embasadas, certo? Muitas vezes, isso tem a ver com coletar dados, definir métricas e indicadores.

Um bom controle de ponto permite que você acompanhe diversos aspectos das jornadas de trabalho dos funcionários da empresa. 

Além do mais, ele conta com a emissão de relatórios que favorecem uma análise ampla da produtividade e do absenteísmo.

Assim, a ideia é que você utilize o sistema de controle de ponto para definir estratégias para a sua empresa.

Se os registros mostram muitos atrasos, por exemplo, pode ser sinal de que você precisa pensar sobre a possibilidade de definir uma jornada mais flexível e por aí vai.

Processo de implementação do Tangerino

Como escolher o melhor controle de ponto digital

Como escolher o melhor controle de ponto digital

Como prometido, falaremos sobre a escolha da melhor solução de ponto digital para a sua empresa. 

Por essa razão, vamos a algumas questões fundamentais que você precisa verificar:

  • o sistema atende às regras do MTE para soluções alternativas de controle de ponto?
  • A empresa que oferece a tecnologia tem planos que cabem no seu orçamento?
  • A empresa que oferece a tecnologia conta com onboarding e um bom serviço de suporte e atendimento ao cliente?
  • A solução de controle de ponto digital conta com diferentes formas de identificação dos trabalhadores?
  • O sistema escolhido tem função de geolocalização no ponto mobile para melhor gestão de equipes externas ou funcionários remotos?
  • A tecnologia é compatível com quais sistemas operacionais?
  • A solução de controle de ponto permite integração com outros softwares em uso pela sua empresa?
  • O sistema fornece relatórios automatizados?
  • A empresa que oferece a tecnologia exige algum plano de fidelidade?

No fim das contas, você tem que ter certeza de que a solução de controle de ponto digital atenda às suas expectativas e às necessidades da sua empresa.

As perguntas que fizemos podem orientar sua análise, porque indicam fatores que podem ser decisivos para a escolha da tecnologia ideal.

Por que optar pelo aplicativo Tangerino

A essa altura, não é nenhuma novidade que uma de suas opções entre as soluções de controle de ponto digital existentes é o Tangerino.

Então, vamos repassar as questões que acabamos de levantar para dizer que:

  • o app do Tangerino é legal e está em conformidade com as regras do MTE;
  • o Tangerino tem planos que variam de acordo com o número de funcionários e que cabem no seu orçamento;
  • O Tangerino oferece onboarding aos seus clientes;
  • a ferramenta permite que a marcação de ponto seja por reconhecimento biométrico ou facial;
  • o aplicativo conta com sistema de geolocalização para gestão de trabalhadores remotos;
  • O Tangerino é compatível com sistemas Android e iOS, os principais usados em dispositivos móveis;
  • o sistema pode ser integrado a diversos outros softwares de gestão comumente utilizados pelas empresas;
  • a ferramenta permite a geração de relatórios automatizados e personalizados;
  • O Tangerino não tem plano de fidelidade porque o que “prende” sua empresa é a qualidade e os benefícios da solução e não um contrato.

Caso você tenha dúvidas a respeito de nossa solução, dos planos e custos ou do processo de implementação, pode contatar nossa equipe para orientações.

Conclusão

O controle de ponto digital é a solução existente mais moderna, segura e prática para o registro e acompanhamento das jornadas de trabalho.

Como vimos, até mesmo o REP, que é uma tecnologia segura e bastante usada, fica para trás quando apresentamos um sistema alternativo que permite até marcações feitas por trabalhadores remotos e sem acesso à internet.

Se bem planejada, a implementação de um controle de ponto digital como o Tangerino pode trazer diversas vantagens como as que destacamos ao longo do post.

Algo que se torna ainda mais certeiro se você optar por contar com o processo de onboarding oferecido pela nossa equipe para que seus gestores e funcionários se adaptem bem ao uso da solução de controle de ponto.

Quer descobrir se sua empresa está pronta para o controle digital? Faça o teste da nossa ferramenta e tenha em mãos o mais moderno em termos de tecnologia para controle de jornada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

[i]
[i]
[...dataArray]
[...dataArray]