Calcular horas de trabalho ou resultados produzidos? Qual a melhor opção?

Existem basicamente duas formas de remuneração que uma empresa pode implementar: horas trabalhadas ou resultados alcançados.

Na primeira opção, é preciso calcular as horas de trabalho com efetividade para medir a produtividade de cada profissional. Na segunda, fazer uma boa gestão de equipes é essencial. Afinal, o que importa não é o como, mas sim o quê se conquista ao final do dia, da semana ou do mês.

Continue a leitura e confira os prós e contras de cada modalidade de remuneração!

Remuneração por produtividade

Optar pelo cálculo de resultados produzidos significa remunerar o funcionário de acordo com o seu desempenho.

A vantagem para o empregador é ter funcionários mais motivados e comprometidos com os objetivos da empresa. A maneira mais comum de fazer isso é por meio de comissões, em que o funcionário recebe adicionais por vendas ou serviços concluídos.

Outra opção são os bônus por metas, modalidade na qual o funcionário recebe um valor fixo e um extra a mais quando consegue cumprir com determinado volume de produção ou venda durante o mês.

É possível não estabelecer um salário fixo para o funcionário, pagando somente comissões. Entretanto, a legislação determina que, mesmo quando ele não alcança nenhuma meta ou não produz o suficiente, seu pagamento precisa ser pelo menos no valor de um salário mínimo.

Como calcular os resultados produzidos?

Para calcular como anda a produtividade de cada colaborador, você precisa, primeiramente, definir o que será medido. Pode ser a quantidade de clientes atendidos, o valor total das vendas, a quantidade de serviços prestados, ou qualquer outro indicador de desempenho que se aplique ao seu negócio.

Em seguida, defina qual será o intervalo de tempo mensurado, que pode ser apenas um dia, uma semana ou o mês todo. O ideal é que o cálculo de produtividade seja contínuo, ou seja, seja feito durante o mês inteiro, todos os meses. Verifique o quanto cada funcionário produziu no período determinado e compare com o total de horas trabalhadas nesse mesmo intervalo de tempo.

Por exemplo, se um empregado atendeu 10 clientes em duas horas e o outro atendeu 15 em 3  horas, ambos tiveram a mesma produtividade: 5 clientes atendidos por hora.

Remuneração por horas de trabalho

Calcular horas de trabalho é o modelo de remuneração mais usado nas organizações. Embora seja mais fácil determinar um salário e uma quantidade de horas a cumprir, esse modelo nem sempre é o mais vantajoso.

A empresa que se concentra apenas em calcular horas de trabalho pode deixar de considerar uma série de fatores, como absenteísmo, presenteísmo e produtividade.

Funcionários produtivos trazem mais resultados, portanto, devem ser melhor remunerados. Quando percebem que não adianta esforçar-se pela empresa, pois a remuneração é baseada no cálculo de horas de trabalho, podem se sentir desmotivados.

Nesse sentido, mais do que calcular as horas de trabalho é fundamental comparar com os resultados produzidos ao longo do tempo e recompensar aqueles talentos que se destacam por seu desempenho.

Posso parar de calcular horas de trabalho?

A remuneração por produtividade é mais vantajosa para o empregador, mas não o exime no controle de horas trabalhadas. Empregados contratados via CLT precisam ter suas jornadas de trabalho monitoradas para garantir que não ultrapassem o limite legal de 44 horas por semana.

Calcular horas de trabalho e relacionar esses dados com os resultados dos funcionários é uma ótima maneira de descobrir quem se dedica mais, ou quem tem talento para os negócios. Saiba como escolher o ponto eletrônico ideal para a sua empresa e passe a controlar as horas e a produtividade da sua equipe!

https://tangerino.com.br/

teste grátis 14 dias